quinta-feira, 17 de junho de 2010

VERSOS LIVRES # 05


 No post de hoje poemas de Leontino Filho, Castelo Hannsen e outros, constantes no fanzine Versos Livres, nº 05

VERSOSLIVRES 5

QUERO-TE
Leontino Filho

Ouço a plástica dramaticidade do teu pavor
Corte nostálgico meu contraponto
Ouço o tranquilo efeito do teu susto
Clássico bouquet meu contra-senso

Aguento a tua ingenuidade- picante tristeza
Dos nossos encontros oculta leveza
Aguento a sensual intensidade do teu halo
Fenece em mim o inteiro bálsamo
Das nossas expressões laterais
Desvendo ousadas saídas conheço vestígios
Atravesso contigo imaginárias paixões

Apago o candeeiro das breves mudanças
Irreverências artifícios contrastes
Como estímulos que partem errantes
Afasto as novidades acuado em mim

Não nego : meu desequilíbrio
é estar prenhe de ti

Leontino é um poeta e escritor do Rio Grande do Norte .. Leia mais alguns poemas dele em UMA COISA E OUTRA  e LUA CHEIA

-

TEMPO DE MÃOS DADAS
Castelo Hannsen

Agora eu sei
Que cada alvorada traz um novo sol
E cada sol é um dia
E que na sucessão das madrugadas
Está chegando o tempo de mãos dadas
Está chegando o tempo da poesia

Agora eu sei
Que a dignidade humana, a verdade
A ternura, o amor, a liberdade,
Cuja morte eu cansei de lamentar,
Não morreram estavam hibernando,
Mas que esse longo inverno está findando e está chegando
O tempo de acordar

Sete anos, mais sete, se passaram
E talvez outros sete passarão.
Mas eu posso esperar, me preparando
Pois o cheiro do povo está mostrando
Que é tempo agora de dizer um não

Agora eu sei
Que nossos mortos foram sepultados
Que nossos prantos foram enterrados
E a terra os devolve, satisfeita..

Nossa dor, nosso suor e luto
Foram semente boa, deram fruto
E está chegando o tempo da colheita..

Castelo Hannsen esteve em diversas edições do fanzine Versos Livres e no meu outro blog Poetas de Guarulhos ...Castelo é referência na cena cultural da cidade de Guarulhos, como pode ser comprovado no site GUARULHOS  e WIKIPEDIA

-

BUSQUEI- TE

Lolita_Lavita_by_mycharliegirl

Gil

Sòzinho eu estava,
Busquei-te nas minhas madrugadas
Te via por entre sombras
Teu vulto suave, tuas formas sensuais

Teus longos cabelos,
emaranhado de fios, entrelaçavam
meus dedos com carinho
Nos meus lençóis o calor suave
de teu corpo, em meu peito o latente
Pulsar de teu coração de amor.

Eu te amava, em sonhos te procurava,
E você, você não estava..

A madrugada rompe a manhã ensolarada
Acordo suado, você não está mais aqui,
Foi apenas um sonho,
Um lindo sonho de amor .

Gil é um poeta da cidade de Guarulhos, seu nome é Gilmar. Chegamos a trocar correspondências por um curtíssimo tempo e essa foi a única poesia que ele enviou para ser publicada no fanzine.

-

MINHA JANELA
Paulo César Basseti

De minha janela eu posso ver estrelas
De minha janela eu posso ver o luar
E a cidade que adormece no manto
negro da noite ,
por um instante lembra-se de sonhar

De minha janela que o vento acaricia
Vejo sombras informes e barulhentas
Ouço o diz que diz que das folhagens
Que dos vaga-lumes e grilos
Se dizem ciumentas

Desta janela vejo o mundo
Que passa veloz, e eu estático,
Limito-me a assistir :
Meus versos preenchem tanto
O pensamento , que o vento
e as estrelas não ousam seduzir !

Da janela do meu quarto
Estendo os braços para a noite,
Suplico que me abençoe
Com seu hálito suave, e o orvalho
cai tranquilo, refrescando o coração

Vou fechar a minha janela !
É madrugada. O sol já vem !
As estrelas se apagam. O vento
vai-se embora: Espera, meu amigo!
Para lá eu vou também ...

Paulo César Basseti é da cidade de Piracicaba /SP. Poema enviado através de carta.

-

LUCCE
Touché

Luz intensa, tensa, sensitiva. Que ilumina
os corações e aponta os caminhos..

Luz que cega, pega, domina
Que tanto pode ser do sol
Quanto dos anúncios luminosos..

Luz do amor, que é também da dor,
E que também se apaga..

com o passar do tempo,
Ou com as pessoas volúveis

Luz que bronzeia, clareia, ateia
Fogo às  veias e que  faz ansiar..

Algo de tão mágico entre os cabelos,
Algo de tão trágico em um certo olhar...

Luz que  fascina, anima, ensina
o círculo de fogo do amor !

Enfrentar o perigo dos exploradores
E estar sujeito, como sempre,
à mesma velha insolação.....

Lucce é um antigo poema meu, que fala sobre sobre a esperança. Meu email é touche.sp@uol.com.br 

-

Um comentário:

  1. Sempre belos versos sempre.
    Mas vim aqui pra te pegar pela
    mão e levar la no meu blog novo...
    vc vem comigo? rrsrs
    Quero sua oponião sobre o tema que
    puxo la.
    Bjins

    ResponderExcluir