sexta-feira, 29 de outubro de 2010

VERSOS LIVRES # 31

LIVROS RECEBIDOS

O post de hoje é sobre um livro escrito pelo Dr Silva Barreto, de São Paulo,  enviado para a redação do Versos Livres e mencionado em sua edição de  nº 31 do fanzine ; cuja remessa agradecemos.

CENTOEUMPENSAMENTOS

Cento e Cinco Pensamentos e Algumas Reflexões
(
para pessoas muito ocupadas) 
Autor :  S.Silva Barreto 
-
O livreto foi publicado em 2010, impressão e acabamento Ar-Wak Gráficas Ltda, (www.arwak.com.br). Não tem prefácio, nem dedicatórias e nem  informações sobre o autor, a não ser uma relação dos livros publicados por Silva Barreto.
-
Confira  alguns trechos do livro :

pensando

PENSAMENTOS
Silva Barreto

19. - É na impressão do que se ama, que existe o verdadeiro amor.
55. - Não se constrói uma sociedade com cigarras, mas,sim, com abelhinhas e formiguinhas.
62. - O nada e o infinito encontram-se no fim de nossa vida. Qual seria o segredo que restaria para os cientistas descobrirem ?
91. - O que se dá com as mãos, muitas vezes, recebe-se com os pés.
100. No Brasil, o pé vale mais que a cabeça.

-

REFLEXÕES
Silva Barreto

4ª - Auto- Crítica
Minha capacidade de trabalhar é inferior à minha necessidade de produzir, talvez porque minha inteligência, também, seja inferior a meus sonho e objetivos.
Não tenho método. Sou antecartesiano. Pesa-me, também, grande preguiça física e mental ou, talvez, uma conduta terrivelmente dispersiva, da qual, deterministicamente, não consigo me livrar.
Meu coração é excessivamente mole e sempre me conduz às mais diversas consequências que trituram meu tempo e minhas disponibilidades econômicas. Eis porque adio sempre a realização de meus sonhos e produzo, intelectualmente, muito menos do que poderia produzir, deixando-me tragar pela máquina trituradora do tempo, nivelando-me com a esmagadora maioria das pessoas comuns, frustradas e infelizes.
__________

Saiba mais sobre o saudoso Dr Silva Barreto em ...
http://www.mundolusiada.com.br/COLUNAS/ml_coluna_233.htm

sábado, 23 de outubro de 2010

VERSOS LIVRES # 31

Hoje ,publico  mais alguns poemas da edição nº 31, do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos. Como sempre, aguardo críticas e sugestões.

versos31

SEM TÍTULO
César Pereira

Junto palavras
como quem inventa moinhos

tão cálido é o gesto
que me nascem
pássaros e ninhos

(In: R.S.letras - editado por Dr. António Soares
Porto Alegre – RS )

___________

POETRIX
Raul Machado

Gosto dos versos soltos no ar, -
que teimam em não rimar
com outro, mas com a vida.

(in: R.S.letras - editado por Dr. António Soares
- Porto Alegre – RS )

_________

LÁBIOS DE MEL
Abel B. Pereira

Teus lindos lábios rosados,
"Lábios de mel de Iracema"!
Com doce sabor, feliz,
estão cheios de poemas,
de versos que eu nunca fiz !

(Abel Pereira é de Florianópolis e edita a revista "Figueira" )

LUPIN

Lupin e Marcelo Duarte Mathias
(
Lupin é um ilustrador consagrado na cena alternativa .
É de São João do Tauape, Fortaleza /CE
)

____________

POEMA SEM TÍTULO
Djanira Pio

Outros países 
Outros lugares
Outras pessoas
Outras dores
Outras fomes
São questões nas quais
Pouco ou nada pensamos

(A poetisa e contista Djanira Pio é de São Paulo/ SP
Confira a sua entrevista ao amigo Selmo Vasconcelos
http://antologiamomentoliterocultural.blogspot.com/2010/01/djanira-pio-entrevista.html)

_______

TROVA
Miguel Russowsky

Flerte, romance de olhares 
dizendo, em forma elegante,
mil promessas de luares
traduzidas num instante

(O saudoso Dr. Miguel era de Santa Catarina, um dos poetas mais premiados da cena alternativa )

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

VERSOS LIVRES #31

No post de hoje, outros poemas publicados na edição nº 31, do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos.

versos31

HÁ UM TIGRE EM MIM
Maura Soares  
(ao Jorge)

Há dentro de mim um tigre
que despertou com teu canto
Coloco agora minhas garras pra fora
Solto a minha voz
que amarrada esteve
estes anos na garganta
O tigre despertou para a vida,
olha pela janela
e vê com outros olhos o amanhecer
Acaricia o gato e nem se importa
com seus arranhões
A tristeza que antes esteve presente
está aos poucos indo embora
O tigre despertou,
mas ele de ti não quer sangue,
quer amor
- aquele amor que ama sem nome -.

Quero de ti o suor, choros e lágrimas
quero risos, quero esperança
quero o amanhã alegre
quero doçura
quero abraços
quero beijos
quero afagos
quero teu canto
quero teu samba
quero tua poesia.

A catarinense  Maura Soares pertence ao Grupo de Poetas Livres :. http://www.poetaslivres.com.br/

_________

AJUSTE DE CONTAS
Maria de Mello Bandeira

Deus que criou o mundo
deu ao homem livre arbítrio
uns têm a alma tão pobre
não seguem o que está escrito
Que o globo é para todos
Isso escrevo e acredito.

O homem não agradece
pois não tem amor profundo
Ao contrário,o que ele faz
é exterminar num segundo
O que Deus deu para todos :
a beleza desse mundo

A poetisa Maria é de Santa Maria, RS e têm seus poemas publicados no jornal Letras Santiaguenses, entre outros.

_________

TROVA
Walter Rossi

Eu quisera num segundo
atender o meu desejo,
sorver todo o amor do mundo
na volúpia do teu beijo !

Saiba mais sobre o paulista Rossi, no Jornal da Poesia :
http://www.revista.agulha.nom.br/wrossi.html

TEMPO555

TARDITURNO
Hamilton Vieira

A tarde se passa
a três quartos
de hora
de acabar-se

Dentro de mim
o coração se desdobra
em apontamentos
sobre o que será
da alma

Detestaria
que fosse tarde
para a tarde
me trazer tais afincos

De oratorium
prá si
E prá si apenas ?

Hamilton é da cidade de São Miguel Arcanjo - SP

_________

INTENSIDADES
Rubens Alves Pereira

a verticalidade do rio
que corre para um tempo sem margens.

humana presença
a navegar espaços perdidos em mapas
remotos.

terceira lâmina.
folha da inviolável carta
aos esquecidos endereços
do homem

navegar
se preciso fosse
a lugar algum das origens.

poema extraído da revista “Poesia, etc” 

_________

PROSA E VERSO
Apparecida Moreira

Aquilo que mais doeu
não contei para ninguém

Apparecida é de Bragança Paulista / SP

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

VERSOS LIVRES # 31

No post de hoje, alguns poemas publicados na edição nº 31, do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, São Paulo . 

versos31

VERSOS DE ORGULHO
Florbela Espanca

O mundo quer-me mal porque ninguém
Tem asas como eu tenho ! Porque Deus
Me fez nascer Princesa entre plebeus
Numa torre de orgulho e de desdém.

Porque o meu Reino fica para além ...
Porque trago no olhar os vastos céus
E os oiros e clarões são todos meus !
Porque eu sou Eu e porque Eu sou Alguém !

O mundo ? O que é o mundo, ó meu Amor ?
__O jardim dos meus versos todo em flor ...
A seara dos teus beijos, pão bendito ...

Meus êxtases, meus sonhos, meus cansaços ...
__São os teus braços dentro dos meus braços,
Via Láctea fechando o Infinito.

http://www.revista.agulha.nom.br/flor.html
_______

ODE AO PRIMEIRO POETA
Emílio Moura

Quando os homens desceram, um dia, dos montes e se detiveram trêmulos,
diante da planície imensa,
eu te vi erguendo a tua voz, forte, límpida e viva.
Eras jovem e tinhas a alegria de quem está descobrindo o mundo.

Foi a tua palavra que modelou a primeira paisagem, deu ritmo aos ventos e imaginou a beleza ingênua dos primeiros e únicos símbolos que se perpetuam.

Eras criatura e criador.

Estavas no gesto maravilhoso que armava as primeiras tendas e na mão indecisa que traçava o desenho mágico dos caminhos que se improvisavam;
na imagem da vida em que embebeu o primeiro surto livre do espírito;

estavas em ti mesmo e fora de ti,
quando os homens desceram, um dia, dos montes e se detiveram trêmulos,
diante da planície imensa..

http://emiliomoura.br.tripod.com/

___________

EU 
Aldo Moraes

Que se descubro
não me canso
se me encubro
vou de remanso
Como encurto
temo o tranco
Por ir muito
nem me danço
quinto mundo
acabo santo

Aldo é de Londrina, PR.
Mais nformações sobre ele está em  :
http://www.komedi.com.br/escrita/leitura.asp?Texto_ID=3309
_______________

untitled

AOS QUE SONHAM
Raul de Leoni 

Não se pode sonhar impunemente
um grande sonho pelo mundo afora
Porque o veneno humano não demora
Em corrompê-lo na íntima semente

Olhando no alto a árvore excelente,
que os frutos de ouro esplêndidos enflora,
O Sonhador não vê, e até ignora
A cilada rasteira da Serpente.

Queres sonhar ? Defende-te em segredo,
E lembra, a cada instante e a cada dia,
O que sempre acontece e aconteceu :

Prometeu e o abutre no rochedo,
o Calvário do Filho de Maria
E a cicuta que Sócrates bebeu !

Saiba mais sobre o poeta Raul de Leoni, em  http://www.luzmediterranea.blogspot.com/

_________________

MEN(TE EM) TIRAS
Ari Lins Pedrosa

Estropiada a mente,
calosa de mentiras.
Chego a ver chagas,
neste baú de ilusões.

Ser-não-ser,
fica o dito pelo não dito

O alagoano Ari também é cronista e jornalista.
O grande Luiz Alberto Machado analisa seu trabalho em
http://www.sobresites.com/poesia/resenha/ari-lins-pedrosa.html

__________________

CALOR
José Vieira

Oh, nefasto existir
eis a fornalha a dilacerar.
O calor despótico a me consumir
uma vida a me torturar
O sol/calvário me fenece
meu coração sempre padece !

José Vieira é mineiro , da cidade de Galiléia, e sempre colabora com o fanzine Versos Livres 

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

VERSOS LIVRES # 31 -

versos31

CRÔNICA

Nosso post de hoje , traz mais uma crônica que foi publicada no suplemento "DOIS", do Versos Livres nº 31.
Trata-se de uma crônica de Regina Menezes Loureiro, de Vitória, Espirito Santo. 
-
É O IMAGINÁRIO QUE FAZ O QUE A GENTE É

literatura

Regina Menezes Loureiro

Em que medida a literatura pode contribuir para a formação intelectual de um cidadão?
A obra literária tem significado pedagógico e político? E o romance também se constitui em objeto de análise e reflexão para a construção do caráter de um povo?
Literatura é qualquer uso estético da linguagem. Como a primavera, a literatura faz desabrochar as flores da naturez:a humana que existem em cada um de nós. E como se fosse um sonho para criar o futuro.
É emoção que não se guarda. A literatura está sempre a serviço da vida.
A linguagem plena de rebuscamento literário com pensamentos harmoniosamente concatenados pela prosa, rima e ritmo retrata o ambiente social e psicológico de uma época e aproxima a obra dos costumes da comunidade de onde se originou e da que a adotou.
A literatura é para ser legal, divertida, bacana, engraçada, emocionante:.. não pode ser teste de memória. É elo entre gerações, é registro de sentimentos e vivências. É o fruto que se colhe na vida que se leva.
Como pássaro que voa através de séculos cantando seu canto e traz na voz o silêncio de suas entranhas, a literatura descreve tragédias e conquistas para desnudar amores e paixões..
Ao admirar uma paisagem ou descrever um episódio, imaginário ou não, o autor interioriza imagens, experimenta sensações, se educa e também transforma o que resultou em obra literária cheia de vida e arte, pronta para ser usada.
O escritor que investiga o seu íntimo e preserva o útil e o bom esparge maná para os corações sensíveis de leitores que se apropriam do escrito, absorve conteúdos, transforma e se educa.
Tenho a convicção de que é grande a responsabilidade da família e da escola. Por isto estes educadores devem sempre oferecer o que há de melhor para seus filhos e alunos. Só assim eles serão seres pensantes e sensíveis, críticos e exigentes, capazes e com história própria para transmitir.
__________________

Um trecho desta crônica foi publicada no Versos Livres nº 31. Regina é editora do jornal "As Acadêmicas", juntamente com Maria José Menezes.  O endereço de "As Acadêmicas" é R. Chafic Murad, 54 - Ed. Paraná, apto 702 - Bento Ferreira - Vitória - ES. email: loureiro@tribunaonline.com.br 

VERSOS31DOIS  

domingo, 10 de outubro de 2010

IMPRENSA ALTERNATIVA


Uma das publicações muito conhecida na Imprensa Alternativa ,é A Teia, editada por Cião. É dessa publicação que trataremos no post de hoje. 

A TEIA

A TEIA
Editado por Cião

Rua Poltronieri, 141 - Jaguariuna - SP- CEP 13.820.000
-
O fanzine é feito em apenas uma folha, frente e verso, montado como um folheto, e contém poemas e frases.
-
A seguir, uma pequena mostra do conteúdo da famosa "A Teia" :
-

VINÍCIUS
Roberto Pompeu de Toledo

As muito belas que me perdoem, mas
apesar do infinito enquanto dura,
e posto que é chama e etcétera e tal,
Drummond é que é fundamental

___________

MOMENTOS
Cecília Fidelli

Na gaveta
o seu poema inspirado
cheio de encantos românticos...
No porta retrato, você !
Irresistível !
No pensamento, emoções
sugestivas.
No coração,
a silenciosa magia .

___________

NEM TUDO
Mauro Salles

Nem tudo é proibido :
a rosa é dádiva
e há pétalas no caminho salpicadas
O sol é dádiva
o mar, o vento, o fruto
o pouso do guerreiro e as suas asas
abertas na ilusão do viandante
A sombra, o sonho, o olhar de súplica
a voz inesperada, o amor incerto
o gesto sôfrego, o adeus, o abraço, o afago
....nem tudo é proibido.
A vida passa na folha que cai
no momento perdido
e na dúvida que fere vezes mais
que este medo de espinhos de que fugimos

________________

SEM TÍTULO
Roberto Pompeu de Toledo

" No meio do caminho
tinha "A Educação da pedra"
e ficou-nos a dúvida crucial ;
Será mesmo Drummond ?
Ou agora é esse João Cabral ?"

FIDELLI

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

CONCURSO CULTURAL

7o CONCURSO ROGÉRIO SALGADO DE POESIA

Devido ao sucesso obtido com as edições anteriores, a Promotora Cultural Virgilene Araújo institui o 7o Concurso Rogério Salgado de Poesia, com o objetivo de incentivar a cultura, a poesia e a leitura de modo geral, além de homenagear este poeta que comemora este ano, 35 anos de poesia.

Poderão participar poetas de todos os estados do país. Cada autor poderá inscrever até três poemas, que deverão estar digitados ou datilografados, de no máximo uma lauda (30 linhas, incluindo espaços de uma linha para outra), e enviados em 03 vias cada um. Os poemas não poderão ter identificação de sua autoria, sendo que no rodapé da página deverá constar apenas o pseudônimo do autor. Anexar à parte, envelope lacrado contendo em seu interior o nome, endereço e telefone e e-mail para contato (se tiver). Por fora do envelope, constar o(s) título(s) do(s) poema(s) e pseudônimo do autor. No ato da inscrição será cobrada uma taxa de R$ 5,00 (cinco reais) para despesas de manutenção do concurso, enviada em forma de cheque nominal a Virgilene Ferreira de Araújo. Caso ache mais prático enviar o valor em espécie, será enviado recibo para o poeta inscrito.

As inscrições deverão ser enviadas para a Caixa Postal 836 – Belo Horizonte/MG – Cep: 30.161-970, até o dia 30 de novembro de 2010, fazendo valer a data da postagem.

Serão selecionados por um júri composto de dois poetas, convidados pela organização do concurso, além do poeta homenageado, três primeiros lugares, que receberão, além de certificados, um pacote literário composto de excelentes livros e Cds, como incentivo a uma maior incidência de leitura. Caso os jurados achem necessário, serão conferidas menções honrosas.

Maiores informações pelo telefone: (31) 3464.8213, 8421.6827 e 8416.8175.

Obs: as inscrições enviadas que não obedecerem o regulamento, serão automaticamente desclassificadas.
____

Saiba mais sobre Rogério Salgado em :
http://www.psiupoetico.com.br/blog/rogerio-salgado/

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

VERSOS LIVRES # 31


LIVROS RECEBIDOS

O post de hoje é sobre o livro " A Difícil Vida Inteligente",
enviado para a redação do Versos Livres e mencionado na edição nº 31

ADIFICILVIDALIVRO

A DIFÍCIL VIDA INTELIGENTE
Autora : Djanira Pio 
-
Trata-se de um livro de crônicas e contos ,  publicado pela  Stortecci Editora
-
A arte de capa é de Karina Cardoso, a diagramação de André
Alburquerque.
-
O livro é dedicado  aos pais da autora, Dona Herculana Delfina de Carvalho, aos filhos Débora, Daniel e Rafael, aos colegas e amigos. À guisa de prefácio tem uma citação de Margaret Atwood e uma outra, de Osho, na
orelha do livro.
-
A crônica "Costumes" é uma pequena  mostra do conteúdo do livro .

Chapelaria_Globo_decada_de_1930_ou_1940ramonbrando

COSTUMES
Djanira Pio

A década é de quarenta. O vizinho chega de longe, antes do sol nascer.
Sendo domingo, vai visitar parentes e sitiantes distantes.
Na porta da frente, vários homens conversam.
São homens rudes, executam trabalhos pesados, braçais para manter a
família do melhor modo possível.
Às mulheres cabem os chamados, serviços domésticos: casa, cozinha,
roupas, lavar e remendar, passar, costurar. Cuidam dos filhos e animais domésticos. Formam jardim e horta. Aos domingos é permitido passear e
levam os filhos para brincar e conviver com os primos.
Geralrnente na casa do avô, o patriarca.
Agora, as crianças aprendem com os adultos, que falam entre si,
estarrecidos: "Na Rússia, atrás da cortina de ferro, as mulheres fazem
trabalhos pesados.Não são respeitadas, fazem trabalho de homem!".
As crianças tentam visualizar uma cortina de ferro. Balançaria ao vento?
Aqueles homens de aspecto rude, sem escolaridade. não aprenderam a ser
ternos, mas tinham códigos de conduta. Mas isso foi há muito tempo.
-
Endereço da autora : Djanira Pio :  Caixa Postal 11.161 • São Paulo • SP •
05422.970 - apiosoa@yahoo.com.br
Endereço da editora : Grupo Editorial Scortecci : editora@scortecci.com.br
-
Mais informações sobre Djanira em
http://www.scortecci.com.br/lermais_materias.php?cd_materias=5967
http://antologiamomentoliterocultural.blogspot.com/2010/01/djanira-pio-entrevista.html

-
versos31

 

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

VERSOS LIVRES # 31 - CRÔNICA

versos31 
No post de hoje, publico uma crônica de Rosemary Lopes Pereira, extraída do jornal O Radar ; que foi publicada no Versos Livres nº 31, no suplemento Dois.

luz_ao_fundo_do_tunel

A LUZ SOBRE AS TREVAS
Rosemary Lopes Pereira

Na Capela tão antiga. Com arabescos dourados. Um encontro com Bach e Mozart. Era fim de tarde. Ouase noite. Sala lotada. Até no alto das laterais. Platéia em silêncio. Aguardando o momento místico.
Do anunciado Concerto. Naquele cenário mágico. O Maestro era um ponto de luz. Entre a platéia e a orquestra. Suas mãos pareciam gaivotas em alto mar. Lembravam oratório. Incenso e genuflexão. Estado de graça. Imaginei um mundo assim. Não contive as lagrimas. Chorei.
Era a lágrima que lavava minha alma. Questionando comigo. A procura da justiça e da paz. Onde teria ficado. A rua com pedrinhas de brilhantes. Para o meu amor passar? O respeito pelo sagrado. Pela vida?
Cristo foi traído. E crucificado. Mas os fariseus continuam aí.
Sempre na primeira fila. Batendo no peito. Vendendo a hipocrisia.
Mas a graça está com os simples. Nestes dias de trevas. De ramos. De príncipe e de rei. A luz vencerá as trevas.
Senhor. Aqui estou. De mãos vazias. Mas coração cheio. Desse amor que me ilumina. Vejo o horizonte. As belezas da criação divina. Vejo e me extasio. Com essas cachoeiras nascidas da terra.
Esse vergel que amacia o campo.Esse alimento que mata a fome. Quanta beleza! Criada pelo Pai Eterno. E nós. Como podemos ser tão ingratos. Tantas mortes sem explicação.Como é bom Senhor. Ouvir uma musica. Ler um verso. Correr pelas campinas verdejantes. Beber água pura. Abençoada água viva.Que mata todas as sedes .Senhor. Pouco lhe ofereci.
Nesta quaresma de trevas. As trevas serão dissipadas. E a luz vencerá a escuridão. Pelo amor do divino amor. Pelas belezas e pelo amor. O paraíso começa.
__________________

Um trecho desta crônica foi publicada no Versos Livres nº 31.
Rosemary é cronista e diretora do Jornal  O Radar,onde mantém sua famosa coluna de crônicas e a coluna Posta Restante, onde responde com atenção e simpatia às cartas enviadas para a redação. O endereço para correspondência de Rosemary é Caixa Postal 601 - Apucarana - Paraná - CEP 86800.970

-
VERSOS31DOIS

terça-feira, 5 de outubro de 2010

IMPRENSA ALTERNATIVA

Na postagem de hoje, divulgo mais uma publicação da cena alternativa. Dessa vez , um livro de P.J. Ribeiro ..
_

CONTOS SOB SUSPEITA

P J RIBEIRO

P.J. Ribeiro
pjribeiro2006@hotmail.com
Edições Totem , Cataguases/MG
-
Capa e efeitos visuais : Natália Tinoco – Projeto editorial e gráfico : Joaquim Branco
Impressão : Gráfica Líder –
-
Contos brasileiros
-
A apresentação , na orelha do livro, traz a assinatura de Joaquim Branco , que , entre outras coisas, diz : “Pelos títulos dos livros de Pedro José Branco Ribeiro, que assina P.J. Ribeiro, dá para sentir o insólito de sua construção literária.”
-
E, a seguir, uma pequena mostra do trabalho de P.J. :

_____

99X4-9Y61

Tava dançando com ela, de repente ela me disse que ligasse pro celular dela que era 99X4-9Y61, mas que lhe avisasse na véspera, pois este ficava sempre desligado.
Em seguida perguntou s'eu tinha papel e lápis pra anotar, eu disse que não, mas que não importava, eu guardava esse número na cabeça, afinal tinha sido bancário, pra mim era fácil guardar um número tão fácil.
Depois, trocamos muitos beijinhos de despedida.
Dias mais tarde nos desligamos
______________

BEM ACIMA DO MEU QUARTO

Bem acima do meu quarto mora uma viúva, com dois filhos pequenos, que atende 24 horas por dia. É só marcar. Logo abaixo dessa viúva moro eu num quarto cujo telhado é todo, todo-todo, de vidro.
__________

PENUMBRA

Quem dera se estivéssemos abraçados na penumbra, ao som de um fox-trote trotando nossos corpos, moldando nossos rompantes.
E depois logo viria o beijo caliente saindo de nossas bocas trepidantes, suadas mãos se apertando, membros se esfregando.
Eu arrumando o cabelo, você passando os dedos agéis na minha nuca.
Fervendo a cuca.
__________

MINUTOS

Faltam dois minutos preu ir-me embora.
Mas, não penso em fazer nada agora, pois só vejo estradas e canais e mangues e capinzais.
Aí percebo dentro de mim uma rima abóbora e imbecil, talvez até um pouco torta.
Porém, só faltam dois minutos p'reu ir-me embora quando também noto, bem acima da minha cabeça, a presença de um novo espaço azul infinitamente aberto.
Enfim, tomo coragem e peço aos céus que mandem com força e de imediato uma grande quantidade de vento ou tempestade, para que finalmente tudo se acalme e assim eu possa nascer de novo.
_______

FUTURO AO MOLHO PARDO

Não sabia que era sua filha, oh, Trude, não almejo tanto, se soubesse garanto que não insistiria.
Agora os dias irão se fazendo como o barro faz telhas e, os pedreiros, casas.
Não me pergunte, Trude, aonde pretendo chegar qu ' eu não saberia lhe responder mesmo.
Vamos levando a coisa assim, desse jeito, temperando, preparando um caldo especial.
Pra depois jogar por cima, bem por cima, do nosso futuro ao molho pardo.
__________

- Para saber mais sobre P.J., acesse http://portalcataguases.com.br/portal/index.php/2009/10/24/sobre-p-j-ribeiro-titulo-a-descobrir/

- E aqui outros contos de P.J.: http://www.jornaldepoesia.jor.br/pjribeiro1.html http://kplus.cosmo.com.br/materia.asp?co=471&rv=Cigarra