sexta-feira, 17 de setembro de 2010

VERSOS LIVRES # 08

No post de hoje , mais alguns poemas que foram publicadas no fanzine Versos Livres nº 08 . As imagens que ilustram alguns poemas são de Juan Miró.( http://www.allposters.com)

versos oito

AS CHAGAS DO AMOR
Jomont Saré

Pintei um coração no universo
Prá nunca esquecer de mim
Mandei lhe escrever um verso
Não em português, mas em latim..
Foi a única forma que encontrei
Pra entregar-lhe meu coração
Mas nunca irei esquecer
Desta nossa louca paixão ....

A paixão sentida vai à procura
Das cálidas palavras de amor
Que nas profundezas
Do coração perdura...
Nada nos separa desta paixão
Tão pura
Enquanto existir o amor
Vale a pena.

O amor nos cura.

Jomont é um dos poetas
de Guarulhos/SP

*

VOZ TAGARELA
Marilene A. Araújo

Tua voz tagarela
É como a espada do samurai
Uma lâmina veloz
feito a dor a morte e a solidão

É como o ódio
do machado no lenho
Rachando, decepando
A alma, magoando a mão

Tua voz corta mais que a adaga
É como o punhal que fere
Mas estanca o sangue

Jamais serás como o vento
Que se renova no Outono
Me lembras um toco
De uma árvore decepada
Um ladrão que espreita
Na madrugada

Uma estrada sem retorno

Marilene é uma colaboradora
do Versos Livres, de Minas Gerais.

*

031 

*

A NUVEM-FLOR
Ana Laura

Nuvem que brota
qual flor luminosa
De noturna montanha .

Lua oculta na nuvem :
Luz agasalhada no ninho.

Pétalas celestes, retorcidas
Pintadas sobre ramos retorcidos

De árvore sombria
Pétalas revoltas,
luz dramática

Imóvel tempestade
Em tons claro-escuros
De tormenta e bonança.

Do livro “ Novos Sonhos” . Ana Laura, é do Rio de Janeiro, e é médica, além de poetisa .

*

NUMA MESMA PRAÇA
João César Flores

Enquanto as crianças
Embalam seus sonhos
Segredos e medos
Em frenéticos balanços,
Ressoa no ar uma nova sinfonia
De choros, gritos e risadas
Na busca de outros brinquedos

Corre-se atrás da alegria
Em meio a este mundo
De fantasia, estamos nós
Tão crianças quanto eles
Com o mesmo ímpeto
Embalando nossos sonhos
Segredos e medos
Em frenéticos olhares

Como é excitante, bonito
E encantador correr para
os balanços, roda gigante
gangorras e escorregador
Fazendo da praça
Gostoso espaço e imenso palco

Como é excitante, bonito
e encantador estarmos tão perto
onde nossos gestos revelam
amor na mão que acaricia
Na lágrima que cai
No sorriso que alivia
No beijo trocado embalando
corações apaixonados
fazendo da praça
gostoso espaço e imenso palco

As buscas são iguais
Brinquedos, corações
Todos são especiais .
Os que nos diferem são as razões.
Brincar,correr,querer, e amar

Flutuam na mesma praça
Verdade e ilusão, na busca
de espaço, fantasia de palcos
Momentos de encanto e emoção

João é do Rio Grande do Sul e colaborou durante as primeiras edições do Versos Livres.

*

miro1

*

MIRAGEM
Doroni Hilgenbert

Na vida amena
que vai passando
tudo se acaba

Mas é em você
que encontro a calma
para o meu viver

Quando acaso aborrecida
Sem ter por quê,
lembro você
E meu pensamento
Se descontrai..

Na tarde mansa
que vai se pondo
Alegremente diviso ao longe
A sua imagem de semi Deus

Na noite densa
Tudo é mistério,
tudo é magia
Sua sombra chega
E em sonhos canta
Para eu dormir

Doroni é de Manaus /AM. Pedagoga, escritora .Saiba mais sobre ela em http://doronihilgenberg.blogspot.com/

*

PRIMEIRA VISÃO
Maria da Paz

Eu sou do estranho mundo da perversão
Sou do mundo dos mortos
Vivo na escuridão
Vivo as fantasias mais profundas
Sentimentos que vêm de um lugar oculto da minha alma.
E eu nunca a conheci
No mundo dos mortos as cores ofuscam a vista
Todo dia é festa porque a vida tem que ser vivida
Eu sou do tempo louco do Universo

Maria da Paz é de São Paulo e esse foi o único poema que ela me enviou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário