sábado, 10 de setembro de 2011

VERSOS LIVRES 15 - PARTE DOIS

No post de hoje, alguns poemas publicados na edição nº 15, do fanzine Versos Livres . Também poemas  de Adriana Manarelli e Silvio Afonso.E uma traquinagem da Sayô.  Deixe nos comentários suas críticas e sugestões. Paz e poesia !

VERSOS 15

PRELÚDIO
Eunice Mendes

o amor não é feito
desta matéria
que arde na cama
embora assim se insinue
o amor é este fogo indissolúvel
que nos une e nos perpetua
por dentro
um no outro pregado
depois do fogo extenuado

o amor é este silêncio aceso
esta cave prenhe
este sondar de mãos
que se tocam
e de olhos que se olham
despidos de si mesmos

este vento livre dentro do peito

A amiga Eunice é de Santos, SP. Saiba mais em
http://novapoesiabrasileira.blogspot.com/2010/06/eunice-mendes.html

-

TEMEI, PENHAS
Claúdio Manoel da Costa     

Destes penhascos fez a natureza
O berço em que nasci: oh! quem cuidara
Que entre penhas tão duras se criara
Uma alma terna, um peito sem dureza!

Amor, que vence os tigres, por empresa
Tomou logo render-me; ele declara
Contra meu coração guerra tão rara
Que não me foi bastante a fortaleza.

Por mais que eu mesmo conhecesse o dano
A que dava ocasião minha brandura,
Nunca pude fugir ao cego engano;

Vós que ostentais a condição mais dura,
Temei, penhas, temei: que Amor tirano
Onde há mais resistência mais se apura.

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/arcadismo/arcadismo.php

-

SÓ VOCÊ
Adriana Ribeiro Vieira

Só você faz com o que amor
seja o sentimento
mais importante no meu coração
E que a saudade a todo instante
me proporcione a inspiração
para escrever uma declaração
depois de nos encontrarmos 
no sonho

Você sempre me emociona
quando de repente telefona
por guardar no pensamento
uma data especial
do nosso relacionamento

Só você
que no ano inteiro me entende
Os meus pedidos atende
E que me envolve com carinho
quando ficamos bem pertinho.

Só você é o meu namorado
E quando estamos abraçados
tenho a convicção
que também me ama

Por isso
quando trocamos um beijo
ao sentir suas mãos no meu corpo
compartilhamos os nossos
momentos de felicidade

Adriana sempre colabora com o Versos Livres. Ela é de Poá ,RS

-

ALQUIMIA
Adriana Manarelli

O sensorial se desdobra:
Eco pungente
Do coração
Que não se altera,
Bate-que-bate.
Visceral língua quente
Que despontada ao longe
É o núcleo
Da lua de cipreste
Cor de alfazema.

Coágulo de sangue
No rastro puro
De verbena e sândalo,
E penugem de prata,
E mãos de veludo:
Profundezas do essencial,
Pulsação vermelha do torvelinho aquecido,
Túnel de ouro azul.

Na ponte dos suspiros,
Orgulhosa de mim mesma,
Suspiro
Gratificada,
Sob esse amparo
Água flórida lápis-lazúli.

Outros poemas de Adriana Manarelli podem ser encontrados no blog do meu amigo Everi Carrara , escritor e advogado de Araçatuba/SP - http://jornaltelescopio.blogspot.com/

-

O CAIR DA NOITE
silvioafonso

Como o sapo eu olho o céu em busca dos meus sonhos.
Já não penso no príncipe que eu não fui. Não pretendo o
beijo da menina ou que me perdoe a natureza por não ter
a beleza pretendida. Olho para o alto e sinto o dia indo
embora levando com ele as cores alegres das imagens
guardadas nos meus olhos. A noite em preto e cinza traz
com ela o cintilar das estrelas e a pretenção do luar.
Num salto volto para dentro de mim e esqueço lá fora o
lindo quadro que pintei.

Silvio é um mestre. Confiram outros poemas dele em
http://palhacopoeta.blogspot.com
http://reflexosespelhandoespalhandoamigos.blogspot.com/

 

clara

Nenhum comentário:

Postar um comentário