sexta-feira, 1 de julho de 2011

VERSOS LIVRES 17 - PARTE TRÊS

Olá !!!
No post de hoje, poemas extraídos do fanzine Versos Livres, edição 17. E um poema de Eliane Alcantara, uma poetisa que gosto muito.

versos 17

POEMA
Jurema Barreto de Souza

A boca da noite
tem sabor de café expresso
onde adoço meus versos
e os sorrisos
que eu não tinha
por dentro...

http://kplus.cosmo.com.br/indice_geral.asp?rv=Cigarra
http://www.palavrarte.com/equipe/equipe_jurema.htm

barra9me

CARTA
Barros Pinho

pássaro escreve
escreve na folha
no vento na chuva
no rio no mar
na sílaba do sol
na metáfora do canto
semântica do verde
estranho poeta
semente da vida
na carta do pássaro

in: Jornal Vaia - Porto Alegre - RS  -editor : Marco Marques
http://jornal-vaia.blogspot.com / vivavaia@ig.com.br -
Confira a obra de Barros Pinho em 
http://www.revista.agulha.nom.br/pinho.html

barra9me

BRISA
Maria do Socorro Xavier

Passou-me
Um furacão
De ódio
Uma trepidação
De ciúme
Uma ventania
De paixão
Uma brisa
De ternura
Uma umidade
De desejo.

(in  " Psicopoética") Maria do Socorro é  João  Pessoa - PB . Saiba mais em  http://www.revista.agulha.nom.br/mscardoso.html

barra9me
Arrependimento barra9me

SEM TÍTULO
Jamil Dias Pereira

Neste momento
queima-me o fogo
das coisas que eu não fiz ; 
e das que tive que fazer    

Jamil é ator, diretor e poeta bissexto. É um dos poetas de Guarulhos/SP. http://www.4act.art.br/jamil-dias.html

barra9me

SEM TÍTULO
Ilídio Soares

O inferno
pertence àqueles
que quiseram
o abraço ...

E tombaram
antes de terem sido queridos

barra9me

O (MEU) CORAÇÃO
Mulher_sensual
Eliane Alcântara.

Meu coração quer sentir o calor de seus lábios em meus ouvidos
entender certas mentiras em voz doce e um pouco sincera.
Meu coração quer sentir o encanto de sorrir criança na chuva,
pequenino voar em seus segredos pela razão de não existirem.

Quer sentir o prazer de seus olhos e deitar nu, puro,
no seu peito macio e calmo a controlar meus medos.
Provar do gozo dos seus delírios, junto deitar e amar
violetas, canções, fumaça, qualquer besteira a quatro mãos.

Um poema, um comer, um rir-se do tudo/nada e mais.

Minha vida quer rolar sem paradeiro em seu corpo,
cair no abismo de seus sonhos e arrematar a tarde
princípio de nós, noite e fogo nos conchavos do tempo
a brindar sussurros e abraços no fundo das cores.

Enredar um vaso de estrelas na cama acesa
vento de onde sinaliza o bom e o gosto predileto
da dança colada fora do jeans, fora do ontem,
só o agora crispado de essência na pele, saliva.

Na verdade, meu coração quer saber-te de qualquer forma.
Beber-te, comer-te, lambuzar-te, ternurar-te
E dane-se a gramática em constante reforma!
Meio a arte meu coração só tem um propósito: amAR-TE!

http://www.eliane_alcantara.blogger.com.br

Um comentário:

  1. Antonio,

    Você é um querido!!!

    Obrigada por encher minha vida de poesia!
    Abraços!

    ResponderExcluir