segunda-feira, 27 de junho de 2011

VERSOS LIVRES Nº 17 - parte um

 

No post de hoje inicio o conteúdo da edição nº 17, do fanzine Versos Livres.
Publico ainda um poema meu e um poema de Pedro de Bois enviado por email, além da música "Maria, Maria", que traz essa frase incrível :  "quem traz na pele essa marca, possui a estranha mania de ter fé na vida" ( Milton Nascimento e Fernando Brant ) . Espero que gostem !!

versos 17

PORTAS DO ENGODO
Sammis Reachers 

O inferno tem 666 portas;
O Céu apenas uma
Ave
é lindo o alçapão de Satã, 
e dulcíssimo seu alpiste,
e mimosas suas guirlandas de adorno.
666 portas, de altos pórticos em arco,
de boa largura, feitas em  mármore, ouro e prata,
com soleiras de esmeralda e berilo.
Dura é a prisão, e as
Chamas do forno lá dentro, ô ave.
E o canto de dor, ali, será pela eternidade.
No céu há uma pequena porta apenas,
Humilde e escavada na rocha.
Mas é Viva esta Rocha onde se abre a Porta.
Saia da terra, ave; Salte
E voe por sobre os laços.
Não temas o vento;
Peça força, e ser-lhe-á dado Poder.
Voe para os céus
Enquanto ainda é aberta a porta,
Enquanto ainda lhe hão
As asas

O amigo Sammis é de São Gonçalo, RJ e já foi publicado várias vezes no Versos Livres.  Conheça o seu trabalho em  http://www.jornaldepoesia.jor.br/sammisreachers.html

barra9me

HINO À RAZÃO
Antero de Quental

Razão, irmã do Amor e da Justiça,
Mais uma vez escuta a minha prece.
É a voz dum coração que te apetece,
Duma alma livre, só a ti submissa.

Por ti é que a poeira movediça
De astros e sóis e mundos permanece;
E é por ti que a virtude prevalece,
E a flor do heroísmo medra e viça.

Por ti, na arena trágica, as nações
Buscam a liberdade, entre os clarões;
E os que olham o futuro e cismam, mudos,

Por ti, podem sofrer e não se abatem,
Mãe de filhos robustos, que combatem
Tendo o teu nome escrito em seus escudos!

http://www.ruadapoesia.com

barra9me

VIDE VIDA

Zhô Bertholini é de Sto André•  São Paulo• SP
http://revistacigarra.blogspot.com/2010/05/vagamundo-zho-bertholini-fevereiro-de.html

barra9me

ARMAGEDOM
Marcelino Rodrigues de Pontes

Armagedom
á margem, dor
a imagem, dó
armar é ódio
amar é dom

Marcelino , além de escritor é o idealizador e organizador da Antologia Literária e Artística - Artez - www.artez.kit.net

barra9me

SEM TÍTULO
Jairo de Matos

Saudade do velho cine,
da velha vila e seu povo,
bairro... tão bela vitrine,
quisera vê-la de novo.

Jairo é também editor de " O Grilo" . é de Jundiaí, São Paulo 

barra9me

FINAIS
relogio-thumb
Pedro Du Bois,

Traz consigo
o que não tem: tempo
desejado

vende o momento
ao atraso e se satisfaz
em trocos, chega
ao fim despreparado
em visitas ocasionais

consigo a inútil
razão do horário:

o relógio repete
as horas.

roubado do blog Telescópio Negro, do amigo Doutor Everi Carrara
http://www.jornaltelescopio.blogspot.com/

barra9me

ESCREVO CLICHÊS
Touché

Estou tentando fazer uma poesia sincera. Os ruídos da cidade
são a nossa canção. Meus amigos estãos nos livros,nas minhas recordações.
Agora falo bem pouco, tenho bem menos a dizer.
Ouvindo velhas histórias, de muitas esquecerei. Crio minhas fantasias, viajo no arco-íris. Das roucas vozes do blues, tiro a inspiração.

Faço poemas sinceros,nem novos,nem maus ou  bons , apenas versos bem simples,
de frágil imaginação. Escrevo clichês pros covardes,
prá quem tem nada a dizer, Prá quem não espera nada,  trago frágeis esperanças .
Ela está esperando a morte, mas eu não sei consolá-la  .
Sei escrever essas coisas, reescrever essas histórias, refazer os sentimentos
que se prolongam há anos.   

(Poema feito a partir de uma pergunta de Mário de Andrade : "escrevemos para nós ou para os outros ?" .  Eu gosto de dizer que escrevo para quem não lê poemas, para os desesperançados, para os tristes. Escrevo para contar as suas histórias. quem sabe alguém algum dia,se compadeça deles.  Talvez eu possa ajudar em alguma coisa, escrevendo. Será ?)    

Nenhum comentário:

Postar um comentário