terça-feira, 27 de julho de 2010

VERSOS LIVRES # 07

Neste blog estou disponibilizando o conteúdo das edições do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo. Continuamos com a edição nº 07
VERSOSLIVRES 7

EDITORIAL

Este número , que deveria ter saído em plena primavera está chegando atrasado à suas mãos. É o primeiro exemplar do nosso VERSOS bimestral. O dois é o par, a dupla, símbolo de união. É assim o nosso informativo : união de vários amigos , muitos que nem se conhecem , mas que estão unidos pelo mesmo ideal. Os poetas e as pessoas sensíveis, como são nossos leitores, trazem a primavera no coração . E eu queria ter falado na esperança que a primavera traz, flores que se renovam, amores que renascem . O calor que se aproxima . A imagem do sol brilhando nos cabelos da mulher mais bonita do século , conceito que muda de pessoa prá pessoa. Flores coloridas no meu jardim . Espero que não tenham esquecido do nosso informativo. Cada editor alternativo sabe onde aperta o seu calo. Tudo se resolve. Eterna primavera prá vocês.

-

PROSA LIVRE
frases roubadas da nossa correspondência

Jamais poderão ser exterminados, o amor, a fé, a amizade verdadeira, nossa liberdade ! ( Hélio )

E onde há poesia, há sempre mel .vencemos com o coração aberto para as coisas que não se prendem ( Emerson )

Enquanto existir um poeta que seja e este não esteja calado e suas doces inspirações passe de mão em mão e toque dos seres humanos o coração ( João)

Acredito que estamos aqui com um propósito. Talvez o propósito seja apenas o de descobrir a que viemos.Eu tento descobrir, ter forças e não desistir ( Glenda )

Bom seria se conseguíssemos rejeitar sentimentos que provocam problemas cardíacos. Enquanto não os eliminamos, poetamos ( Cecília Fidelli)

Nós os poetas, temos uma missão aqui na terra : tocar o íntimo das pessoas e despertá-las para a Beleza da Vida ( Marta Maria)

Eu quero as coisas da alma. Das coisas além da pobre superfície de tudo. Salve a Poesia, rastro de luz rumo ao infinito ( Larí )

Quando um acaso triste nos transtorna a vida, um bondoso amigo nos devolve a paz ( Doroni )

O Brasil atravessa, nesse fiinalzinho de século, uma desorganização imensa e sem controle em todas as áreas sociais, sendo política, de Estado, e até mesmo cultural ( Jailson )

Não me torturo para polir um poema, ele sai naturalmente em ocasiões variadas, por motivos interiores diversos ( Maria do Socorro )

-

Nas asas do ar. O minuano sopra . Sobre as ondas do mar
( Tânia Schwab )

-Animation1

VENDADOS
Cida Marconcine

Escuridão . Tato . Boca
Não é preciso ver.
Sabemos com certeza onde colocar
a mão, o dedo, a língua .

Cida Marconcine é de Imperatriz,no estado de Maranhão.É também revisora e editora de fanzines literários, e principalmente educadora. http://ma-marconcine.zip.net/arch2007-12-30_2008-01-05.html - http://fotografianoambienteescolar.blogspot.com/2009/10/entrevista-com-professora-cida.html

-

“SEM TÍTULO“
Claudete Assumpção

De súbito
a tarde colheu meus sonhos
E na brandura
dos pingos da chuva
que caíam no chão
vi escorrer entre os dedos
o sabor das palavras
abandonadas
que encharcavam o papel
de um jeito tão doce
que adormeci nos sonhos !

E quando acordei
a noite debruçava sobre mim toda a sua majestade
límpida, dourada plenitude
vestindo-me com toda
sua Paz !

Claudette é de São Paulo e tem vários livros publicados

-

POETRIX
Sidnei Schneider

Casa pequena
Mas na janela:
Que lua !

Sidnei é um escritor do Rio Grande do Sul, traduziu várias obras do José Martí , é cronista em jornais locais.

-

ESCURIDÃO
Osael de Carvalho

Espanto-me pelo meu tanto te amar
Congratulo-me com a minha
falsa solidão ..
Escuto teu cantar no bater das ondas
E no cantar dos pássaros
ouço teus passos
Repasso minha alma hoje emparedada
pelo cansaço da dor da minha solidão

Osael é do Rio de Janeiro, conhecido na cena alternativa por ser o editor do jornal “O Literário”; uma das mais antigas publicações culturais independentes, circulando à cerca de 25 anos. Mais um pouco de Osael, aqui : http://www.revista.agulha.nom.br/1osael.html

*

segunda-feira, 26 de julho de 2010

VERSOS LIVRES # 07

Neste blog estou disponibilizando o conteúdo das edições do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo, cujo objetivo é a divulgação de poesias. 
No post de hoje, mais alguns poemas que foram publicados na edição nº 07 do fanzine Versos Livres.

VERSOSLIVRES 7

MARIA
Elton

Benedicta és tu intra mulieribus.
Mãe imaculada de Ave Maria gratia plena .
Nosso Irmão Jesus.
Tu és a Mãe das mães, apenas ?
Maria, és santa, és mulher
A mulher que busca sua liberdade
Rompe os grilhões antes que seja tarde
Para, em toda a sua plenitude, viver
Mãe mulher, mulher mãe amada de todos os rincões,
credo e cor,
Distribuis graça, beleza, amor
És forte como Maria, mãe Idolatrada
És a fortaleza que acolhe o forte e abriga
o fraco, o consolo
o alento, a esperança dos aflitos.
Sofres calada ; ninguém ouve os teus gritos.

Em águas serenas ou bravias, Altiva, conduzes o barco.
Maria ! Este é teu nome, mulher amiga !
Exemplo de lutas, batalhas e lágrimas.
Que sejas tu querida, amada, respeitada !
Coração sublime que ao mundo dá a vida

Elton de Jesus, é de Ipatinga/MG.

-

ALBA

Adriana Manarelli

Sou uma virgem pura - Sou pura virgem
sinto uma mordaça em minha garganta
O mundo não é para mim !
Tudo me espanta -
Nada depois de você - Agora sou uma santa
Meus beijos são somente assim
Para os Anjos, para os querubins, os Arcanjos .
Desaprendi meus vôos de mariposa

Adriana é de São Paulo, da cidade de Araçatuba. Integrante do “Grupo Experimental da Academia Araçatubense de Letras (AAL)”. Vários outros poemas de Adriana estão no blog do amigo Everi Carrara: http://jornaltelescopio.blogspot.com/2009/01/adriana-manarelli.html

-

GOSTO DE IMAGINAÇÃO
Isabel Borazanian

No centro, no espaço ,
No percurso, um caminho,
Uma imaginação

Na volúpia, no tempero

Uma esperança, uma emoção
Nas raízes presentes,
as situações.
No olhar permanente
o lançar da percepção .

A criatura aparece

prá avivar ilusões,
Rompendo realidade
Mostrando o crescer
E a validade
Quando aceitamos
como normalidade
Habitarmos o contexto

Ilusão que vem flutuando
em sentidos compondo
Imagens que levam
o nome de fantasia
E tem gosto de imaginação

Isabel é de Guarulhos, da Academia Guarulhense de Letras, integrante do Grupo Literário Letra Viva e do conjunto musical Pé na Bossa. Maiores informações em www.bossanova.mus.br/anita.php

-Animation1

AS POMBAS
Valdeli Vila Nova

Vai-se a primeira pomba . Tonta.
Sobre os concretos rígidos da cidade
Vai-se outra mais.. Mais outra..
Sem tecer saudade.
Depois outra e outra.
Uma a uma vão-se elas.
Sacudindo as penas da manhã.
Sob o céu pálido. Amarelas.

E de madrugada

Quando o meu coração gélido, roto
Se arrasta com o vento
As pombas vão-se longe. Loucas.
E o meu coração sem asas,
fica pela vida.

E as pombas, uma a uma, voam

Vão-se todas as pombas
Sob o negro céu do meu País.
Prá nunca mais. Adeus pombais

Valdeli é de Guarulhos/SP . Vários poemas dele estiveram no fanzine Versos Livres,Suas atividades culturais estiveram divididas em literatura, teatro, recitais e eventos do Grupo Literário Letra Viva. Mais informações sobre o Valdeli em http://poetasdeguarulhoseoutrosversos.zip.net/arch2005-12-01_2005-12-31.html

-

“SEM TÍTULO”
Vinícius Gá

Incomodam-se ;
Não com o óbvio, que é a sede e a fome de
pessoas mais absurdas :
debatem sobre minhas alpargatas marrons...
( com meias cinzas )

Vinícius Gonçalves de Andrade é um jovem poeta de Guarulhos. Participa de concursos e saraus literários e é um dos diretores da FEBAC - Federação Brasileira de Alternativos Culturais. Visitem o blog dele : http://maromomi.blogspot.com/2009_12_25_archive.html

-

S O S
Mário Neves

Meus olhos são poliglotas
Falam de minha paixão
Falam, mas você não nota
Ou faz de conta que não ..

Esse pequeno poema de Mário Neves foi extraído do boletim informativo do Grupo Letra Viva. Maiores informações sobre o poeta estão no blog dele : http://mario-neves.zip.net/

-

VIDA
Regina Maria de Mello

Os sons são passadiços
As gotas caem como meteoritos
É chuva na certeza das horas que correm
É fonte de luz perene. São gotas de orvalho.

E na cerração forte, sinto-me tranquila.
Adormeço pensando na paz dos pequeninos
Na grande paz dos adormecidos.
E na canção, das horas, dos minutos,
Permaneço assim , pensando na chuva.
Na solidão dos deuses, crio metáforas.
Crio palavras do pensamento vão.

Por fim, sei do presente e do futuro,
Porque permaneço nas horas..
Sons, miragens do céu sem fim e sem limite
Imagens que as lembranças criam
Sentimentos de poeta,
criação também ilimitada
face às intempéries da Vida...

Também sou como a luz,
Transporto-me num vai e vem
Como as ondas do mar.
Repasso o tempo num continuar.

Regina é de Guaratinguetá/SP. Há muito tempo perdi contato com ela.

-

sábado, 17 de julho de 2010

VERSOS LIVRES # 07

Neste blog estou disponibilizando o conteúdo das edições do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo, cujo objetivo é a divulgação de poesias. .
No post de hoje,Cecília Fidelli, Neide Archanjo, Tom e mais alguns que foram publicados na edição nº 07 do fanzine Versos Livres.

VERSOSLIVRES 7

HORÁRIO MARCADO
Cecília Fidelli

Por volta das seis da manhã,
Queria você para o café.
Por volta das onze,
Queria você para o almoço
Por volta das quatro da tarde,
Queria você para o lanche
Por volta das nove das noite
Queria você para o jantar.
Por volta da meia noite
Queria você para amar,
Na madrugada, sem horário marcado
Apetitosas sobremesas acompanhadas
de um concentrado de beijos,
e a silenciosa lua, faria o fundo musical

Cecília Fidelli atualmente mora em Itanhaém/SP. Cecília é referência na imprensa alternativa , e suas poesias foram publicadas em quase todas as publicações independentes. Tem livros publicados e é editora da publicação Reviragita Poesia. Maiores informações sobre ela em A Cigarra  : e no blog do Selmo

-

ATRÁS DA PORTA
Filomena Novi

Atrás da porta
Encontras outra porta
Que é o avesso da porta

Atrás da porta
Tem prego, tem calendário,
Tem réstia de cebola e alho,
Tem até a folha da fortuna,
Já seca e inoportuna.

Atrás da porta do quarto,
Tem sapato, tem bengala,
Tem um monte de tralha.

Atrás da porta do banheiro,
Tem balança de ver peso, tem roupão
Tem revista de sexo, tem gaveteiro,

Atrás da porta da frente
Tem mandinga contra mau – olhado
Tem copo d’água com sal grosso,
Para afastar os azarados,
Tem reza contra roubos.

Mas é pela porta aberta
Que entra e sai para a festa,
E não vê que é atrás da porta
Que fica e mora a promessa.

Filomena é de São Bernardo do Campo/SP. Autora de vários livros, entre eles, o curioso “Poemas Astrológicos”. Saiba mais sobre Filomena. 

-

REALIDADE
João César Flores

Resolvi dar um pausa ao meu doido coração
Quero que compreenda a causa
E passando o tempo me dê razão.
O amor é gostoso e ilumina
Assim como também ensina
Que é preciso cumplicidade
Para ser completa a felicidade
A agonia da espera do encontrar..
Do nada realizado do teu sonhar
O desespero de correr atrás
Entristece, deixa dúvidas, insatisfaz..
Em nenhum momento renego o amor
Este amor encantado ,
porém cansado para mim
Em mim guardarei com fervor .
Forte, único,
Que eu o alimente enquanto presente
Que eu o aceite como linda lembrança
Se um dia virar passado

João é um poeta do Rio Grande do Sul .

versosg

-

ESSENCIA LUZ
Emerson Oliveira da Silva

Tua essência faz vibrar minha essência
Caminhamos juntos e não importa mais
Para onde estamos indo
O passáro que está em meu peito
Quer voar no céu do teu coração,
No silêncio da minha espera
Te faço uma declaração e tua expressão sincera
Sempre causa-me enorme comoção.

Nosso futuro vai bem
agora que nos conhecemos tenho um desejo
Eu quero que o conheça
É um apelo vasto e o tempo quer nos unir
“ a esperança sussura em nossos ouvidos
Palavras que só o nosso coração conhece “

Tudo está em chamas
A lua, as estrelas e tudo o que existe
Mas a expansão é infinita
E não importa o quanto queime agora
Que tudo nos é possível

Quero que sinta este novo amanhecer
E temos vontade ( algo sobre-humano)
Nunca é tarde para tentar
Sabemos o que realmente importa,
Percebo muitas coisas
Percebo o que se passa com você
Agora que nos amamos

O Emerson colaborou em várias edições do fanzine Versos Livres.Na época, morava em Cubatão/SP

-

TOCA MINHA PELE ASSIM
Neide Archanjo

Toca minha pele assim :
As costas com beijos lentos
A nuca com lábios roxos
As coxas com mãos noturnas
Nada é mais suave
Que teu cabelo solto
Aberto como asa
Sobre meu corpo

“Paulista, atualmente radicada no Rio de Janeiro, Neide Archanjo é formada em Direito e Psicologia. Estreou na poesia em 1964, com o livro Primeiros Ofícios da Memória”. Saiba mais sobre Neide

-

CARPENTERS
Tom

Transamos ao som dos Carpenters .
Mas você não conhece os Carpenters .
Você é um garoto de rodeio.

O grande Tom é de Frei Gaspar/MG, onde é Secretário da Educação. Além de um excelente poeta é também o editor de uma das melhores publicações alternativas, o famoso Tom Zine. Saiba mais no blog do Tom

sexta-feira, 16 de julho de 2010

VERSOS LIVRES # 07

Neste blog estou disponibilizando o conteúdo das edições do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo, cujo objetivo é a divulgação de poesias. 
No post de hoje, mais alguns poemas que foram publicados na edição nº 07 do fanzine Versos Livres.

VERSOSLIVRES 7

DEUSES VENCIDOS
Pulsar

As civilizações sucedem-se umas às outras,
na voragem do tempo que a tudo consome.
Tombam-se reis, faraós e conquistadores,
deuses lançados no turbilhão da História.

Será a Eternidade um divino castigo
Ou tributo pago aos heróis ?
Se das cinzas ressurgimos qual Fenix,
A vida então não terá sido mera utopia..

Ontem a Voz que clamou no deserto,
Árido e ardente de teu coração
Talvez hoje te desperte os sentidos,
E amanhã nos amemos então

Se o presente te lançou um espesso véu
Deixando-te indiferente e fria
Serei a luz de teus olhos,
E o calor dos teus últimos dias
Verás que eterno é meu amor por ti
E há de brilhar fulgurante no infinito
Desvendarei os enigmáticos mistérios,
Do Aço e da Esfinge . Vencerei a Morte mil vezes
Buscar– te– ei pelas sucessivas vidas
Não me curvarei à vontade dos deuses
Enquanto minha não fores !

Recebi esse poema de Taubaté/SP, para ser publicado no fanzine apenas sob o pseudônimo de Pulsar.

-

NO MEIO DO CAMINHO SEM SER DRUMMOND
Raimundo D’ Magalhães

No meio das pedras há um caminho
Há um destino rasgando pedras
Há um caminho de pés descalços
De roupas rotas de semblantes pueris
Há um caminho de pedra, de pedras
Que lhes vão, enchendo o intestino
No meio das selvas .
No meio de argilas .
No meio de carvões e de monturos
Cercados de arames farpado
E de muros ! ....
Sem lamentações há um caminho
Há um coração que se empedra
Há uma perna que se perdera
Há uma mão que se perdera
Há um mago
Há uma cruz que tantas vezes
Não valeram o grão do suor,
Da pedra, do pão.. Que pão ?..
No meio do caminho
No meio do reverso
Há um caminho de carros
De cracks que nunca jogarão peladas
De guerras que nunca lhes dizem nada
No meio do caminho
No meio das pedras
Quantos já perderam a conta
Pois não sabem somar ( só diminuem )
A beleza de serem meninos ? ! ...
No meio de pedras,
Ainda há um caminho !

Raimundo D’Magalhães é o pseudônimo do poeta e escritor Raimundo Tadeu Mesquita Cunha, da cidade de Ananindeua, Belém de Pará. Raimundo também é membor correspondente da Academia Cachoeirense de Letras, de Cachoeiro da Itapamerim.

-

OS VERSOS DA LOIRA SINISTRA
Touché

sempre abro o meu caderno prá escrever as mesmas coisas: nesse exato momento, os rios tem peixes mortos e eu penso em você :a mina que foi seduzida ao som de um velho piano. a sociedade de consumo e as profecias do milênio .

sempre abro o coração prá sentir as mesmas dores; para reclamar da vida. sou ainda adolescente nem comecei minha vida . rock faz minha cabeça e eu pensando em você, toda vestida de azul ..

não amo a loira sinistra. mas serei morto por ela. você é a pequena que eu amo, não tenho nada que eu amo. canto prá loira sinistra essa canção que era sua. me entrego a noite prá ela, ao sol a faço sonhar, depois morro assassinado, com seus beijos venenosos.

sempre abro os meus lábios, prá morrer do mesmo jeito

Touché é de Guarulhos/SP. Editor do fanzine Versos Livres.  

PAGINAINTERNAVL

ESTA NOITE
Lari Franceschetto

Esta noite queria você
Bem perto de mim
Que o frio fosse embora
Os cães parassem de latir
Esta noite
que eu cuidasse de você
Você de mim.

Esta noite eu dispensasse
o café amargo,
O penúltimo cigarro
Um livro de Kafka
ou Christie, A Agatha.

Ao menos esta noite
Ignorasse à janela,
Entreaberta, sombras
Que as árvores traçam
Na solidão da rua
Na solidão da lua

Esta noite queria você
bem perto de mim
Tão perto.
À flor da pele
ao inverso,
Fogo que ardesse
O tempo que fosse
O tempo que fosse
E o mundo todo fosse
Entre ondas
E brancos lençois
Só de nós dois.

Larí Franceschetto é da cidade de Veranópolis/RS, a terra da longevidade.Detentor de vários prêmios em concursos literários,Larí está presente na cena alternativa,com publicações em jornais e livros, e até na mídia falada. Mais informações em http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/rio_grade_sul/lari_franceschetto.html e http://froilamoliveira.blogspot.com/2009/12/lari-franceschetto.html

-

MANOBRAS DAS FORÇAS OCULTAS
Sara Teixeira
Para Émerson Oliveira da Silva, Cubatão

Me esquivar do seu vaivém. Absorver seu nome num repente.
Libertar-me do som de sua voz que sopra em forma de canção...

Época em que meu encanto limitava-se
À exclusividade de caminhar só e unicamente ao seu encontro .
Aeronave que voava
No sustento desse seu amor flutuando no ar
todo tempo.
Somente seu amor .....

Sobre o fluir das águas do oceano extraviado,
Flecha subornada rumo ao desvio do curso
Que corre as ondas.

Entretanto, nem toda força contrária consegue
Impedir a continuidade dessa mesma evolução
Entusiasmos inspirados durante eternas
Madrugadas borbulhando imensamente
Gota a gota que se espalha sobre minha pele...

Imaginações frequentes sem que nada houvesse
A não ser as manobras das forças delicadas e ocultas , no orvalhar da obscuridade
Das campinas frias posso sentir seu perfume
semelhante à flor.
Aroma estonteante , abrangente, que aspira ao vento e inspira meu ar completamente
Junto ao pensamento, silencioso...

Nuvens refletindo a passagem de uma vida
No som sussurante dos sabores puros
Da sua sinfonia musical.
Aonde o céu repleto de estrelas
Soprava na brisa, o frescor majestoso do vento
Em toda formosa magia.

Nas delicias que luziam sem cessar
Retratei no desencontro o desengano
Que em mim afligia na sua total ausência...

Sara é de Catanduva/SP. Eu esperava que, a exemplo do Tom Zine, um romance nascesse entre os leitores do Versos Livres e achei que isso ia acontecer a partir desse poema da Sara para o Emerson. Porém, perdi contato com os dois e não sei o que aconteceu depois disso.

-

CASAMENTO DE PADRES.
Anita Costa Prado

É difícil entender. Ou mesmo aceitar :
Porque quem casa os outros,
Não pode se casar ?
O celibato é imposição, arcaica e secular
Pois o padre é humano. Não há como negar

Anita é de São Paulo e está presente em várias edições do meu fanzine, tanto como poetisa,quanto como criadora da famosa Katita.Saiba mais em http://zinebrasil.googlepages.com/artigo_literatura_quadrinhos_anita_prado

ARICY CURVELLO

Interrompo a publicação dos poemas publicados no “Versos Livres”, para trazer um pouco da poesia do livro “50 Poemas Escolhidos Pelo Autor”.  

aricy curvello

50 POEMAS ESCOLHIDOS PELO AUTOR
Aricy Curvello
Edições Galo Branco
Da Coleção "50 Poemas Escolhidos Pelo Autor" - Vol. 25
Direção : Waldir Ribeiro do Val
Poesia brasileira e contemporânea
-
Saiba mais sobre Aricy no site
Riototal
-
E sobre o livro , na
revista ufg :
-
A seguir, uma amostra da riqueza poética de Curvello :

espera1

eu não construo esse mundo.
o mundo está aí simplesmente.
apenas construo poemas,
porém a realidade não é
            palavra.
palavra é imagem de outra imagem.
e a presença do mundo arrebenta
           os poemas
e os poetas coitados
-
caminhos

e havia um outro ar
sobre o ar, um outro fim de tarde
sobre a tarde que findava, e havia
a música que não se ouvia,
vinda de outras casas.
um morrer e renascer de destino,
sobre caminhos findos havia outros
sem fim, por onde eu vinha,
mas a brisa dispersou
no sul
ao frio
teus olhos azuis tão longínquos.
-
ousas

desde antes da américa e do canto
o milho e a manhã se levantam

nunca, nunca amanhece diferente,
embora poetas finjam es-for-ça-da-rnen-te

talvez finjam apenas o
suficiente para a esperança.

mas
esperança também cansa.

porém ousas
esperar, teimas em recolher
nos jornais caídos na rua
orvalho e notícias.
-
E-U

canção de uma só palavra
pássaro de uma só asa

cidades de uma só casa

uma só mão
batendo palmas

-
não-discurso

eu é apenas uma realidade de discurso.
não me perguntes quem eu sou.
poderia apenas responder com palavras.
quando a linguagem atribui um sentido
                                   ao não-sentido.
uma forma para o incompreensível.

mas
nenhuma linguagem pode
pretender conter o mundo,
ilusão de colocar-nos
num ponto único absoluto.

no território do múltiplo,
força nua do real,
ninguém pode adquirir
direitos de propriedade.

La soledad del que espera

quarta-feira, 14 de julho de 2010

VERSOS LIVRES nº 07

Neste blog estou disponibilizando o conteúdo das edições do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo, cujo objetivo é a divulgação de poesias.
No post de hoje, mais alguns poemas que foram publicados na edição nº 07 do fanzine Versos Livres.

VERSOSLIVRES 7

CONTABILIDADE
Candida M.L.Papini

O meu coração está fechado
para balanço
Estou contabilizando
as perdas e ganhos
dos meus sonhos :
-quantos foram abandonados
-quantos ainda vivem
-quantos exigem cuidados
-quantos já morreram
E quantos, vivos,
foram enterrados

Ex- presidente da ASES- Associação dos Escritores de Bragança Paulista. Sua biografia está em http://www.asesbp.com.br/escritores/escritores05.htm

-

AMANHÃ E DEPOIS
Doroni Hilgenberg

O amanhã é outro dia,
E bem sei, não sou eterna.
Por isso, vivo os agoras
Na realidade das horas,E na esperança dos depois

Conheço Doroni há algum tempo. Nos correspondíamos, depois perdemos contato. Fui reencontrá-la no site Overmundo. Mais informações sobre essa poetisa amazonense está em http://recantodasletras.uol.com.br/autores/doroni

-

NO MEIO DO NADA
Nívea

Nada será como antes amanhã !
Viva o momento, o minuto, o segundo..
Esqueça tudo de ruim,
Guarde na lembrança
tudo que já viveu de bom.

Encontre no meio do nada
tudo que lhe agradou
Encontre tudo, no meio do nada.

Encontre você

Nívea é de Guarulhos/SP.

-

PAGINAINTERNA

 

EU
Leda B.S. Figueiró

Quem sou eu ?
Sou o recheio de um óvulo
fecundado. no ventre materno
Trago sentimentos ali contidos
Traços, olhos, cabelos, modelos obtidos
Não conhecia o frio
Não conhecia o calor
Quem me dera ficar ali guardada

Mas a hora chegou.

Rompe-se a capa de proteção
Passei a morar em seu coração.
Minha mãe !
Obrigada pela morada
Deu-me tudo, sem pedir nada
Hoje sei o que sou : tua filha !
O recheio do óvulo
O bebê protegido
Agora sou mãe aquela do óvulo,
Da proteção que se rompeu,
E tenho um filho que mora
No meu coração

Obrigada minha mãe !

A poetisa gaúcha Leda Figueiró participou de algumas edições do Versos... 

-

COSMOAGONIA
Luiz Fernandes da Silva

Deixe cair as palavras lentamente
Visto –me de agonia
Acordo depressa
Para não envelhecer
minha solidão ..

Analiso os meus sonhos
e vejo que eles trouxeram –me
Um sentimento de repouso.

Então, as minhas idéias
Se perdem no meu pensamento .

Luiz Fernandes é de João Pessoa, na Paraíba . Além de poeta frequentemente publicado em alternativos, é também editor de fanzines literários.

-

O TEMPO
Elisa Zanotto

Efêmera a orbe clamando enaltece
Poder caprichoso de um símbolo nobre
O vácuo do espaço infinito é perene
No íntimo excita e um manto recobre
O ar que perpassa já é percebido
Na cúpula acima qual sino de bronze
Além de primórdios a brisa se espalha
A assim vagarosa, vai, clama, de longe
Perduram enredos sem crase nem lume
O vento constante lhe dá o prefixo
Soprando nos mares a luz se irradia
Sorri e braveja - já é mais um dia

Elisa Zanotto é de São Paulo.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

IMPRENSA ALTERNATIVA

Faço um pequeno hiato das postagens dos textos publicados no Versos Livres nº 07, para trazer prá vocês mais um pouco da Imprensa Alternativa. Hoje, um jornal gaúcho.

JORNAL  LETRAS SANTIAGUENSES
Jornal Literário - Santiago/RS - Distribuição gratuita
Primeira edição: 25 de janeiro de 1996
Equipe Editorial : Auri Antonio Sudati , Zé Lir Madolosso
Diagramação e Arte Final : Ieda Beltrão

letras santiaguenses2

O jornal traz poemas, contos,crônicas, resenhas de livros e informações literárias e culturais. Contato : auriantoniosudati@terra.com.br

Eis alguns poemas publicados na sua edição nº 13 :

ELEGIA
Onilse Noal Pozzobon

Verso no agito das horas
e sonho
para distrair fantasmas
Vôo alçado na manhã
cativa de inspiração
pinto as nuvens.
no carrossel, abstraída,cricrilo
feito criança
e para embalar suspiros
ao vento
verso !

Santiago/RS - CAPOSM
Casa do Poeta de Santa Maria

-

UNÇÃO
Cazzivan

Parece que estrelas, anjos e os monges que fazem suas preces na hora do ângelo nos convidam à ceia com luz de batatas à moda Van Gogh.
Hora aberta e o coração sai a passeio curtindo sentimentos do tempo. Pudesse eu convencer uma andorinha, aconselharia fazer amor em igreja românica e romântica com sinos antigos e vitrais bonitos a refletir sons e Luzes.
Belos cantochões marcado nos sinos convocariam os salmos par
a
dizerem em releitura:" Senhor, meu pastor, não desejo que me falte nada!"

Florianópolis/SC 
Integrante do Grupo de Poetas Livres.)

-

POEMA
Oracy Dornelles

cérebro em pensamentos brancos
para receber-te em festa
um mar de fogo que me tosta
um sorrir de tridentes escarlates
( o essencial é não nos importarmos com
o mundo )
por onde passarmos os infortúnios serão céus
embora dedos desindiquem
deixa
pela primeira vez inverteremos
a trajetória do assim se fez
e nosso céu terá uma proteção divinamente feroz
em seu portal
cérberos de amor

Santiago/RS

p2 
HAICAIS
Auri Antônio Sudati

Noite de esplendor,
animada serenata,
um grilo cantor.

O verão findou.
Folhas caindo ao solo,
outono chegou.

Trigais ao vento,
ondula o pão entre versos,
o nosso sustento.

Raia novo dia,
um bem-te-vi me vê bem,
dócil cantoria.

Santa Maria/RS
Membro da CAPOSM: Casa do Poeta de Santa Maria,
sendo atualmente presidente da entidade.

-

LUZES DA RIBALTA
G. T. Barbosa

Entre a FUMAÇA
E o que
             contagia
há também, .
            PEDRAS
E LíQUIDOS PASTAS e AGULHAS
na autodestruição
          de
"Vidas que se
          Acabam a
              Sorrir",
na imaginária
ribalta das
             calçadas.

Sant'Anna do Livramento/RS
Gildásio Taborda Barbosa é autor do alternativo cultural
"Ecos da Alma, Poemas". Este poema foi retirado de
seu livro: "Leque de Flores en Remolinos de Pasión".

-

NEM QUE SEJA ASSIM
Lari Franceschetto

Nem que seja assim:
De cantar o galo amanhece,
manhã se faz pedra a lapidar.
De não ter pressa
o trem na curva já passou.
De vontades loucas
desenham-se ilhas.
De águas tardias
esgota-se o tempo
acaba a noite
seca a flor - a flor vadia.
Nem que seja dor
amar assim mas amar
porque outra noite... amanhecerá.

Veranópolis/RS

* Todas as edições que tenho do Jornal Letras Santiaguenses, me foram gentilmente enviadas pelo amigo Antonio Pereira Mello, poeta e ilustrador, que reside atualmente em Santa Maria/RS . A ele, meus agradecimentos.. 

VERSOS LIVRES #07

Neste blog estou disponibilizando o conteúdo das edições do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo, cujo objetivo é a divulgação de poesias. Contato : touche.sp@uol.com.br .
No post de hoje, mais alguns poemas que foram publicados na edição nº 07 do fanzine Versos Livres.

VERSOSLIVRES 7

PSIU !
Henrique M. Freitas

Silêncio ! Ela pede
Procura em vão a voz distante,
e
co na escuridão.
Melancolia, solidão
Na noite obscura
Replica, perdão
Medo da vida
do mundo, do cais .
Das favelas perigo e dor
Silêncio ! Ela clama..

Henrique Martins de Freitas é natural de Bagé-RS residindo em Canoas há 25 anos. Poeta, contista, romancista, autor infanto-juvenil e cronista, faz parte de 65 coletâneas, no Brasil e no exterior, e escreve para vários jornais e revistas do Brasil . Saiba mais no blog do Gerson : http://diariodogerson.blogspot.com/2008/04/figuras-ilustres-do-rs-henrique-martins.html

-

LAÇOS DESFEITOS
Miguel Russowsky

Hoje partes..( a morte ronda perto)
Tens outro amor ? Pois vai. Não és perjura
Amor de um lado só, bem sei, não dura,
Talvez eu sobreviva ao lar deserto..

Hoje te vais !..és pássaro liberto
Não hei de maldizer a noite escura
Já tive meus momentos de ventura,
Que eu pague agora o preço justo e certo

Se um novo amor anula outros amores..
Vai então ! Sê feliz ! .. E se puderes
Não lembres mais de mim, Ó sina crua !

Leva tudo daqui quando te fores,
Só não retira a dor com que me feres..
Quero que me reste alguma coisa tua.

A biografia do saudoso poeta de Santa Catarina está nas coisas que ele escreveu. Saiba mais sobre ele em http://artculturalbrasil.blogspot.com/2009/01/miguel-russowsky.html

-

A COR NOTURNA
Edu Silva

coxas ÚMIDAS .
DESEJOS agudos
beijos INSANOS
LÁBIOS maduros
A MENINA CRESCIDA
qual bela flor
NUMA NOITE IMENSA
De intenso calor
DESTILA POESIA
e se dá com amor

Edu Silva é também editor do fanzine Inversus e participante da Ação Cultural Botura I – Conheça Edu através do seu blog : http://edusilva.blig.ig.com.br/

lua_cheia-300x288
LUNA CALIENTE
Ronaldo Revagliatti

La luna era absoluta .
Lubricada.
Entreabierta ingresó
Por la malicia de la escena
Revuelta . Revolviéndose
Bloque aciago el silencio

O escritor Ronaldo Revagliatti é da Republicana Argentina e mantém contato com várias publicações alternativas do Brasil. Também edita fanzines na sua terra natal. Mais informações sobre o nosso amigo argentino em http://www.releituras.com/rrevagliatti_menu.asp e http://www.revagliatti.com.ar/

-

CONCEITUAL
Hamilton Vieira

O verso, saibam, não é razão
e não é sentimento e nunca será paixão
É antes , o que ninguém sabe
É o que não cabe no coração.

Hamilton é da cidade de São Miguel Arcanjo/SP

-

SEM TÍTULO
Catarina Maul

Muito mais..
Muito mais do que poeta sou o caminho
por onde as rimas fazem seu percurso
O farol por onde a inspiração guia seu destino
O balcão de informações que orienta a poesia...

Mais do que poeta,
Sou o abrigo da poesia abandonada,
Aquela ’inda carente de elogios
E da certeza de sua própria fantasia..

Mais do que poeta,
Sou o interruptor a acender idéias,
Almoxarifado onde Deus guarda aventuras
Que os jovens farão ser inspiração...

Mais do que poeta,
Sou caixeiro viajante que não vende
Mas de escola em escola,
Desvenda um baú de emoções
Em troca de sorrisos e esperança.
Ofereço o melhor que da vida
pude conquistar : minha própria vida,
Minha própria esperança e certeza
Minha própria poesia
Que anda cada vez mais distante das rimas,
Dos versos, da eternidade
( posto que seja melhor escrevê-las
a melhor maneira de eternizá - las )

Mais do que poeta,
sou quem vive para a poesia
Mais do que poeta, sou o sonho do poeta,
E por Deus, esta semente
há de multiplicar-se
Em mil em minhas mãos !

Catarina é do Rio de Janeiro, da cidade de Petropólis. Veja aqui, a poetisa e pedagoga sendo abalizada no blog do Luiz Alberto Machado : http://blogdotataritaritata.blogspot.com/2008/06/musa-da-semana-catarina-maul.html

sexta-feira, 9 de julho de 2010

VERSOS LIVRES # 07

Mais alguns poemas que foram publicados na edição nº 07 do fanzine Versos Livres.

VERSOSLIVRES 7

SUTIL II
Claudiney Ribeiro

É só o vento a arremessar folhas
Contra a vidraça
É só o vento a ( talvez) querer
Se fazer notar

É só a solidão a evocar lembranças
Da foto que descorou..
É só a saudade a ( talvez) querer
Me fazer chorar

É só o que é só a expelir o último hálito
Que em si restou

Claudiney é de São Paulo.

-

EM POESIA
Glenda Maier

POESIA
Quisera escrever em poesia
Marcas do tempo em minha alma
Sorrisos e cicatrizes,
lembranças e esquecimentos,
prantos e gargalhadas

VIDA
Quisera escrever em poesia
Marcas dos pés neste espaço
Verde e poluído, violento e suave
Silencioso e barulhento

TERRA
Quisera escrever em poesia
Marcas do espaço no tempo
Lugares que já nem lembro
Momentos que esqueci,

Quisera escrever em poesia
Marcas do tempo no espaço
Velhas estrelas brilhantes
Escuro da lua nova
Neste canto que se renova

A TERRA, A VIDA, O AQUI

A carioca Glenda Maier, além de poetisa, é cronista,escreve contos e é membro integrante da APPERJ.

-

GENTE
Hélio Militão

2743335

A gente pensa na vida
A vida não pensa na gente
Não se engane , fique alerta
Cauteloso, diligente...
A vida é feita
Para gregos e troianos
Porém, não perdoa,
Nem admite enganos..
A vida é feita
De sofrimento e prazer
Se agilize, se ligue, adote-a
Para que você seja feliz..
E consiga projetar o seu viver
Para conquistar, para vencer !

Militão é de São Paulo . Sempre tem notícias suas no blog http://ajebsp.blogspot.com/

-

ORAÇÃO DE UM DEFICIENTE
Laércio Zaramella

Se você me tocar
Se você me olhar
Se você
me estimular ;
Levemente
incentivar as minhas
potencialidades,
vou crescer
Realmente
Vou crescer
Serei na vida
Um vencedor

Professor de português/espanhol,esse amigo paulista de Rancharia/SP é também poeta e participante ativo da cena alternativa. Vários poemas dele foram publicados no Versos Livres

-

DESERTO
Maria do Socorro Xavier

Nesta tarde
De muito barulho
Ao longe .
Grande silêncio
Por perto
Só tu
Tua presença
Preencheria
Esse meu deserto.

Do livro PSICOPOÉTICA - Maria do Socorro Xavier
Contato : R Nevinda Cavalcanti,260/ Miramar/João Pessoa/PB
CEP 58108-560