terça-feira, 29 de junho de 2010

IMPRENSA ALTERNATIVA

POSTAL CLUBE – O JORNALZINHO

jornalpostalclube

Informativo bimestral do Postal Clube
(Amizade com Poesia)
http://www.imagina.com.br/postalclube/

O Postal Clube é um informativo dos sócios do Postal Clube, editado por Araci Barreto da Costa. Com registro no Escritório de Direitos Autorais do Ministério da Cultura nº 106935 Livro 157/fls. 91.

A publicação traz frases, poemas , contos, crônicas, relação dos aniversariantes , divulgação de livros e jornais da imprensa alternativa , divulgação de concursos e eventos literários.

A história da publicação e maiores informações estão na página do Postal Clube na web, no endereço http://www.imagina.com.br/postalclube/

Humberto Del Maestro, Eno Theodoro Wanke,Arlindo Nóbrega e Djanira Pio, são alguns dos nomes que fazem parte do jornal Postal Clube :

 
QUADRA
7021338-lg 
Humberto Del Maestro

Sou simples e nada afeta
Os meus costumes banais,
Mas me orgulho em ser poeta
Escrevendo madrigais
______________

TROVAS
Eno Theodoro Wanke

Poeta é alguém que procura
Iluminar tudo e nada,
Baseado na arquitetura
Das nuvens da madrugada !

Suave lua se eleva
E um doce véu se desata,
Vestindo a nudez da treva
Com leves sonhos de prata !
_____________________

SE DEUS ME DESSE
POETA2
Arlindo Nóbrega

Se Deus me desse o dom
De meus versos improvisar
Me sentiria um mestre
Na arte de versejar.
Um poeta de mão cheia
Preso livre da cadeia
Um menestrel ao luar.
Conversar com rimas quentes,
Qual o poeta cantador
De meu sofrido Nordeste
Mas sempre cheio de amor.
Ah, meu Deus, que bom seria,
Respirar só poesia
Neste mundão de horror..
__________________

UMA PAREDE
Djanira Pio

O homem foi, com os outros, pegar tijolos caídos do caminhão, pelo excesso de carga, no acostamento da via carroçável.Em casa, ajudado por vizinhos como ele, pobres, ergueu uma parede em seu barraco. As crianças observaram curiosas. Aprendiam. Depois, a mãe falou : “ – Agora eu tenho uma parede de verdade ! “. Os olhos do homem marejaram, mas ninguém reparou.

sábado, 26 de junho de 2010

VERSOS LIVRES # 05

 Neste post, ainda mais alguns textos publicados na edição nº 05, da publicação Versos Livres

VERSOSLIVRES 5

EDITORIAL

Felizmente existem diversos informativos de literatura. De qualquer formato e cor. Muitos mais deverão existir e VERSOS estará entre eles, de braços dados, formando uma trincheira. Resistiremos ao monopólio da Grande Imprensa, que apenas abre espaço aos famosos. Os mesmos famosos que já passaram pelos alternativos,onde estão com certeza, os futuros famosos. Pretendemos, aos poucos, divulgar endereços desses pequenos gigantes da resistência, para que você conheça, entre em contato, e colabore.
Esse espaço é seu. Que escreve. Que tem o privilégio de conseguir expressar os seus sentimentos. Quantos não gostariam de estar em seu lugar ? OS EDITORES

-

PROSA LIVRE
Frases roubadas da nossa correspondência

- Infelizmente o poeta é um marginal. Mas não há um ser humano sequer que não se encante, que não sonhe enfim, que não inveje sua sensibilidade e seu Amor á vida e à Arte.( PAULO CESAR BASSETI)
- Não fique melancólico nunca, a alegria comanda a nave da vida para as estrelas brilhantes e lindas ( LEILA BIANGIONI) 
- Os anos passam... E parece impossível para nós , autores, podparar. ( HÉLIO MILITÃO)
- Aquele que não sonha, não tem começo de nada ( RUBENS O SANTOS)
- Escrever é a expressão intrínseca do indivisível que o criador passa para o mundo exterior ( LAÉRCIO ZARAMELA)
- Dificuldades são pequenos espetos que nos instigam e nos torna teimosos e a Poesia mais imprescindível ( JUREMA BARRETO DE SOUZA)
- Procurem escrever seus poemas com clareza e transparência, pois a Arte é do povo. Poesia é perfume, por isso, deve ser pequena, lançada em gotas. Poesia é momento, sensibilidade, delicadeza, mas todo poeta que se preze necessita saber tudo sobre sua arte ( HUMBERTO DEL MAESTRO)

-

ESTA É A TAL DA AGRESSÃO

gente4
Valdeli Vila Nova

Não há paz e nunca mais haverá
Paz neste mundo, nesta terra.
Nasci no momento exato,
Sou filho do mesmo Deus e vivo.
Minha vida é um muro de terreno baldio,
Onde todos os subversivos
Picharam suas emoções.

Meu quintal é um campo de concentração,
Onde morrem milhões de sonhos
Todos os dias todos os olhos,
Entevados nas veias amassados nos nervos
Perdidos nos labirintos da história.

Meus vizinhos são seres estranhos.
Sou um estranho para todos.
Carrego dentro deste meu peito
Um aviso tamanho : sou gente !
No entanto, como toda gente,
Sou falso, egoísta, amigo, enganoso
Pecador , invejoso, carinhoso, sensível
Sou um ser concreto e estranho
Meus amigos dão-me as costas,
Quando lhes dou as verdades das coisas.

Com a mesma mão que me atiram flores,
Atiram-me pedras. E eu as guardo
Com o mesmo carinho, pois,
Tudo confirma a minha existência.

(Em posts anteriores já escrevi sobre Valdeli. Valdeli foi um artista muito importante para a cultura underground da cidade de Guarulhos. Como poeta e escritor deixou seu legado espalhado em diversas atividades: como ator, como escritor participou da fundação do Grupo Literário Letra Viva e deixou diversos livros de poemas. ativo no movimento literário guarulhense entre as décadas de 70 e 90, Vilanova se formou em Educação Artística pela Universidade Guarulhos. Como ator, atuou em várias peças teatrais adultas e infantis. Leia mais sobre Valdeli 

-

ME PERGUNTAS SE TE AMO....
Raimundo De Magalhães

Me perguntas se te amo
E o que digo, não mostra,
O quão do amor te flamo
O quão do querer me invisto
No olhar do sorrir que dispo,
Cada vez que te amo....

Pois se demonstrar fosse previsto
O quão do amor te flamo
Meu Deus !.... O mais ínfimo dum cisco
( como medida )
Pesaria a imensidão d'oceano !

Raimundo é da Paraíba e colaborou em diversas edições do fanzine Versos Livres e de outras publicações alternativas.

-

quarta-feira, 23 de junho de 2010

VERSOS LIVRES # 05

 

Neste post, poemas de Selmo Vasconcelos, Reinaldo Sá e Anita Costa Prado, entre outros. Mais alguns poemas constantes na edição nº 05 do fanzine Versos Livres. 

VERSOSLIVRES 5

TEU SORRISO
Sebastião T. Salomão

Desabrochar de uma rosa
Teu sorriso

Límpido como água de um rio

Teu sorriso
Magnifico como uma gaivota a voar sobre o mar

Teu sorriso
Majestoso como o colibri a voar sobre uma flor

Teu sorriso
Claro como um dia de sol

Teu sorriso
Necessário como a chuva

Teu sorriso
Poético como a lua

Teu sorriso
Belo como um recém- nascido

Teu sorriso
Gracioso como uma pomba a voar

Teu sorriso
Uma dádiva de Deus

Sebastião Salomão é de São Paulo. É mais um poeta do meio alternativo que trago para o mundo cibernético,que,espero tenha mais visibilidade que o fanzine de papel.Me correspondi com ele por pouco tempo. Sebastião gosta muito de Shakespeare.

-

SEM TÍTULO
Selmo Vasconcelos

Te levei
para o mundo dos sonhos
e o meu medo agora
era acordar

Além de escritor, com diversos títulos publicados, Selmo é um dos mais atuantes participantes do mundo das publicações alternativas até hoje, haja visto o relevante trabalho que vem prestando com as suas colunas em jornais e no seu blog. Confiram

-

SEM TÍTULO

!cid_0C26C77A-F24B-4582-A47B-CFFF68C302E4
Reinaldo Sá

Não deveríamos ter perdi
do
O gosto pela terra molhada
E nem
pelas folhas
Das plantas
Porque agora
Que nos bate na cara
O construtor de muros,
Nos faz falta
Algo natural e
pacífico

poema extraído do livreto “Cadernos Negros”

-

CORPO E ALMA
Emerson Oliveira

Sou poeta do Ocaso
Sou poeta do descaso e do descanso...

Sou poeta do absurdo
E também do hilário,
do seguro e do naúfrago
Do mendigo e do Presidente,
Do mudo e do cantor...

Sou poeta da vida e da morte
Do equilíbrio e do desespero
Do Brasil que é um continente,
Cheio de povos, raças e crenças
E do mundo que é o mundo como é
Do nacionalista e do anarquista,

Sou poeta de ninguém e de todos,
Sou poeta da frustação que não tive
Poeta amigo dos povos...

Poeta da satisfação plena que
Morrerá comigo...

Sim, sou poeta do amanhecer
E do anoitecer, da realidade e da ilusão.
Sou poeta desta nova civilização..
Sou eu cogitando coisas,
que anda prá lá e prá cá..

Sou eu matutando incansável,
O poeta do novo milênio ,
O poeta discreto e cara de pau ..

Mas sou poeta que batalha,
Sou a batalha que nasce
Por um amanhã melhor...

Sou poeta que transforma o sangue
Em poesias e descansa nesta aventura
De fazer do mundo elegia divertida.

Sou poeta.. De Jesus e de Santa Maria
De todos os homens e mulheres
Sou poeta dos excluídos e
dos privilegiados..... Sou poeta ...

Emerson é um poeta da cidade de Cubatão, São Paulo. Chegou a colaborar em algumas edições do fanzine

-

QUASE FELIZ
Anita Costa Prado

Estive perto do Paraíso
Olhos azuis me iluminaram
Mas os espinhos desviaram
Por pouco não perdi o juízo..
Eu fui quase feliz
Faltou só um pouquinho
Deus tirou do meu caminho
Um anjo chamado Liz
O céu agora é seu lar
A solidão, o meu medo
Porque ela partiu tão cedo ?
Aqui fico a indagar

Anita é de São Paulo e é mais conhecida no meio alternativo como cronista e romancista e também como criadora da personagem Katita. saiba mais sobre Anita nessa entrevista ......

-

quinta-feira, 17 de junho de 2010

VERSOS LIVRES # 05


 No post de hoje poemas de Leontino Filho, Castelo Hannsen e outros, constantes no fanzine Versos Livres, nº 05

VERSOSLIVRES 5

QUERO-TE
Leontino Filho

Ouço a plástica dramaticidade do teu pavor
Corte nostálgico meu contraponto
Ouço o tranquilo efeito do teu susto
Clássico bouquet meu contra-senso

Aguento a tua ingenuidade- picante tristeza
Dos nossos encontros oculta leveza
Aguento a sensual intensidade do teu halo
Fenece em mim o inteiro bálsamo
Das nossas expressões laterais
Desvendo ousadas saídas conheço vestígios
Atravesso contigo imaginárias paixões

Apago o candeeiro das breves mudanças
Irreverências artifícios contrastes
Como estímulos que partem errantes
Afasto as novidades acuado em mim

Não nego : meu desequilíbrio
é estar prenhe de ti

Leontino é um poeta e escritor do Rio Grande do Norte .. Leia mais alguns poemas dele em UMA COISA E OUTRA  e LUA CHEIA

-

TEMPO DE MÃOS DADAS
Castelo Hannsen

Agora eu sei
Que cada alvorada traz um novo sol
E cada sol é um dia
E que na sucessão das madrugadas
Está chegando o tempo de mãos dadas
Está chegando o tempo da poesia

Agora eu sei
Que a dignidade humana, a verdade
A ternura, o amor, a liberdade,
Cuja morte eu cansei de lamentar,
Não morreram estavam hibernando,
Mas que esse longo inverno está findando e está chegando
O tempo de acordar

Sete anos, mais sete, se passaram
E talvez outros sete passarão.
Mas eu posso esperar, me preparando
Pois o cheiro do povo está mostrando
Que é tempo agora de dizer um não

Agora eu sei
Que nossos mortos foram sepultados
Que nossos prantos foram enterrados
E a terra os devolve, satisfeita..

Nossa dor, nosso suor e luto
Foram semente boa, deram fruto
E está chegando o tempo da colheita..

Castelo Hannsen esteve em diversas edições do fanzine Versos Livres e no meu outro blog Poetas de Guarulhos ...Castelo é referência na cena cultural da cidade de Guarulhos, como pode ser comprovado no site GUARULHOS  e WIKIPEDIA

-

BUSQUEI- TE

Lolita_Lavita_by_mycharliegirl

Gil

Sòzinho eu estava,
Busquei-te nas minhas madrugadas
Te via por entre sombras
Teu vulto suave, tuas formas sensuais

Teus longos cabelos,
emaranhado de fios, entrelaçavam
meus dedos com carinho
Nos meus lençóis o calor suave
de teu corpo, em meu peito o latente
Pulsar de teu coração de amor.

Eu te amava, em sonhos te procurava,
E você, você não estava..

A madrugada rompe a manhã ensolarada
Acordo suado, você não está mais aqui,
Foi apenas um sonho,
Um lindo sonho de amor .

Gil é um poeta da cidade de Guarulhos, seu nome é Gilmar. Chegamos a trocar correspondências por um curtíssimo tempo e essa foi a única poesia que ele enviou para ser publicada no fanzine.

-

MINHA JANELA
Paulo César Basseti

De minha janela eu posso ver estrelas
De minha janela eu posso ver o luar
E a cidade que adormece no manto
negro da noite ,
por um instante lembra-se de sonhar

De minha janela que o vento acaricia
Vejo sombras informes e barulhentas
Ouço o diz que diz que das folhagens
Que dos vaga-lumes e grilos
Se dizem ciumentas

Desta janela vejo o mundo
Que passa veloz, e eu estático,
Limito-me a assistir :
Meus versos preenchem tanto
O pensamento , que o vento
e as estrelas não ousam seduzir !

Da janela do meu quarto
Estendo os braços para a noite,
Suplico que me abençoe
Com seu hálito suave, e o orvalho
cai tranquilo, refrescando o coração

Vou fechar a minha janela !
É madrugada. O sol já vem !
As estrelas se apagam. O vento
vai-se embora: Espera, meu amigo!
Para lá eu vou também ...

Paulo César Basseti é da cidade de Piracicaba /SP. Poema enviado através de carta.

-

LUCCE
Touché

Luz intensa, tensa, sensitiva. Que ilumina
os corações e aponta os caminhos..

Luz que cega, pega, domina
Que tanto pode ser do sol
Quanto dos anúncios luminosos..

Luz do amor, que é também da dor,
E que também se apaga..

com o passar do tempo,
Ou com as pessoas volúveis

Luz que bronzeia, clareia, ateia
Fogo às  veias e que  faz ansiar..

Algo de tão mágico entre os cabelos,
Algo de tão trágico em um certo olhar...

Luz que  fascina, anima, ensina
o círculo de fogo do amor !

Enfrentar o perigo dos exploradores
E estar sujeito, como sempre,
à mesma velha insolação.....

Lucce é um antigo poema meu, que fala sobre sobre a esperança. Meu email é touche.sp@uol.com.br 

-

terça-feira, 15 de junho de 2010

VERSOS LIVRES # 05

No post de hoje mais alguns poemas constantes na edição nº 5, do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos/SP

VERSOSLIVRES 5
-

POETA
Maria do Socorro Xavier

O poeta é como o amor
Fala uma linguagem singular
Não tem pátria, religião e cor
Dilata longínquas fronteiras
Que o poeta nada tenha
Mas não lhe falte
O vocábulo da emoção
A transposição do sentimento
Com beleza e alma
Recôndito do seu ser
Universo também de outros seres
A poesia é aquela mágica
Que faz o feio ficar bonito
O cego ver
O mudo perante o mundo falar
A terra conhecer o céu
Faz da realidade mais crua
Um universo aberto
Com mil possibilidades
De estrelas iluminadas
Mesmo nas trevas
Da mais escura noite

Pernambucana, radicada na Paraíba, Socorro Xavier é presença em várias publicações alternativas. Mais informações sobre ela na Agulha

-

SEM TÍTULO
Hélio Militão

A vida é simulação de poesia
É verso e reverso
O que mais temo é que um dia
Finde a inspiração, e, me fira
A turbulância do próprio-verso....
Gente.. Neste mundo de riquezas
E pobre de dinheiro e de espírito
Vivência... Vegetando.. Se este mundo
Fosse perfeito, se fosse bom,
Nele ninguém nascia chorando ...
O grito inesperado agride,
O silêncio oportuno é uma prece
A vitória agasalha aquele que trabalha
Que vai à luta, que tem fé..que se esforça
Que se empenha,e que nunca esmorece..

Hélio é de São Paulo, tendo participado de diversos eventos literários na cidade. Durante muito tempo, trocamos correspondências,descobrimos ter amigos comuns aqui em Guarulhos e até fizemos uma poesia em parceria, que infelizmente eu não lembro . Depois, perdemos contato. Mais informações no site JASA  ... e em SMP , onde tem até uma foto dele.

-

SEM TÍTULO

Desabafo

ANDRÉ ARRUDA

DESDE PEQUENO
ME ENSINARAM QUE AMAR É DIVINO
DEUS É AMOR , ELES ME DIZIAM
MAS NÃO AMAVAM ELES NÃO ME AMAVAM
E NÃO SE AMAVAM TAMBÉM
MAS, EU CORAJOSAMENTE
DECIDIDAMENTE, IMPLACAVELMENTE,
AMEI-OS TODOS
EU
JÁ ERA UM DEUS E ELES NÃO SABIAM

Poema extraído do livro “Franco Poemas”, de André Arruda, que me foi gentilmente enviado pelo autor.

-

SENHOR DO IMPOSSÍVEL
Pulsar

Sou o elo entre as paralelas :
Caminho para as teus sonhos :
Arco-Íris de infinitas cores
Luz do teu negro mundo:
Encontro do sol e da lua,
Séptula que sustenta-te o amor ;
Sorriso ingênuo dos meus pequeninos
Sabedoria dos velhos de espírito
Oásis de todo peregrino;
Mãos que acalmam o furor das tempestades
Saída para qualquer droga,
Amigo certo das horas vazias
Cálice do teu fel
Sangue da tua preciosa vida ;
Horizonte de teus olhos,
Aroma da primavera
Poeta dos poetas
Senhor do impossível
Ainda assim, sou singelo grão de areia;
E meu Pai. A Grande Montanha..

Esse poema me foi enviado por carta de Taubaté/SP, assinada apenas com o pseudônimo Pulsar

-

SIMPLES QUERER
Nefert Irã

Queria eu entender o Homem
Mas, como entender o que Sou ?
Queria eu entender a Vida
Mas, como entender o que tenho de complexa simplicidade ?Queria eu entender o ínicio de tudo
Mas, como entende-lo,
se sou o fim?
Queria eu ver o teu rosto
Todas as manhãs
mas, como ver-te se o que tenho
É só o espelho ?
Queria eu sentir o seu calor
E ouvir teu som mais íntimo,
Mas, como faze-lo se vivo só ?
Queria eu querer não te querer
Mas, como, se és tu
quem me fascina ?

Nefert Irã é um poeta e ator da cidade de Guarulhos/SP. Poema extraído do livreto “Aos Poetas”

-

a

sexta-feira, 11 de junho de 2010

VERSOS LIVRES # 05

Neste blog estou disponibilizando todas as edições do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo, cujo objetivo é a divulgação de poesias. Na postagem de hoje, alguns poemas da edição nº 05.

VERSOSLIVRES 5 
-

QUESTÃO DE UTILIDADE
Glenda Maier

Seria bom se soubéssemos aproveitar o amor enquanto está conosco !
A vida é tão efêmera.
Felicidade faz visitas breves aos corações humanos
Vivemos enredados em problemas
Sonhando com o que ainda não temos
Sem tempo para usufruir daquilo
Que ao nosso lado está
E o amor permeia instantes que não percebemos..

Loucos, sim, somos loucos
Vibramos apenas aos sopro da paixão
Enquanto o amor, brisa suave, se oferece inteiro
Num sorriso inteiro , num olhar ternura,
Repleto de ventura, buscando o nosso olhar..

Seria bom se soubéssemos amar estes instantes
Abrindo o coração a todo aquele amor que é
Um visitante tímido, inesperado e breve
Que marca nossas vidas com eternidade
Pois mesmo em sendo só saudade
Ainda é o que nos faz viver.

Glenda Maier é do Rio de Janeiro e colabora em diversas publicações independentes. Maiores informações sobre ela no blog do amigo Selmo Vasconcelos .Glenda Maier é também uma ótima cronista, como pode ser comprovado nos sites Portal Em Foco e Sala de Leitura 

-

IMPRENSA ALTERNATIVA
A coluna Imprensa Alternativa era destinada à divulgação de endereços de publicações literárias da imprensa independente que eram enviadas para o fanzine.

IMPRENSA LITERÁRIA- CP 1133. Rio de Janeiro- RJ-20001-970...
NOTÍCIAS DA CORTE DE SOLIMÕES - CP 2804 -Manaus-AM- Cep 69005-300 ...
O LITERÁRIO- CP 8109 -Rio de Janeiro- RJ -21032-970 ..

VIRA MUNDO
- CP 88- Pau dos Ferros -RN - 59900-000..
MOMENTO LÍTERO CULTURAL
-CP 1335 -78900-970 - Porto Velho- RO ...
NASCENTE - R. Jangadeiros Alagoanos, 455 - Pajuçara - Maceió - AL - 57030-000 ...
CONTAGIA POESIA- R, Francisco Portela, 2737 -casa 1 -fds - Bairro Zé Garoto - São Gonçalo- RJ - 24435 -001 .
INFORME ROSE'S - R. Espírito Santo, C 17 - Q 101 - CPA 2 - Cuiabá - MT - 78055-410 ..
JORNAL DAS LETRAS - R. Willy Klein, 978 - Morada do Vale - São Sebastião do Caí - RS - 957600-000 ...
TAL E QUAL - CP 8290001-970 - Porto Alegre - RS ...
AÇÃO POESIA - CP 85 - Ferraz de Vasconcelos - SP - 085000-000 ...
A PIPOCA- CP 2453 - Rio/ RJ - 20001-970 ....
REVISTA DA POESIA - Praça Cívica, 02 -Setor Central- 74003-010- Goiania/GO ....

-

AMOSTRA GRÁTIS
A coluna Amostra Grátis apresentava trechos de livros que foram enviados ao fanzine. Nessa edição nº 05, foram apresentados poemas do livro Resquícios Ponderados, de Selmo Vasconcelos

capa_resquicios

DESABAFOS
Selmo Vasconcelos

No peito
Carrego mágoas
Carrego paixões
Carrego tristezas
Carrego saudades
Carrego ingratidões
Carrego rancores
Ainda bem que
Não carrego
REMORSOS

-

POETRIX
Selmo Vasconcelos

Amanheci cantando feliz !!!
Minha aura brilhava
Junto com o sol
vindo do leste

poemas extraídos do livro “RESQUÍCIOS PONDERADOS” de Selmo Vasconcelos.
Porto Velho RO –
Veja uma entrevista de Selmo,no blog dele  
_________________

Essa edição do fanzine tinha ainda uma pequena matéria sobre a Revista A Cigarra , informações sobre concursos literários e poemas de Haroldo de Campos, Gilberto Gil, Mário Quintana, Cora Coralina, Solano Trindade, Adélia Prado, Eunice Arruda, Alphonsus de Guimaraens, Charles Baudelaire , Ulisses Tavares, Paul Verlaine e uma bela frase de Nietzche sobre a Arte.

Paz e poesia !!!

soneto de shakespeare76

quarta-feira, 9 de junho de 2010

IMPRENSA ALTERNATIVA


O MELHOR DA POESIA EVANGÉLICA

Veículo de divulgação editado por Sammis R.C. Silva
São Gonçalo – RJ -
http://azulcaudal.blogspot.com/ 
-
Trata-se de um livreto de poesias . O editor mantém ainda vários blogs sobre o mesmo tema, entre eles " http://poesiaevanglica.blogspot.com/" .
O livreto traz ainda
uma breve biografia dos poetas publicados .
-
poesia evangelica
-
OLHAI AS AVES

Vi um pássaro aceso como um grito
palpitando canções e movimento,
o corpo solto navegando ao vento,
a alma a sorrir num vôo circunscrito.

Festa no azul, surpresa, anseio e rito,
espanto e espasmo de deslumbramento:
nas penas o lampejo do infinito
e no bico os limites do momento.

Vi um pássaro alegre e descuidado
sem lições de futuro ou de passado,
sem aflições ou pensamentos graves...

e pensei na Palavra que me acalma:
Confio em Cristo e sei do fundo da alma
que Ele cuida de mim como das aves!

Gióia Júnior

-

A HORA DE DEUS

Estará sempre o homem
longe da hora de Deus?
O Céu dispensa calendários
e ponteiros, a colher o infinito
O homem se perde a cada instante
na imensidão do tempo.
A hora do homem se cansa
entre luzes e noites
A hora de Deus flutua,
intocada, acima de todas as galáxias
Se acaso me aflijo ou me aproximo
dos impérios da morte,
Deus acaricia o tremor do meu rosto
com a mais doce palavra
Assim, me ergue e me restaura.
Canções de vida me visitam.
A hora de Deus não conhece
as amarras do tempo
traz firmíssimo fulgor
a quantos se estendem
em seus ombros eternos.
A hora do homem: instável e escura.
Sempre e sempre um perigo
-ensina-me, ó Deus, a acertar
os rumos de meus passos
pelo esplendor de Tua hora.

Joanyr de Oliveira 

-
amanhecer2
-
 CANTARES

Pelas pisadas dos rebanhos
na quietude do outono,
Deus espraia o mel de Sua voz-
Ouvi, ó tendas de pastores
rodas de carros faraônicos,
equinos revestidos de auroras-
Tranças debruçadas no silêncio
somam-se à bondade das videiras
e aos cachos bailarinos da seara.
No dorso intangível da solidão
Deus espraia o mel de Sua voz-

Joanyr de Oliveira

-

AFIRMAÇÃO

"Nada ,jamais, será capaz de separar-nos do amor de Deus. "
Paulo de Tarso

Nem a fome, nem a espada, nem a morte
O vento que detém o pássaro
Na árvore, o ar severo
De um céu de nuvens
Nem as palavras dos dias maus
O mar com seu coração
Acelerado sobre as terras Tão-pouco a tempestade
Escondendo as cores aos olhos dos homens
Nada me impedirá de caminhar
De braço dado contigo
Ou me separará do bater
Divino do teu peito
Nem um pequeno rumor de rio sem corrente
Nem que o sol me ignore ou pese em mim
Como pedra incandescente.

J. T. Parreira
http://www.papeisnagaveta.blogspot.com/

-

A CALIGRAFIA

Com o dedo escrevia as linhas
que desenharam as estrelas
no chão escrevia com elas
um enigma, um retrato, uma declaração
de amor que faltava inventar
A paixão de perdoar
Como o céu de verão que arde
sem perder do azul a compostura escrevia no chão, a luz na treva
um salmo, uma jaula aberta
para no ar a ave se alongar
uma velha estrofe da lei do coração.
Foi tudo o que escreveu na vida
um verso de Amor à sua altura

J. T. Parreira
http://www.papeisnagaveta.blogspot.com/

terça-feira, 1 de junho de 2010

INTERCÂMBIO


CORRESPONDÊNCIAS RECEBIDAS
 
O post de hoje é sobre algumas correspondências enviadas para a redação do Versos Livres, de diversas partes do país. Email: touche.sp@uol.com.br

A PLEBE POÉTICA
R. 144,35 . Caétes . Abreu e Lima PE 53530.310.
Inicio com o registro do recebimento da publicação “A Plebe Poética”, editada por Antonio Rodrigues , Ed. Ribeiro e Miguel Vieira ,vinda de Pernambuco, uma publicação de poemas . Da mesma, destaco um trecho do poema “Morto de Fome” :

“Eu não tenho limites,
muito menos solução.
Nasci de uma explosão cósmica
e sonho com uma sociedade perfeita,
desde os nove anos de idade”.
-
A VOZ DA POESIA
Rua dos Bogaris, 183, Mirandopólis, São Paulo, SP, 04047.020
Vindo do bairro de Mirandopólis, da cidade de São Paulo, agradeço o envio do jornal “A Voz da Poesia”, órgão de divulgação do Movimento Poético Nacional, cujo Diretor de Redação é Adriano Augusto da Costa Filho , tendo como redatores Walter Argento,Carmen Ottaiano e Frances de Azevedo e que tem como Diretor Responsável, o Dr. Silva Barreto. Da edição nº 75, destaco um trecho de um soneto escrito pelo saudoso poeta Miguel Russowski , denominado “Hoje Estou Triste”

Meus sonhos só têm pouso em céus muito distantes, pois, com descrenças tão perenes e constantes, só pensam em fugir e afastam-se daqui.
A vida é uma sucessão de perdas.Envelheço
e a Tristeza, esta sim, sabe o meu endereço.
Tem adeuses demais, na estrada que escolhi”.
-
AS ACADÊMICAS 
loureiro@tribunaonline.com.br
Da cidade de Bento Ferreira, Vitória, ES , recebo a publicação “As Acadêmicas ”, editada por Regina Menezes Loureiro e Maria José Menezes , que tem por objetivo divulgar crônicas e poesias . Entre os poetas ali publicados, temos o excelente Humberto Del Maestro na edição nº 103, com a seguinte trova

Conheço a lua num traço,
vai crescendo e nos seduz.
Como é formoso, no espaço,
esse trapinho de luz”.
-
BELÔ POÉTICO
chamada

Minas Abraçando a Poesia Nacional

http://www.belopoetico.com
  
De Minas, o poeta Rogério Salgado, envia material de divulgação do já famoso evento “Belô Poético”.
“O Belô Poético - Encontro Nacional de Poesia de Belo Horizonte/MG, inspirado no Psiu Poético – Salão Nacional de Poesia de Montes Claros/MG foi criado em 2005, pelos poetas Rogério Salgado e Virgilene Araújo.
Para ambos, o maior desafio da poesia continua sendo o de estar a serviço da humanidade.
Este Encontro vem reunindo poetas de vários Estados do país e também poetas estrangeiros, para a troca de experiências poéticas e unidos pela poesia lutarem por um mundo justo e melhor para todos.”
Maiores informações, inscrições e programação, no site Belô Poético:
http://www.belopoetico.com 
-
LITERARTE-SP
(Espaço Cultural Para Todos )
literarte_sp@ig.com.br 
Igualmente acuso o recebimento do jornal “Literarte-SP ”, editado em São Paulo/ SP , por Arlindo Nóbrega, também Diretor da FEBAC. Da publicação, registro a seguinte trova, de José Fabiano :

A oração, eu a defino,
de modo simples, até :
carta que vai ao destino,
mas tendo o selo da Fé ! “
-
O RADAR 
Caixa Postal 601- Apucarana- PR – 86800.970
A minha amiga Rosemary Lopes Pereira , envia da cidade de Apucarana, PR, o jornal “O Radar”, (Resistência à Massificação ), editado por ela e por Emilia Sirashi. Na edição nº 2161, é da poetisa Cecília Fidelli, o poema “Caminhos” , cujo trecho registro aqui :

Voei em várias direções, traumas e nós.
Hoje, um arco-íris maravilhoso torna-se luzes em minhas asas...
O tempo passando, o Universo agindo.
Eu, em profundo estado poético, guardando os encantos na alma ”.
-  
“ Hipótese é uma coisa que não é, mas a gente faz de conta que é, para ver como seria se ela fosse “ (Millôr Fernandes) Por hoje é só, abraços a todos. Paz e poesia !!!