segunda-feira, 26 de julho de 2010

VERSOS LIVRES # 07

Neste blog estou disponibilizando o conteúdo das edições do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo, cujo objetivo é a divulgação de poesias. 
No post de hoje, mais alguns poemas que foram publicados na edição nº 07 do fanzine Versos Livres.

VERSOSLIVRES 7

MARIA
Elton

Benedicta és tu intra mulieribus.
Mãe imaculada de Ave Maria gratia plena .
Nosso Irmão Jesus.
Tu és a Mãe das mães, apenas ?
Maria, és santa, és mulher
A mulher que busca sua liberdade
Rompe os grilhões antes que seja tarde
Para, em toda a sua plenitude, viver
Mãe mulher, mulher mãe amada de todos os rincões,
credo e cor,
Distribuis graça, beleza, amor
És forte como Maria, mãe Idolatrada
És a fortaleza que acolhe o forte e abriga
o fraco, o consolo
o alento, a esperança dos aflitos.
Sofres calada ; ninguém ouve os teus gritos.

Em águas serenas ou bravias, Altiva, conduzes o barco.
Maria ! Este é teu nome, mulher amiga !
Exemplo de lutas, batalhas e lágrimas.
Que sejas tu querida, amada, respeitada !
Coração sublime que ao mundo dá a vida

Elton de Jesus, é de Ipatinga/MG.

-

ALBA

Adriana Manarelli

Sou uma virgem pura - Sou pura virgem
sinto uma mordaça em minha garganta
O mundo não é para mim !
Tudo me espanta -
Nada depois de você - Agora sou uma santa
Meus beijos são somente assim
Para os Anjos, para os querubins, os Arcanjos .
Desaprendi meus vôos de mariposa

Adriana é de São Paulo, da cidade de Araçatuba. Integrante do “Grupo Experimental da Academia Araçatubense de Letras (AAL)”. Vários outros poemas de Adriana estão no blog do amigo Everi Carrara: http://jornaltelescopio.blogspot.com/2009/01/adriana-manarelli.html

-

GOSTO DE IMAGINAÇÃO
Isabel Borazanian

No centro, no espaço ,
No percurso, um caminho,
Uma imaginação

Na volúpia, no tempero

Uma esperança, uma emoção
Nas raízes presentes,
as situações.
No olhar permanente
o lançar da percepção .

A criatura aparece

prá avivar ilusões,
Rompendo realidade
Mostrando o crescer
E a validade
Quando aceitamos
como normalidade
Habitarmos o contexto

Ilusão que vem flutuando
em sentidos compondo
Imagens que levam
o nome de fantasia
E tem gosto de imaginação

Isabel é de Guarulhos, da Academia Guarulhense de Letras, integrante do Grupo Literário Letra Viva e do conjunto musical Pé na Bossa. Maiores informações em www.bossanova.mus.br/anita.php

-Animation1

AS POMBAS
Valdeli Vila Nova

Vai-se a primeira pomba . Tonta.
Sobre os concretos rígidos da cidade
Vai-se outra mais.. Mais outra..
Sem tecer saudade.
Depois outra e outra.
Uma a uma vão-se elas.
Sacudindo as penas da manhã.
Sob o céu pálido. Amarelas.

E de madrugada

Quando o meu coração gélido, roto
Se arrasta com o vento
As pombas vão-se longe. Loucas.
E o meu coração sem asas,
fica pela vida.

E as pombas, uma a uma, voam

Vão-se todas as pombas
Sob o negro céu do meu País.
Prá nunca mais. Adeus pombais

Valdeli é de Guarulhos/SP . Vários poemas dele estiveram no fanzine Versos Livres,Suas atividades culturais estiveram divididas em literatura, teatro, recitais e eventos do Grupo Literário Letra Viva. Mais informações sobre o Valdeli em http://poetasdeguarulhoseoutrosversos.zip.net/arch2005-12-01_2005-12-31.html

-

“SEM TÍTULO”
Vinícius Gá

Incomodam-se ;
Não com o óbvio, que é a sede e a fome de
pessoas mais absurdas :
debatem sobre minhas alpargatas marrons...
( com meias cinzas )

Vinícius Gonçalves de Andrade é um jovem poeta de Guarulhos. Participa de concursos e saraus literários e é um dos diretores da FEBAC - Federação Brasileira de Alternativos Culturais. Visitem o blog dele : http://maromomi.blogspot.com/2009_12_25_archive.html

-

S O S
Mário Neves

Meus olhos são poliglotas
Falam de minha paixão
Falam, mas você não nota
Ou faz de conta que não ..

Esse pequeno poema de Mário Neves foi extraído do boletim informativo do Grupo Letra Viva. Maiores informações sobre o poeta estão no blog dele : http://mario-neves.zip.net/

-

VIDA
Regina Maria de Mello

Os sons são passadiços
As gotas caem como meteoritos
É chuva na certeza das horas que correm
É fonte de luz perene. São gotas de orvalho.

E na cerração forte, sinto-me tranquila.
Adormeço pensando na paz dos pequeninos
Na grande paz dos adormecidos.
E na canção, das horas, dos minutos,
Permaneço assim , pensando na chuva.
Na solidão dos deuses, crio metáforas.
Crio palavras do pensamento vão.

Por fim, sei do presente e do futuro,
Porque permaneço nas horas..
Sons, miragens do céu sem fim e sem limite
Imagens que as lembranças criam
Sentimentos de poeta,
criação também ilimitada
face às intempéries da Vida...

Também sou como a luz,
Transporto-me num vai e vem
Como as ondas do mar.
Repasso o tempo num continuar.

Regina é de Guaratinguetá/SP. Há muito tempo perdi contato com ela.

-

Nenhum comentário:

Postar um comentário