terça-feira, 5 de abril de 2011

VERSOS LIVRES # 20, PARTE TRÊS

No post de hoje, a terceira e última parte dos poemas publicados no Versos Livres, edição nº 20.  Confira os trabalhos de Rozana Cominal, Lau Siqueira ,Claudete de Jesus Assumpção , Paulo César Vicentini .   
VERSOS 20.

SPELL
Rozana Cominal

Meu rosto vivaz, inexpressivo
lágrimas leves, espessas
olhos atentos, cegos
sorriso tímido, atrevido

amor  vulcânico, platônico
espelho invisível, reflexivo
eu louca, atônita

Seus lábios trêmulos, anestesiados
sensação de alívio, de torpor
grito estridente, rouco
olhar  vidrado, ausente
amor prisioneiro, livre

imagem viva, opaca
você vai, vem
Nossas mãos dadas, isoladas
pés descalços, encobertos
pensamento lento, rápido
corpos ardentes, cadavéricos
alma gêmea, ímpar
boca santa, profana

espelho meu, seu

Conheça outros poemas da Rozana no ótimo site "A Garganta da Serpente" http://www.gargantadaserpente.com/toca/poetas/rozana_cominal.php . Aproveitem e dêem um passeio pelo site, porque vale a pena.

-

ACOSSO
Lau Siqueira

mastigo palavras com as cinzas
espalhadas sobre os seus alhos

suas entonações casuais que ao
mesmo tempo são grandes desc
obertas ao som das luzes que se
mov
imentam na incomplet
ude das
coisas

escrevo porque em mim
habitam silêncios ainda não per
corridos
silêncios dormidos no maio
dos anos

sobretudo permuto safras de
olvido em preservações ácidas
como o esterco das manhãs

ando com palavras em busca
da minha própria ilha

começo de rio no riso que
diz sim

http://poesia-sim-poesia.blogspot.com/
-
sol_manha

ROSA DO MEU EU
Claudete de Jesus Assumpção

Manhã radiosa. Um júbilo que enternece
Natureza em calmaria, luz do sol, resplendor !
Mistério é a vida ! Coração se abre em prece.
Flores desvirginadas nas campinas, Sorria ao Criador.

Há lentidão nos passos futuros dos humanos
Cantigas ancestrais, soam dos Senhores dos Ventos
Lágrimas acariciam "gosto de sal" um rosto esculturado
Dignificado no amor, partiu alma em fogo no relento.

De súbito o amor tão forte.
Serpenteou em minhas veias
Deserto das minhas manhãs, que mapeam minha alma
Essência seral, signo das virgens sereienas.

Esta dor profunda, que sangra ! Fere como espinhos !
A rosa do meu Eu nos verdes das alpinas
Dorido canto. Ah, manhã raiada ! Estrela vespertina !!!

Claudete é de Taubaté, SP

-

CARTA A MIM
Paulo César Vicentini

O sofrimento nos é cancerígeno
E a vida nosso único bem de valor
O coração sofre com as desigualdades mil
Há ! Liberte os seus passarinhos !
Dê-lhes uma chance de conhecer a liberdade !
Não brinques de criador cósmico, de doutrinador
De Juiz Supremo
Não bebas a cachaça dos poderosos.
Ela é o seu veneno vital .
E não coma as suas refeições,
pois elas também estão envenenadas...

Passo Fundo - RS

Um comentário:

  1. Oi Touché,

    Só gente boa por aqui.

    Obrigado por compartilhar meu querido, um lindo dia.

    Aquele abraço!

    ResponderExcluir