segunda-feira, 31 de maio de 2010

Imprensa Alternativa


A VOZ DA POESIA

A VOZ DA POESIA 3


Reg. sob nº 12132
Orgão de divulgação do Movimento Poético Nacional
Endereço para correspondência : R. dos Bogaris, 183 - 04047-020 - Bairro Mirandópolis - SP - SP

-

Patrono : Menotti Del Picchia
Presidente Honorário Fundador : S. Silva Barreto
Presidente do MPN : Walter Argento
Diretor de Redação: Adriano Augusto da Costa Filho
Redatores : Walter Argento e Frances de Azevedo
Diretor Responsável: Silva Barreto

-

O jornal traz crônicas, poemas,frases, informações sobre o MPN e sobre a literatura em geral.

-

AMOR FAZ POESIAS
Miguel Russowsky

O amor inspira... e dói. Sei porque sou poeta.
O desamor também, mas não o levo em conta,
Num amor, se fugaz, o que mais me amedronta
são as cinzas do após que uma ausência projeta.

A dorzinha do amor, entretanto, é discreta,
não machuca demais e por si se desmonta,
quando um beijinho atôa, escondido, desponta
em dois lábios gentis, de maneira correta.

O mistério do amor, sempre faz poesias,
quando dois corações encurtam as distâncias,
com relógios hostis no silêncio dos dias.

Sim, o amor é capaz de compor obras primas
quando a Insônia e a Saudade, as duas em ânsias,
conseguem se aninhar nos abraços das rimas.
( Joaçaba-SC)

*

FELICIDADE
Janske Niemann Schlenker

Quis escrever... e emudeceu a frase
que ainda há pouco eu consegui tecer.
Fugiu calada, quando pronta quase
e nem um verso eu consegui reter.

Fugiu! E tinha a maciez da gaze,
que não se escuta e nem se pode ver.
Fugiu meu verso... Estava pronto quase!
Um outro assim não poderei fazer.

"Felicidade", o nome que eu queria
dar a este verso que se foi calado;
mas nem ao menos tive esta alegria.
Felicidade, que eu não pude obter,
quem te encontrar, terá por fim achado
o verso que eu não consegui reter...
(Curitiba-PR)


voar2

VÔOS LIBERTOS
Carlos Moreira da Silva

Asas abertas cortam rude vento
suspenso o corpo em forte vibração,
navega a ave no novo e doce intento,
corta o espaço de encontro à viração...
(trecho)

*

SABIÁ
Rosina Léo Ramos

Voz de veludo, emérito flautista !
Quantos sonhos de amor, sonhos de artista,
Quanta harmonia tua voz encerra !
Lembra teu canto coisas ignotas,
és a alma do Brasil desfeita em notas,
Adorável tenor da minha terra !
(trecho)

*

TROVA
Dorothy Jannsson Moretti

Na taça de cada dia
a transbordar de amargura,
cai um pingo de alegria,
e o fel se torna doçura

7RXDD00Z

sábado, 29 de maio de 2010

VERSOS LIVRES # 04

 

Nesta postagem, mais alguns textos do Versos Livres nº 04

VERSOSLIVRES 4

EDITORIAL
Dos nossos erros, partimos para o conhecimento.  Agradecemos o carinho e as palavras de afeto que nos aquecem neste Outono frio e melancólico. VERSOS pretende ser o canal de divulgação e discussão da poesia contemporânea. Que os poetas conheçam e discutam a obra de outros poetas. Ler com os olhos livres. Aprender com a batida do coração. Brincar com as frases feitas e os lugares comuns como uma criança deslumbrada. Queimem-se nas fogueiras de São João e São Pedro. Recorram a Santo Antonio. Feliz Dia dos Namorados.

-

PROSA LIVRE
Frases roubadas de nossa correspondência

Sebastião Salomão - Ser artista é humano, ser perfeito é divino.
Anita Costa Prado - Se o futuro fosse previsível em sua totalidade, os videntes apostariam na Sena, nos cavalos, nos jogos : enfim, ficariam ricos.
Laércio Zaramela - Fazer poesia é uma maneira de expelir as emoções de forma harmoniosa. Meus versos eu não os busco, eles é que me perseguem.
Rosana R. Siqueira - Que tal colher os poemas como numa horta ? Onde possamos colher fartos e deliciosos poemas, ou simples e cotidianos versos ?
L A F Soares - A poesia é o reflexo do amor que brota da intimidade dos corações que amam.
Leila Biagioni - Fiz o meu dom em carma de escrever, queira ou não queira. Escrevemos poesias e histórias acatando a Vontade Divina.
Raimundo Tadeu - Sou um bom gourmet de palavras. Doce glutão do prato principal que é a poesia.
Emerson O Silva - Deus deu ao homem a tarefa de dar encanto e sentido à vida.
Marina Dias - O que a poesia une, a distância não separa.

_

ASSIM
Laerte Zaramela

Como todo ser humano
sofro venturas
e desventuras
porque
me pedes um sorriso ?

Não sorrio o riso
cênico, abstrato
Meu riso é interno
do escárnio
de mim mesmo

Laerte é paulista, da cidade de Rancharia,e durante um bom tempo, foi um dos mais freqüentes colaboradores do Versos Livres.

-

AO SABOR DA ROSA

ao sabor da rosa

João Maloca

Eu canto um canto geral
de versos revolucionários
Que clama os operários,
que clama os camponeses
A uma revolução total

O trabalhador na linha de produção
Em que aciona as máquinas
Que transforma em matéria prima
Capaz de enriquecer uma nação

O agricultor que agita a terra
Derramando sangue e suor
sangrando a terra

E, como resultado uma opulenta plantação
Capaz de matar a fome de qualquer nação
Surge o trabalhador
Num cenário festivo de exploração

   -

FILOSOFANDO
A.Ibrahim Khouri

Certeza
De que nada é absoluto
Nem o que se vê,
Ouve ou sente
O passado não pode
Ter futuro
Nem o futuro,
Ser cópia do presente..

Portanto o que pensei
Que era verdade
Não passou
De uma mentira boa
Corrigida pelo meu
Outro sentido

A luz da razão,
Que, às vezes, voa ..

O poeta, advogado e professor Ibrahim Khouri, é da cidade de Guarulhos/SP. É um dos fundadores e um dos membros mais ativos da Academia Guarulhense de Letras. Mais informações no site da Scortecci

-

viniciusdemoraes

VERSOS LIVRES # 04

VERSOSLIVRES 4
Mais alguns textos incluídos na edição nº 04 do Versos Livres.
  -
SEM TÍTULO
Laércio Zaramela

Os lábios se tocaram levemente
Num vôo cego das bocas
Deu –se o beijo, boca a boca
Concretizaram o anseio de beijarem
Trêmulos lábios enveredaram
Na volúpia e se queimaram
Em ardentes chamas

Laércio Zaramela, além de um poeta muito profícuo, tornou-se um grande amigo. Durante alguns anos, trocamos correspondência postal e atualmente nos comunicamos por email, embora com menos freqüência.
-
LEVEZA
Isabel Borazanian


As linhas do pensamento
Emaranham-se no espaço
No compasso, a brisa morna do dia
Adentra o meu interior
Percorre os sentidos
E quase esqueço de mim

Isabel Borazanian é da cidade de Guarulhos/SP. Isabel é escritora, artista plástica, fundadora do Grupo Letra Viva e membro da Academia Guarulhense de Letras.Também é compositora e cantora, integrando o Grupo Pé na Bossa.Saiba mais em http://www.penabossa.com/isabel.html

-
CosmoLuares___MulheresEstrelas___
ANOITECER
Ari Lins Pedrosa


As estrelas :
São vagalumes
Invadindo o céu

O alagoano Ari,da cidade de Maceió,esteve em várias edições do Versos Livres.Ari tem vários livros publicados e é um dos mais conhecidos participantes da imprensa alternativa. Saiba mais no Varejo Sortido  :
-
O TERCEIRO MUNDO
Volpe

Vejo meus semelhantes
Educados de maneira brilhante
Para não serem inconvenientes
Nem molestar a classe dominante

É revoltante ver a manipulação dos dirigentes.
 Fazem e desfazem o que lhes for conveniente.
E ao povo “educado” só resta obedecer
Culpados eles não o são
De sua eterna apatia :
Isso é problema de educação
Voltada para a serventia.
Há desinteresse para a situação reverter
A acomodação é natural
Nessa multidão foram educados para obedecer
O governo, os ricos e o patrão.

O amigo Volpe, de São Paulo, esteve em várias edições do Versos Livres.
  -
SEM TÍTULO
Tânia Diniz

Inexistente.
E sugado ( de) leite.
Do seio vazou
Uma estrela cadente .

Mais informações sobre Tânia, você encontra no excelente site da Revista Agulha 

VERSOS LIVRES nº 04

Na postagem de hoje, mais alguns textos publicados no Versos Livres nº 04.

VERSOSLIVRES 4

RASCUNHO PARA UM TESTAMENTO
Amaury da Silva Rego

Já vivi 38 anos.
Neste milésimo cigarro do dia, começo a preocupar-me com as coronárias...
Preparo um whisky para completar o ritual.
Senhor advogado, estas são as primeiras notas, para oso do inevitável evento :
1. Não deixo bens.
Plantei poucas sementes.
Entretanto, o solo anda meio árido.
2. Deixo minha pele.
Está um pouco marcada. Alguns riscos.
Foram artes da infância. Outras, porradas da vida.
Vê-se que não é muito bonita, mas , bem tratada,servirá como agasalho.
Outra opção é curti-la bem; poderá redundar em boa sola.
3. Meus olhos eram bonitos.
Hoje,
Apresentam vestígios do pterígio operado
E outro por operar. Mesmo assim,
São expressivos– enquanto vivos -
Leve-os imediatamente a um banco de olhos, pois as córneas
são aproveitáveis. 
4. As vísceras poderão alimentar  qualquer cachorro faminto.
Não as deixe estragar.
5. A gordura( fiquei um pouco obeso nesta puta vida pequeno burguesa )
Fornecerá bom óleo para qualquer candeeiro precisado.
6. Meu cérebro - pobre cérebro - tem muito fosfato.
Adube qualquer terreno estéril.
7. De resto, façam o que quiser :
os ossos darão bons artesanatos, ou, se triturados,bom adubo também.
N.B. Quanto aos coração, deixem-no sossegado
As coronárias estão meio obstruídas, mas o coração é grande.
É bom. Enterrem-no em lugar simples e bucólico. Não demarque o local.
Tenho certeza que lá brotarão flores. Corpo presente de amores deixados.

Esse poema do carioca Amaury, já foi publicado em vários sites e blogs da Internet, mas, ainda não era conhecido na cena alternativa , antes de ser publicado no Versos Livres,sendo, na ocasião, bastante elogiado pelo premiado poeta Miguel Russowsky

-

SEM TÍTULO
Marina de Fátima Dias

VOU TE AMAR
COMO A VIDA
ME PERMITIR

TE AMAR
SEM NADA PEDIR
SEM ME DECLARAR
SIMPLESMENTE
POR VOCÊ EXISTIR

VOU TE AMAR

A saudosa Marina de Fátima Dias, era do Mato Grosso do Sul e uma das mais ativas participantes da imprensa alternativa, tendo colaborado com diversas publicações. Ainda coordenou uma antologia poética e mantinha correspondência com pessoas do Brasil inteiro. Melhores informações sobre Marina, bem como sobre a imprensa alternativa, você encontra nessa crônica do Ricardo Alfaya: . Marina ocupa ainda a Cadeira nº 11, da Academia Momento Litero Cultural, criada pelo jornalista e amigo Selmo Vasconcelos ,

G7DCD00Z

SEM TÍTULO
Humberto Del Maestro

Ninhadas de estrelas
Andam ciscando o terreiro
Do céu infinito

O premiadíssimo escritor Humberto Del Maestro, de Vitória, Espírito Santo, Poeta, cronista, contista, ensaísta, editor do alternativo ‘Literatura & Arte’, também é presença constante no fanzine Versos Livres, e não somente porque é amigo do editor, mas porque é um talentoso poeta. Humberto também está presente na já citada Academia Momento Litero Cultural, criada pelo jornalista e amigo Selmo Vasconcelos - http://academiamomentoliterocultural.blogspot.com

-

SEM TÍTULO
Valdeli.

E outra vez
Chegando de longe
Ela me traz
Uma estrela
Um pedaço de sol
Uma fatia de plutão
O bolso cheio de infinitos
Me prometendo
O sonho mais bonito
E vazio
Um coração

O saudoso Valdeli Vila Nova foi poeta,escritor e professor de Guarulhos, com diversos livros publicados. Foi um dos fundadores do Grupo Literário Letra Viva e coordenador da antologia poética “Poetas, Graças a Deus.” Valdeli ainda teve algumas participações como ator.

-

BABEL
Jurema Barreto de Souza

Ergue-te Babel.
Decifrados estão todos os idiomas
Estás conclusa pedra a pedra
Tateio teus adros, tua curvatura
Perdida estou em teus corredores

Ergue-te Babel. Em chamas
estão todos os continentes
Do meu corpo que balbucia
A nova língua
Ultrapasso as lâminas do passado.

Escadarias, jardins
estão reconstruidos. Modificada
A paisagem que te abriga .
Mesmo assim arrisco nesta odisséia .

Ergue-te Babel. Penetra-me
com teu profundo silêncio
A nova linguagem, todos os idiomas
Para ti retornam em rebanhos
Arremesso-me de tuas alturas
Para nunca mais tocar o chão.

babel4

A biografia literária de Jurema Barreto de Souza é extensa, como pode ser comprovada AQUI  Jurema é uma das mais importantes editoras da imprensa alternativa, onde a sua revista A Cigarra é referência. Toda a trajetória da excelente revista A Cigarra pode ser conferida em http://revistacigarra.blogspot.com.

terça-feira, 25 de maio de 2010

 Onírico






















Purifico meu corpo em Lagos de silêncio
e fragrâncias de angelitude, na noite calma
e de penumbra do meu esquecido jardim.
Piscam Estrelas amorosas por toda parte
como Lantejoulas de suavíssimos revérberos,
tentando mitigar o frio que a madrugada traz.

Meus olhos se mesclam de ternura e magia,
a alma corre em busca de sonhos e nuvens ...
E a felicidade se precipita, abençoada e Tranqüila,
como um jorro inocente de orvalho e perdão,
sobre meus olhos


Humberto Del Maestro


In:Monólogos Íntimos e Alguns Sonetos.
extraído da publicação  Cotiporã Cultural
Edição e produção: Adão Wons.
Rua Marcílio Dias, 253 – Térreo - Centro.
Cep:95335-000 Cotiporã – RS

sábado, 22 de maio de 2010

IMPRENSA ALTERNATIVA


Algumas postagens deste blog, serão destinadas a divulgar as publicações independentes com quem mantenho intercâmbio, devido ao meu fanzine poético Versos Livres . Espero que assim possa ajudar a dar mais visibilidade a esses editores , abnegados guerreiros. Prá quem se interessar pelo assunto vale a pena ler o artigo de Luiz Carlos Amorim . Deixo aqui o link : Nos sites de busca da Internet encontram-se diversas informações sobre a gênese da imprensa independente e alguma coisa sobre a sua vitalidade. Inclusive no site do Observatório da Imprensa tem um artigo que indaga " Onde foi parar a imprensa alternativa? "

Nos posts deste blog espero poder demonstrar que a imprensa alternativa continua forte, unida e principalmente exercendo sua liberdade.

O post de hoje é sobre a revista "A Figueira", de Florianópolis.

  




















A FIGUEIRA

Órgão de divulgação do Grupo Literário "A Figueira", que se auto intitula "revistinha alternativa".
Fundador , Editor e Redator responsável : Abel Beatriz Pereira
Assessoria : Rosa Maria Pereira do Vale Pereira, Maria de Lourdes P. do Nascimento ,Terezinha do Nascimento Pereira.
Editoração : Eduardo T. do Vale Pereira.
-
A Figueira traz poemas, contos, crônicas, piadas, divulgação de obras literárias e outras informações sobre literatura.
-
Contato : Caixa Postal 21617 (Ingleses) - 88058.970 - Florianópolis - SC - F. (048) 3369.3098
-
A seguir, uma pequena mostra dos trabalhos publicados na Figueira :

 A Vida

 
A vida se resume numa herança
que tem como valor falsa esperança,
mantida na frequência da ilusão.
A vida, finalmente, eu não me iludo;
é o triunfo do nada sobre o tudo,
na troca deste tudo pelo chão !!

 
Hildemar de Araújo Costa
Salvador - BA
_

Colar de Trovas
Entre Filermon F. Martins e Lilian Maia 


Céu azul todo estrelado
sorrindo ao clarão da lua
e o meu peito apaixonado
a chorar a ausência tua.
(Filermon)

 A chorar a ausência tua,
lamentei minha agonia ;
com o Sol vi o breu da rua,
com a lua, a Luz partia
(Lilian)

-
Hai Cai  

Vejo, da montanha
a lua imersa no mar.
- um banho de Luz !

Humberto Del Maestro

 *
Trova 

 
Só faz o verso altaneiro
digno de uma obra-prima
quem se fizer prisioneiro
preso às algemas da rima

Abel Beatriz Pereira
Florianópolis- SC
-
Saiba mais sobre Abel Pereira em : http://www.poetaslivres.com.br/poeta.php?codigo=155
-

 

quarta-feira, 19 de maio de 2010

INTERCÂMBIO


TRISTEZA É QUASE COMO MORRER AO SOL ..….















Chegou e olhou para o poema que vivia debaixo de água.
Tinha a mania que era poeta. Sem demoras pescou-o,
e o poema secou,ainda nas suas mãos.

Roubado do blog Viver é Desenhar Sem Borracha. 
http://viver--desenhar-sem-borracha.blogspot.com

Postado por .".não crio juízo porque não sei o q ele come..".  


____























Canto
com uma voz
que alcance
muros, paredes, barreiras
internas ou aparentes

essa voz ínfima
que se torna a cada entoação
mais forte e ritmada

acorda os que estavam latentes
os que esperavam respostas
os que procuravam soluções

e, todos reunidos,
na praça do coreto,
de repente se dão as mãos,
e o coro se apresenta mais lindo
mais afinado que nunca


isto é um sonho?
isto é a sincronicidade?
todos se perguntam
mas isto é só,
simplesmente amor.



Eliana W. Alyanak

roubado do blog Fluires
http://poesiadeelianawissmannalyanak.blogspot.com



 

 

terça-feira, 18 de maio de 2010

INTERCÂMBIO

Milagre da Eternidade em um Abraço



















Mas o abraço era tão apertado,
tão apertado
que os corpos eram quase mais que colados.
Poderia dizer que eram um só.
Isso pra quem ver pudesse,
se pudesse.
Na verdade eram mesmo dois corpos
por onde a energia vital passara de um
para o outro ,
a temperatura a mesma,
os suores um mais outro menos.
Tão próximos que um podia sentir o hálito
do outro.
Dava a impressão que até o ar
passava de um para o outro.
Os pés tocavam-se de leve.
As mãos apertadas sobre as costas
não era o que os mantinha unidos,
por isso tinham liberdade
para percorrerem
um ao outro...
Sensações indefiníveis.
Silêncio que toca enquanto se tocando
permanecem.
Segundos minutos ...
não importa, a eternidade é muito , disse
de um tempo que não conta.
Mas as sensações não cessam
pelo contrário
Como que em cascatas,
Porque esse abraço assim tão eterno
não é nem sinal de calmaria ou monotonia
pelo contrário :
é parte de um ritual
cumprindo a profecia que surgiu de um presságio
numa noite de lua cheia.
Pois no abraço tudo tem seu início, talvez até o final.
Posto que o início se dá no abraço eterno na vertical
e termina com os corpos ainda abraçados
porém na horizontal...
Inicio e fim
ainda que por momentos ...
pra que tudo
re-
co-
me-
ce.

Catiaho Alcantara
roubado do blog Reflexo d'Alma e outros delírios
http://reflexodalma.blogspot.com/
_______________

quarta-feira, 5 de maio de 2010

VERSOS LIVRES # 04

Neste blog estou disponibilizando todas as edições do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo, cujo objetivo é a divulgação de poesias. Versos Livres é uma publicação alternativa, de participação e distribuição gratuitas, de periodicidade inconstante. Contato: Touché – touche.sp@uol.com.br . Na postagem de hoje, mais alguns textos publicados no Versos Livres nº 04.

VERSOS LIVRES nº 04

VERSOSLIVRES 4 
BOCAS

Luiz de Aquino

Não posso te ver sem que a boca
Por inteira se excite para beijos
Incontáveis

Mais que os lábios acariciantes
E a saliva que me sacia..
Mais que a língua suave e quente.
A passear com intimidade
junto à minha : O beijo
é a cópula de nossas almas
Singelas e gêmeas

O goiano Luiz de Aquino tem diversos livros publicados e é citado em alguns sites e blogs da Internet.

-

FRAGMENTO

Edinaldo Couto

Eu sempre fiz da vida um poema.
E do poema sempre fiz minha oração
Eu fiz da oração uma poesia.
E da poesia fiz também minha oração.

Eu sei dizer muitas frases bonitas,
sei amar em todas as dimensões.
Para os que me amam evidentemente,
Do primeiro ao derradeiro
eu faço versos de poeta apaixonado

Eu canto um mundo profético
De um futuro novo e cheio de esperança
Porque creio que ele virá
Um dia, não sei quando
Mas sei que virá .

E neste dia, recitarei alto e bom som
Meu poema que virou oração

Esse é um trecho do poema “Minha Oração”, do poeta e professor guarulhense Edinaldo Couto. Edinaldo foi importante no movimento cultural guarulhense, no sentido em que trouxe para a cidade, juntamente com Castelo Hannsen, os saraus literários que freqüentavam na cidade de Mauá. O projeto que prevalece até hoje com o nome de Encontro de Poetas, foi desenvolvido por Edinaldo , juntamente com o grupo Letra Viva ,com o nome de Recital de Poesia ,na Biblioteca Monteiro Lobato, de Guarulhos.

-

birds

ANO DOIS MIL

Emerson

Lá vão os passarinhos
Sacode a poeira e arregace as mangas,
é hora de aprender a acordar,
lembrando as oportunidades que tivemos
Agora, porque não fazer o amanhã ?

Sabei que a noite antecede a aurora ?
Porque não sermos a mãe da aurora ?

Seu civil, ajude um soldado !
Seu soldado, ajude um civil !

E todos os povos vão se movimentando pela Internet.
Tal a globalização . Tal o novo sistema pós moderno
Aqui temos abacaxi e Carmem Miranda. Tudo é oferta!

Tarcísio Meira em O tempo E o Vento.
Francisco Cuoco e Glória Pires.
E navego em teus pensamentos que ainda são livres e bonitos...

Mas é na quietude de um sebo que conheço a imortalidade
E a calma dos gigantes vultos ergazes e vorazes
É a terapia do conhecimento
Que não é vento, mas Nirvana

Porque não nos movemos e damos uma chance aos mortais
Aos verdadeiros seres humanos ?

Sou o poeta do Século XXI
Nada mais me assusta
Nada mais me deixa confuso
Leio Nostradamus e fico pensando se não deixo o pessimismo de lado
E não volto ao otimismo que é uma graça puramente divina
inerente ao que vive

E aí vem Carlos Drummond e até Machado de Assis
Consolar meu coração
E peço a Deus mais paciência e mais compaixão

Emerson é da cidade de Cubatão, do Estado de São Paulo. Além desses poemas contemporâneos, Emerson me enviou alguns textos esotéricos e esses basicamente, eram os temas em nosso intercâmbio postal.


A M O S T R A  G R Á T I S

Essa coluna do fanzine é dedicada a divulgação de trechos dos livros que recebo.

“Venho de todas as partes
Para todas as partes vou
Arte sou eu entre as artes
Nas montanhas, monte sou
Eu sei os nomes estranhos
De muitas ervas e flores
Conheço mortais enganos
E sei das sublimes dores
Eu vi numa noite escura
Chover-me à cabeça acesa
Os raios da luz mais pura
Com sua divina beleza “

do livro VERSOS SINGELOS.José Marti.
trad. Sidnei Schneider. SBS. R. Demétrio Ribeiro, 1040-1ª and. 90010.231—RS

*

Inefável labareda.
A borboleta a voar
Parece um lenço de seda
Que um anjo esqueceu no ar”

do livro TROVAS, HAICAIS E OUTROS POEMAS. Humberto Del Maestro. CP 45006. Laranjeiras. 29165.230—ES

”A trova é um poema grácil
Que surge
de um mundo etéreo.
Prá quem sabe é bem fácil.
Prá quem não sabe é mistério “

do livro TROVAS, HAICAIS E OUTROS POEMAS. Humberto Del Maestro. CP 45006. Laranjeiras. 29165.230—ES

*

Traços de solidão
Vestígios de alegrias
Poesias e na noite que cai
Fragmentos de um coração

Recolho . Longínquo
vai meu pensamento
Prá além da razão .

Iníquo qualquer sentimento
Pincéis esboçando
em tormento . Buscando
Encontrar solução.

do livro FRANCO POEMAS. André Arruda.
Lilivros. F.(011) 432 4209

*

passion

Estava passando por uma rua,
quando vi a beleza que é sua .
Eu o vi e me encantei
Aquele minuto parecia
A eternidade
Descobri que é de verdade .
Eu me apaixonei
Aquele minuto valia ouro
Mas acabou de repente
Ele me olhou mas fingiu
Que eu fosse transparente
O negócio é esquecer . Mas como ?
E se eu o rever ?Ai, acho que não jeito
Tenho que reconhecer
Às vezes, o amor é imperfeito. “

poema MINUTO , de Vanessa Cunha Mébus, 11 anos.
do livro  ACADEMIA POÉTICA DA E.M. VILA FELIPE .
R. 24 de Maio, 04- Centro– Petropólis.RJ 25640.000.
(24) 243.6302
)

-

IMPRENSA ALTERNATIVA

“Imprensa Alternativa’ é uma coluna criada para acusar recebimento de publicações alternativas e também para divulgar os respectivos endereços, para possível intercâmbio .

*JORNAL ARTE REAL– CP 1133. CEP 20001.970 –RJ
* JORNAL GAUCHO DE POETAS . CP 9512.CEP 90560.004
*ORGÃO LITERÁRIO AMO .Sogrames CP 9512. CEP 90560.004
*KOISA LINDA.R.Liberdade,182.CEP 14085.250 .Rib.Preto.SP

* FRANCIS NEWS . R.3,351/304-E Rural.Setor Central.CEP 74023.010.Goiania.GO
* O CAPITAL .R Laranjeiras,996.CEP 49010.000. Aracaju.SE
* GLAN. CP 84002.CEP 27251.970.Volta Redonda. RJ
* INFORMATIVO APPERJ.R. Oscarito, 61.CEP 22743.730.
* INFORMATIVO ANE.CP 100141.CEP 24022.970.Niterói.RJ

* LITERATURA E ARTE.CP 45006.Laranjeiras.ES CEP 29165.250.
*TREM DAS SETE.Av Pinheiros, 741/202.Imbiribeira. CEP 51170.120.Recife.PE
* LEIA AMIGOS. CP 11052.RJ.20236.970
( Recebemos e agradecemos )

Image2

segunda-feira, 3 de maio de 2010

VERSOS LIVRES # 04

Neste blog estou disponibilizando todas as edições do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo, cujo objetivo é a divulgação de poesias. Versos Livres é uma publicação alternativa, de participação e distribuição gratuitas, de periodicidade inconstante. Contato: Touché touche.sp@uol.com.br

VERSOSLIVRES 4

SEM TÍTULO
Robinson Benedito Chagas

Dentro do casulo
Sonho triste de lagarta
Serei borboleta ?

Uma parte do currículo de Robinson está nesse endereço :

-

PEDRAS SOLTAS
Regina Maria de Mello

Lua, grande flor do espaço
Gravitando, evoluindo no éter cósmico
Paira sobre os telhados umidecidos
Pela nívea garoa, branquejando a paisagem,
ora pelas gretas

Ora pela serena e pálida rosa.
Lampiões ainda acesos
Pedras contando enredos,
Historiando a última viagem da noite.

Plena e bela, leve e fina.
Papel de linhas certeiras,
Caminho certo, o da lua...
Só o meu caminho caminha incerto.

Na grande certeza das horas..
Do semblante marcado, correto
Voando sempre
Ao sabor da noite fria.

Regina é de Guaratinguetá/SP

-

A IRA DA NATUREZA

NATURE2
Rubens

As nuvens estão soltas no ar
Procurando um lugar para ficar
Procurando um lugar pra descansar
Fugindo do tempo selvagem
Criando uma tempestade
Prá se vingar de nossa ignorância

A ira da natureza
É o símbolo da revolta de Deus

O peso sobre a atmosfera
Convencendo que é o final da era
Guerras, doença, maldade
Fome, violência, ruindade...

A ira da natureza
É o símbolo da revolta de Deus

O dia obscurecendo
E sem lunetas, alguns estão vendo
O eclipse solar
Sem nem ao menos pensar
Sem imaginar o que há de mais bonito.
No que é pleno e infinito
No que alivia os aflitos
Amor, amor, amor

E a ira da natureza
É o símbolo da revolta de Deus

Rubens é de Guarulhos/SP. Vencedor de alguns concursos literários e colaborador de algumas publicações alternativas. Trocamos correspondência por algum tempo, que foram ficando escassas até cessar, e acreditem, por preguiça de nós dois.

-

INTEGRAÇÃO
GLENDA MAIER

POR UM MOMENTO
PERCEBI
QUE PÉTALAS DE FLORES
NO ASFALTO
SÃO MUITO PARECIDAS
COM ESTRELAS
NO INFINITO DO UNIVERSO

Glenda Maier é participante ativa no movimento cultural/literário do Rio de Janeiro.Integra a APPERJ,Associação dos Poetas Profissionais do Rio de Janeiro. Tem diversos livros publicados,é uma excelente cronista e educadora. Muito mais sobre ela pode ser encontrado no blog do incansável Selmo Vasconcellos : AQUI. O site da APPERJ é http://www.apperj.com.br/

-

BRUMAS
Maria do Socorro Xavier.

————— PARA ——————
onde fores levas contigo
a chama de uma esperança
————————————————————
 de onde voltares
 carregas sempre
 as brumas frias de uma
 qualquer desilusão

Tudo o que você quiser saber sobre a trovista e colunista Maria do Socorro Xavier, você encontra no site do Soares Feitosa :