sexta-feira, 16 de julho de 2010

VERSOS LIVRES # 07

Neste blog estou disponibilizando o conteúdo das edições do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo, cujo objetivo é a divulgação de poesias. 
No post de hoje, mais alguns poemas que foram publicados na edição nº 07 do fanzine Versos Livres.

VERSOSLIVRES 7

DEUSES VENCIDOS
Pulsar

As civilizações sucedem-se umas às outras,
na voragem do tempo que a tudo consome.
Tombam-se reis, faraós e conquistadores,
deuses lançados no turbilhão da História.

Será a Eternidade um divino castigo
Ou tributo pago aos heróis ?
Se das cinzas ressurgimos qual Fenix,
A vida então não terá sido mera utopia..

Ontem a Voz que clamou no deserto,
Árido e ardente de teu coração
Talvez hoje te desperte os sentidos,
E amanhã nos amemos então

Se o presente te lançou um espesso véu
Deixando-te indiferente e fria
Serei a luz de teus olhos,
E o calor dos teus últimos dias
Verás que eterno é meu amor por ti
E há de brilhar fulgurante no infinito
Desvendarei os enigmáticos mistérios,
Do Aço e da Esfinge . Vencerei a Morte mil vezes
Buscar– te– ei pelas sucessivas vidas
Não me curvarei à vontade dos deuses
Enquanto minha não fores !

Recebi esse poema de Taubaté/SP, para ser publicado no fanzine apenas sob o pseudônimo de Pulsar.

-

NO MEIO DO CAMINHO SEM SER DRUMMOND
Raimundo D’ Magalhães

No meio das pedras há um caminho
Há um destino rasgando pedras
Há um caminho de pés descalços
De roupas rotas de semblantes pueris
Há um caminho de pedra, de pedras
Que lhes vão, enchendo o intestino
No meio das selvas .
No meio de argilas .
No meio de carvões e de monturos
Cercados de arames farpado
E de muros ! ....
Sem lamentações há um caminho
Há um coração que se empedra
Há uma perna que se perdera
Há uma mão que se perdera
Há um mago
Há uma cruz que tantas vezes
Não valeram o grão do suor,
Da pedra, do pão.. Que pão ?..
No meio do caminho
No meio do reverso
Há um caminho de carros
De cracks que nunca jogarão peladas
De guerras que nunca lhes dizem nada
No meio do caminho
No meio das pedras
Quantos já perderam a conta
Pois não sabem somar ( só diminuem )
A beleza de serem meninos ? ! ...
No meio de pedras,
Ainda há um caminho !

Raimundo D’Magalhães é o pseudônimo do poeta e escritor Raimundo Tadeu Mesquita Cunha, da cidade de Ananindeua, Belém de Pará. Raimundo também é membor correspondente da Academia Cachoeirense de Letras, de Cachoeiro da Itapamerim.

-

OS VERSOS DA LOIRA SINISTRA
Touché

sempre abro o meu caderno prá escrever as mesmas coisas: nesse exato momento, os rios tem peixes mortos e eu penso em você :a mina que foi seduzida ao som de um velho piano. a sociedade de consumo e as profecias do milênio .

sempre abro o coração prá sentir as mesmas dores; para reclamar da vida. sou ainda adolescente nem comecei minha vida . rock faz minha cabeça e eu pensando em você, toda vestida de azul ..

não amo a loira sinistra. mas serei morto por ela. você é a pequena que eu amo, não tenho nada que eu amo. canto prá loira sinistra essa canção que era sua. me entrego a noite prá ela, ao sol a faço sonhar, depois morro assassinado, com seus beijos venenosos.

sempre abro os meus lábios, prá morrer do mesmo jeito

Touché é de Guarulhos/SP. Editor do fanzine Versos Livres.  

PAGINAINTERNAVL

ESTA NOITE
Lari Franceschetto

Esta noite queria você
Bem perto de mim
Que o frio fosse embora
Os cães parassem de latir
Esta noite
que eu cuidasse de você
Você de mim.

Esta noite eu dispensasse
o café amargo,
O penúltimo cigarro
Um livro de Kafka
ou Christie, A Agatha.

Ao menos esta noite
Ignorasse à janela,
Entreaberta, sombras
Que as árvores traçam
Na solidão da rua
Na solidão da lua

Esta noite queria você
bem perto de mim
Tão perto.
À flor da pele
ao inverso,
Fogo que ardesse
O tempo que fosse
O tempo que fosse
E o mundo todo fosse
Entre ondas
E brancos lençois
Só de nós dois.

Larí Franceschetto é da cidade de Veranópolis/RS, a terra da longevidade.Detentor de vários prêmios em concursos literários,Larí está presente na cena alternativa,com publicações em jornais e livros, e até na mídia falada. Mais informações em http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/rio_grade_sul/lari_franceschetto.html e http://froilamoliveira.blogspot.com/2009/12/lari-franceschetto.html

-

MANOBRAS DAS FORÇAS OCULTAS
Sara Teixeira
Para Émerson Oliveira da Silva, Cubatão

Me esquivar do seu vaivém. Absorver seu nome num repente.
Libertar-me do som de sua voz que sopra em forma de canção...

Época em que meu encanto limitava-se
À exclusividade de caminhar só e unicamente ao seu encontro .
Aeronave que voava
No sustento desse seu amor flutuando no ar
todo tempo.
Somente seu amor .....

Sobre o fluir das águas do oceano extraviado,
Flecha subornada rumo ao desvio do curso
Que corre as ondas.

Entretanto, nem toda força contrária consegue
Impedir a continuidade dessa mesma evolução
Entusiasmos inspirados durante eternas
Madrugadas borbulhando imensamente
Gota a gota que se espalha sobre minha pele...

Imaginações frequentes sem que nada houvesse
A não ser as manobras das forças delicadas e ocultas , no orvalhar da obscuridade
Das campinas frias posso sentir seu perfume
semelhante à flor.
Aroma estonteante , abrangente, que aspira ao vento e inspira meu ar completamente
Junto ao pensamento, silencioso...

Nuvens refletindo a passagem de uma vida
No som sussurante dos sabores puros
Da sua sinfonia musical.
Aonde o céu repleto de estrelas
Soprava na brisa, o frescor majestoso do vento
Em toda formosa magia.

Nas delicias que luziam sem cessar
Retratei no desencontro o desengano
Que em mim afligia na sua total ausência...

Sara é de Catanduva/SP. Eu esperava que, a exemplo do Tom Zine, um romance nascesse entre os leitores do Versos Livres e achei que isso ia acontecer a partir desse poema da Sara para o Emerson. Porém, perdi contato com os dois e não sei o que aconteceu depois disso.

-

CASAMENTO DE PADRES.
Anita Costa Prado

É difícil entender. Ou mesmo aceitar :
Porque quem casa os outros,
Não pode se casar ?
O celibato é imposição, arcaica e secular
Pois o padre é humano. Não há como negar

Anita é de São Paulo e está presente em várias edições do meu fanzine, tanto como poetisa,quanto como criadora da famosa Katita.Saiba mais em http://zinebrasil.googlepages.com/artigo_literatura_quadrinhos_anita_prado

Nenhum comentário:

Postar um comentário