sexta-feira, 24 de setembro de 2010

IMPRENSA ALTERNATIVA

No post de hoje, mais uma publicação da cena alternativa. Dessa vez, o fanzine "Silêncio Atroz", de Salvador, Bahia. 

SILENCIO ATROZ

SILÊNCIO ATROZ
Poesias 
Editora : Kleide Keite
End: Rua Primeiro de Maio, 112 - Pernambués - Salvador – BA - 41120.120
-
A publicação "Silêncio Atroz" é um inúmeros fanzines editados pela baiana Kleide Keite, seguindo a estética tradicional do fanzineiro : colagens, desenhos, textos manuscritos e na velha máquina de escrever.
-
O fanzine, feito em uma folha de papel A4, frente e verso, traz poesias de temática gótica e da escola romântica. Não por acaso, alguns textos são de Álvares de Azevedo , Manuel Bandeira e novos poetas românticos.
-
A seguir uma pequena amostra dos poemas existentes no fanzine :

Cancao-de-amor

CANÇÃO
Christina Rossetti

Em minha sepultura
Ó meu amor, não plantes
nem cipreste nem rosas
Nem tristemente cantes.
Sê como a erva dos túmulos
que o orvalho umedece.
E se quiseres, lembra-te ;
Se quiseres, esquece.
Eu, não verei as sombras
quando a tarde baixar ;
Não ouvirei de noite
o rouxinol cantar.
Sonhando em meu crepúsculo
sem sentir, sem sofrer
Talvez possa lembrar-me
talvez possa esquecer

 http://www.luso-poemas.net/modules/news03/article.php?storyid=969

chuva

LÁGRIMAS DE CHUVA
Kleide Keiti

A chuva gela as lembranças
Sensual desliza em meu corpo
Meu semblante demente em saudades
Sentir o fluir amargo vultuoso

Teço meus versos tristonhos
No sangrar do vinho embriago-me
Ávido em meus devaneios
Ausente em neblina tão fria

Chuva erótica e boemia
Gotas autônomas
Me deixam sem ação

Centralizo minha dor
Na chuva que molhou-me
Deslizou sobre minha face
Como um toque caricioso
Sentir o céu chorar comigo...

Raiva 

RANCOR
Jurandir Marinho

Há tempos. Outrora
Distante no ontem
E indigestamente presente.

O mais terrível dos males !
Eu o extirparia se pudesse
Porém, tu és assim - Como disse o Gullar -
Doença !

Crônica. Enlouquece e degenera.
Pouco a pouco. Dia a dia.
Nos come vivos...
....sempre.
Intocável. Nocivo.
Se ao menos eu pudesse estrangular-te !
Nefasto, passas,
voltas,
ficas.
Cruel, asfixia e espanca a alma,
Ontem, hoje...
E sempre.
Até o fim !

-
Saiba mais sobre a poetisa K.Kleite :
http://infernoticias.blogspot.com/2006/11/conhea-sombrias-escrituras-um-universo.html
http://infernoticias.blogspot.com/2006/11/lady-vanishes-fanzine-de-temtica-gtica.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário