domingo, 30 de janeiro de 2011

VERSOS LIVRES # 32 - SEGUNDA PARTE

No post de hoje,textos de  Filipe Teixeira, Adélia Einsfeldt, Larí Franceschetto , Raimundo D'Magalhães e Cícero Pedro de Assis , publicados na edição nº 32, do fanzine Versos Livres

VERSOS 32

VÔO RASANTE
Filipe Teixeira

Ela não era bonita.
Mas a sombra dos seus cachos
nas costas brancas
pontilhada, às vezes,
pelas imperfeições de toda mulher
real,
foram suficientes
para um vôo rasante

http://recantodasletras.uol.com.br/autores/filipetv
Fortaleza CE - in: Só meu gato me entende.

-

SÁBADO À TARDE
Adélia Einsfeldt

Num sábado à tarde reina o Poeta
Alma e poesia transcendem
às súditas palavras

Porto Alegre RS
adeliaeinsfeldt@yahoo.com.br
http://www.talentosdamaturidade.com.br/galeria/galeria-pessoal/user/adelinha

-

MINHA CASA
Larí Franceschetto

Navegando os dias
Procuro em teus rumos
O favo de mel das pa(lavras)
Que abasteçam a boca
De doçura
E os passos sobre o chão
não anoiteçam.

A andança é densa,
De isca vou à caça
Para desvendar o que não tenho
Tenho é um coração embevecido
Pulsando em ti, cidade
Onde a emoção não envelhece
E me consome

Veranópolis- RS -
http://antologiamomentoliterocultural.blogspot.com/2011/01/lari-franceschetto-entrevista-n-293.html

sebastiao salgado Movimento Sem Terra

LÁGRIMAS E TERRA
Raimundo O'Magalhães

Toda terra
Tem um resistente grito!
Escuta-o quem a sente
De amor infinito !...
Toda terra
Tem o brado dos seus mortos,
Filhos ou não!
Raízes, pele, ossos, caídos
Adubando-a de chão a chão!
Ora !... na negritude dos seres marcados!
Ora !...nas emboscadas febris do poder!

Raimundo é  Ananindeua  BE  PA  

-

O NOBRE TAUBATEANO
Cícero Pedro de Assis

A carreira literaria
É um difícil balé
Que exige muita perícia
Muito esforço e muita fé
Vou falar de um escritor
Natural de Taubaté .
Estou versejando aqui
Sobre Monteiro Lobato
Que em nossa Literatura
Merece decente trato,
Porque inegélvelmente
foi um grande literato.
Dia 18 de abril
Assinala o nascimento
Do nobre taubateano,
Um cidadão de talento
Cujo viver literário
Não foi poeira no vento;
Lutando pelo petróleo
Em prol de nossa nação,
O renomado Lobato
Recebeu ingratidão.
Em vez de encontrar apoio
Foi recolhido à prisão.
Esereveu para crianças
E adultos do Brasil,
Registrando a competência
De seu caráter viril
Mas quem consagrou seu nome
Foi seu público infantil
Dos livros lobatianos
Não sei qual é o mais belo.
São majestoso jardim
Com deslumbrante castelo,
Basta falar-se no SíTIO
DO PICA-PAU AMARELO

http://recantodasletras.uol.com.br/cordel/220046
São Paulo - SP -

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

VERSOS LIVRES Nº 32 - PRIMEIRA PARTE

-
No post de hoje , texto de Bukowsky, Zaira Cantarelli ,  Olavo Fontes, Cecília Fidelli , Aricy Curvello , que foram publicados no fanzine Versos Livres nº 32.
-

VERSOS 32
UM POEMA É UMA CIDADE
Charles Bukowski

um poema é uma cidade cheia de ruas e esgotos
cheia de santos, heróis, pedintes, loucos,
cheia de banalidade e bebedeira,
cheia de chuva e trovão e períodos de seca,
um poema é uma cidade em guerra,
um poema é uma cidade perguntando ao relógio por quê,
um poema é uma cidade em chamas,
um poema é uma cidade rendida por armas
suas barbearias cheias de bêbados cínicos,
um poema é uma cidade onde Deus anda pelado
pelas ruas como Lady Godiva,
onde cães latem à noite e perseguem a bandeira;
um poema é uma cidade de poetas,
quase todos um tanto semelhantes
e invejosos e amargos...
um poema é uma cidade agora,
50 milhas de lugar nenhum,
9:09 da manhã,
o gosto de bebida e de cigarros,
sem polícia, sem amantes, andar pelas ruas,
este poema, esta cidade, as portas fechadas,
barricadas, quase vazia,
desolada sem lágrimas, envelhecendo sem pena,
as montanhas rochosas,
o oceano como chama de lavanda,
uma lua destituída de grandeza,
a pequena música que vem das janelas quebradas...
um poema é uma cidade, um poema é uma nação,
um poema é o mundo...
e agora eu enfio isso debaixo do copo
para o exame detalhado do editor maluco,
e a noite está noutro lugar
e débeis damas cinzentas estão na fila,
cão segue cão até o estuário,
as trombetas trazem a forca
enquanto homens pequenos se gabam de coisas
que não podem fazer.

in: Jornal Vaia - R. Demétrio Ribeiro, 706/601 -
Centro - Porto Alegre RS 90010.312

-

EXTREMOSA
Zaira Cantarelli

Vou ficar à sua sombra
me cobrir de verde
para esconder
esta nudez extrema
despida de letras
colher palavras
retalhos de verbos
contar segredos
em versos esquecidos
ler-me em silêncios
eu dentro de mim

Rua Chile, 918  apto 304 Jd Botanico
Porto Alegre RS 90670.140

OLHOS335 

SEM TÍTULO
Olavo Fontes

tenho vontade de ver
as coisas como realmente são,
mas só consigo ver
através dos meus olhos

-

AVANÇAR
Cecília Fidelli

Desvendar os caminhos
e passar pelas provas
identificando as estrelas.
Direcionar energias,
curtindo os sonhos
com ares de primavera.
Viver o presente
sincronizando a vida
com o coração à vontade.
desfrutando por inteiro,
do sol de cada dia !

R. Mathias de Almeida, 195  Umuarama
Itanhaém  SP 1740.020

-

PESSOA DAS PESSOAS
Aricy Curvello

em nossa eterna desordem no jogo
de máscaras
para esconder o sem-rosto
a que chamamos eu,
ninguém te excedeu.
nem tantos outrônimos
esconderão, Fernando,
(e te esforçaste tanto)
que não há um eu senão
um misto de sombra/luz/escuridão

Caixa Postal 04-2081  Praia de Jacaraípe
Serra ES 29176.970

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

IMPRENSA ALTERNATIVA

No post de hoje, uma publicação alternativa. Trata-se da folha literária Poenísia, editada por Henny Kropf, na cidade de Cantagalo, RJ

POENISIA

O endereço para correspondência é Rua Euclides da Cunha, 116, Centro, Cantagalo, RJ, Cep 28500.000, fone: (22)2555.4013.

A Poenísia é composta basicamente por trovas, mas sempre traz informações sobre a cidade de Cantagalo.

Saiba mais em http://blog.clickgratis.com.br/poetas2/159890/Poen%EDsia+HENNY+KROPF.html



Confira algumas trovas que foram publicadas em sua edição nº 19
esperanca1

TROVAS

No jardim vi a criança
com uma rosa na mão
Era a cena da esperança
no retrato da emoção

Humberto Del Maestro
Espírito Santo
___________

A primavera se instala
entre perfumes e cores :
- É a natureza que fala
pela linguagem das flores !...

Sérgio Bernardo
Rio de Janeiro
____________

Tristezas - todos sentimos
vendo a flor despetalar,
nos abraços que não vimos
das pétalas a murchar

Henny Kropf
Rio de Janeiro

domingo, 23 de janeiro de 2011

CORRESPONDÊNCIAS RECEBIDAS

 

O post de hoje é sobre algumas das correspondências enviadas à redação do fanzine Versos Livres.

- Milton J. Pantaleão, de Porto Alegre,RS, informa sobre a coletânea cooperativada "Fantasias"organizada pela Associação Artística e Literária A Palavra do Século XXI , em parceria com a Editora Alternativa. 
"Fantasias" será uma coletânea de poesias, contos e crônicas, com temas livres, e o custo da edição será dividido entre os participantes, de acordo com o número de páginas utilizadas.
Os textos deverão ser enviados  até 28.02.2011, para a Editora Alternativa, pelo email miltonjp@terra.com.br . Saiba mais sobre a coletânea no site na Alpas21- 
http://alpasxxi.literatura.zip.net.

- Da cidade de Vassouras, Rio de Janeiro, o amigo Roberto Del'Secchi convida a todos para participarem da Antologia Del'Secchi , antologia literária internacional. A Antologia reúne poetas, escritores e livres pensadores, com tiragem a cada edição de 5.000 exemplares, com lançamentos em várias cidades e estados.
Ao participar das edições, o autor torna-se membro efetivo da Fundação Cultural e Internacional Del'Secchi. O tema é livre.
Mais informações em antologiadelsecchi@oi.com.br e no blog do Roberto :
http://delsecchiantologia.blogspot.com.

- E também do estado do Rio, da cidade de São Gonçalo, recebi a publicação " O Jornalzinho - Postal Clube, amizade com poesia", enviada pela sua editora Araci Barreto da Costa . O informativo contém poemas, crônicas e informações culturais. Da sua edição nº 165, destaco um haicai de Humberto Del Maestro : " É noite de lua.../vou tropeçando em pepitas/ de prata, na rua". http://www.imagina.com.br/postalclube/

- A escritora e amiga Glenda Maier, membro atuante da APPERJ, me enviou algumas crônicas e entre elas,uma que tem o nome de "Já não é mais um nó ",que começa assim : "Como se não bastassem as notícias calamitosas apresentadas em nossos jornais e na televisão, agora nós temos a internet a fornecer informações das mais variadas. Como saber onde está a verdade ? Quem foi comprado, quem está mancomunado, quem está difamando, quem é apenas irresponsável e inventa notícias para chamar a atenção ?"
Glenda Maier também é do Rio de Janeiro. Saiba mais sobre a APPERJ em
http://www.apperj.com.br.

- Paciência e perseverança têm o efeito mágico de fazer as dificuldades desaparecerem e os obstáculos sumirem ( John Quincy Adams)

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

VERSOS LIVRES # 21 - OITAVA PARTE

Neste blog estou disponibilizando o conteúdo do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos. No post de hoje, a oitava e última parte dos textos publicados  na  edição nº 21.

VERSOS 21PAINT  

SILÊNCIO
Osael de Carvalho

No silêncio da noite
o sonho da criança
é tornar-se adulto
No despertar da manhã
o sonho do adulto
é,de um belo dia,
voltar a ser criança.

O carioca Osael é também editor do jornal O Literário, um dos mais longevos da cena alternativa. Veja  algumas das poesias de Osael, ilustradas por Pat Kovacs,em
http://www.alterfannativo.hpg.ig.com.br/pages/troubadour_ilustra.htm


FESTA DE BENÇÃO : POETA -
Cecília Fidelli

Quando a situação se te revele
difícil e as forças te pareçam exaustas..
recorre aos poetas
Quando as complicações surjam tamanhas
que o abandono dos próprios encargos, se
te afigure como sendo o caminho a
seguir...recorre aos poetas.
Inesperados, imprevistos, saudáveis,
virtuosos, repletos de estradas, às vezes,
mesmo feridos, estimulam, aliviam tensões.
Debruçados em seus papéis,
com uma simples caneta,
apagam momentos infelizes,
com sedativo, para nossas almas,
confortando nossos corações.

in "Cores da Alma" . Cecília Fidelli, atualmente morando em Itanhaém, São Paulo, tem suas poesias publicadas no blog http://ceciliafidelli.blogueiros.net


POETRIX
Ivone Vebber

Essência :A vida
só começa onde
termina o medo

Ivone Vebber é de Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. Saiba mais sobre ela em
http://www.digestivocultural.com/comentarios/comentador.asp?assinatura=ivonevebber.gmail.com

 

LIVR


PUBLICAÇÕES RECEBIDAS 

FANAL – jornal de poemas, informações culturais e crônicas ( editor : Walter Rossi ) R. Álvares Machado, 22 - 1º and - S. Paulo - SP - 01501.030
FOLHA NOTAS LITERÁRIAS – poemas e informações ( Ari Lins Pedrosa) Caixa Postal 399- Maceió- AL - cep 57020.970
A FIGUEIRA- revista literária, poesias, contos, crônicas e informações ( Abel P. Pereira)  CP 21617- Ingleses - Florianopolis - SC - 88058.970
A GOIABA – publicação artesanal, poemas e ilustrações, quadrinhos ( Aline Leal ) Rua da Conceição, 101/121 - ap 419 - Centro - Niterói - Rio de Janeiro- RJ - 24020.080
A VOZjornal cultural, notícias, reportagens, crônicas, poemas e textos diversos (Genildo F. da Silva/ Fátima Costa/Maria de Lourdes Gouveia) Av. Dr. José Rufino, 3625 - Teijipió - Recife- PE - 50930.000
A VOZ DA POESIA – Orgão informativo do Movimento Poético Nacional ; poemas, crônicas, informações culturais ( Silva Barreto) -R. dos Bogaris, 183 - 04047-020 - Bairro Mirandópolis - SP - SP
AS ACADEMICAS – crônicas, poemas e informações culturais (Regina Menezes Loureiro)- R. Chafic Murad,54 - Ed. Paraná, apto 702 - Bento Ferreira - Vitória - ES - 29050.660

Essas publicações, que mencionei em algumas edições do Versos Livres, recebem,de bom grado, textos variados para posterior publicação. O escritor  Thelmo Mattos, relaciona, no seu blog, mais  25 publicações da cena alternativa, onde você pode divulgar seus textos, gratuitamente. O link é esse http://thelmomattos.wordpress.com/2009/08/28/25-alternativos-culturais-impressos-onde-publicar-seus-textos-parte-1/.


LIVROS RECEBIDOS

1-CHUVA LIRIAL DE TROVAS ( Henny Kropf) -rua euclides da cunha, 116 - centro-28500.000-cantagalo - rj
2-NARRATIVAS INFANTO- JUVENIS ( Humberto Del Maestro) rua aurora de aguiar ferreira, 171/702- jd camburi- ed san juan- vitória- es - 29090-310
3-QUERMESSES ( e outros poemas profanos) - (Rogério Salgado) - rua ibituruna, 607- apto 01 - padre eustaquio-belo horizonte - mg -30730.480


INTERCAMBIO

1- PUBLIQUE - Editora Opção 2 - A Editora dos Alternativos - Arthur Filho - R. Espírito Santo,232/2 - Porto Alegre - RS - 90010.370
2- PARTICIPE DA  COLETÂNEA - CONQUISTANDO MAIS AMIZADES DO QUE SOLIDÃO ( Fátima Segatto) - 5 poesias - R$ 8,00 por exemplar - Av. N.S. Medianeira ,2017/011 - Centro - Santa Maria - RS - kocasegato@bol.com.br - F. (55) 225.2290 ou (55) 9978.4435

_______________

E como saideira , um poema contemporâneo roubado do blog Chocolate Amargo :  

DILMA-~1

ÁGUIA
Greta Benitez

Tenho tudo de que preciso.
Portanto
minha asa esquerda serve de trono
para um imenso rei indeciso.
Sendo um ser sem necessidade de chão
minhas garras carregam comida
para a multidão.

Somos feitos de ternura e perplexidade
e as espalhamos com prazer
sobre cada nova cidade.

http://gretabenitez.blog.uol.com.br/

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

IMPRENSA ALTERNATIVA

Já falamos sobre diversas publicações da cena alternativa , tais como A Figueira, O Melhor da Poesia Evangélica, A Voz da Poesia, Jornalzinho Postal Clube, Jornal Letras Santiaguenses, O Garimpo, Trezeta, Silêncio Atroz e A Teia. No post de hoje, menciono mais uma delas  que faz intercâmbio com o Versos Livres, a publicação literária "Binóculo".

BINOCULO34

"Binóculo" se intitula "caderno de leitura" e foi fundado em Janeiro de 1999.
-
Seus editores são Dias da Silva e Batista de Lima
-
Endereço para correspondência : Dias da Silva - Rua Carlos Vasconcelos, 3100/602 - Joaquim Távora- Fortaleza - CE - Cep 60.115-171, ivonildodias@secrel.com.br 
-
Binóculo contém comentários  de Dias da Silva sobre livros, jornais e revistas, na coluna "Da Pena Ao Vento", crônicas, contos,informações culturais,  poemas e cartas dos leitores.
-
Aqui está uma pequena amostra dos textos publicados no Binóculo :

saudade1

Que saudade !
Djanira Pio

No tempo de minha mãe, as questões da vida eram sérias e importantes.
Ela e a cunhada não se gostavam,não se aceitavam, mas se tratavam por comadres, pois assim eram as regras que regiam o bom convívio da época.
Hoje tudo é descartável, inclusive os bons sentimentos. Regras antigas se perderam em nome da modernidade. Os compromissos de agora não são tão claros, misturam-se. Salvem-se como puder : um a um, isoladamente.
Que saudade !

saudade

-

A VIDA
Francisco Trajano

A vida é base prá tudo
com ela tudo começa
Uma corrida sem pressa
que se ganha a cada dia
Com tristeza e alegria
Com derrotas e vitórias
Vivemos buscando glórias
Com metas e objetivos
Que às vezes nos faz cativos
De nossas próprias histórias.

O homem se escraviza
em busca de seus projetos
Ver seus sonhos concretos
É mais que um ideal
vive entre o bem e o mal
Um sentimento abstrato
Não há como ser sensato
Diante de sonhos e planos
Com sentimentos humanos
Desejos, pra ser exato .

-

TROVA
Giselda Medeiros

A energia mais potente,
contradizendo os ateus,
é aquela que vem à gente
da fonte eterna de Deus.

Saiba mais sobre o jornalismo alternativo em ...
http://pt.wikipedia.org/wiki/Jornalismo_alternativo

sábado, 15 de janeiro de 2011

LIVROS RECEBIDOS


O post de hoje é sobre livros enviados para a redação do Versos Livres , no caso, o livro "Coisa Nossa", da amiga Cecília Fidelli.
-
"Coisa Nossa" é um livro de poesias, publicado pela Editora Opção2, do amigo Arthur Filho. O endereço da editora é Rua Espírito Santo, 232/02, Porto Alegre, RS , 90010.370
-
Capa : Maria Jaepelt
-
A apresentação do livro é de Ziraldo  e de Irineu Volpato , com  prefácio de Arthur Filho .
-
O livro é dedicado ao alternativismo e underground brasileiros e a autora agradece à Deus e aos que incentivaram e reconheceram o seu trabalho.
-
Na contra capa consta uma pequena biografia de Cecília. 
-
Contatos com a autora
http://ceciliafidelli.blogueiros.net.
-
Confira, a seguir, alguns poemas do livro .

Digitalizar0004

ENSINANDO A SONHAR
Cecília Fidelli

Fica mais fácil esquecer o pesadelo do abandono, guardando a lágrima,
descobrindo o sol num domingo de primavera.
Fica mais fácil esquecer a solidão oxigenando alma com as cores do horizonte e encantando o espelho com firmeza, mesmo quando ele nos olha com olhos tristes.
Fica mais fácil viver, quando se ressalta um sonho.
Fica mais fácil, marcando com um carinho, com a doçura do sentimento
e um beijo, uma afeição eterna.
Fica mais fácil ! Fica bem mais fácil com um sonho. Qualquer sonho.
Mas, qualquer sonho, que tenha autonomia poética.

-

NA BEIRA DAQUELE RIO
Cecília Fidelli

Na beira daquele rio,
mora uma família diferente :
gente, amontoada em miseráveis
barracos de tábuas e plásticos,
erguidos na calada da noite.

São caras marcadas
dormidas no chão, sofrendo,
espremidas e com tanta ilusão !

Na beira daquele rio,
mora uma família diferente :
Gente que improvisa a vida,
Inocentes são vítimas.
Crianças quase bandidas,
chegando ao fim da linha,
do trem da agonia,
do meu pobre Brasil !

-

POEMAS
Cecília Fidelli

A saudade, ante a eternidade
é um espaço de minutos.
Quando nossos olhos se
encontrarem outra vez,
teremos vencido a distância
e alcançado a eternidade

Meus sonhos são
fortes como rochas,
intensos, como o sol,
intermináveis
como o horizonte
profundos como o mar..

Cada estrela do céu
me inspira pensar
que são anjos acordados.
Uma lista de sentimentos
me invade
A noite é minha
melhor companhia.
Enxuga uma lágrima
e me toma de poesia..

Poesia é constante
oportunidade
de transformar sombra
em luz .

Poeta é assim,
um misto de razão e insanidades
Versos e versões.

-

FIM DA FITA
Cecília Fidelli

Ao longo de recordações e procuras
meus sonhos concedem vagar no silêncio
e repousar em inquietações.
Mapeio imagens e expressões que estavam
escondidas. Isolada...
Como os românticos, reinicio mais um vôo,
na desabitada madrugada. 

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

VERSOS LIVRES # 21 - SETIMA PARTE

Neste blog estou disponibilizando o conteúdo do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos. No post de hoje, mais alguns textos publicados  na edição nº 21.

VERSOS 21PAINT

SÓ JESUS
Adriana Ribeiro Vieira

Jesus sempre me escuta
quando eu reconheço
que não mereço
ter a sua misericórdia.
Pois, por minha culpa
muitas vezes há discórdia.

Jesus cura cada ferida
que surge no meu coração
pelos tombos da vida
e faz com que conceda o perdão
para qualquer ofensor.

Jesus não me deixa na escuridão
e com todo o seu amor
como uma luz ele abre a porta
Iluminando a resposta certa
para a minha vitória
nas horas que de joelhos
oro por seus conselhos.

Jesus tem por mim compaixão
e mesmo que o meu corpo
termine num caixão
Já derramou o seu sangue
para que a minha alma
receba a salvação.

Adriana é de Poá, RS. http://recantodasletras.uol.com.br/resenhasdelivros/1071534

-

LEMINISKIANOS
Larí Franceschetto
Ao poeta Paulo Leminski

Enquanto, teu corpo mergulhava becos
A pá(lavra) te pintou estrelas
Deixando-te aceso
Depois da obesa noite de venenos.
Enquanto, o dia andava
o mesmo dia te salvou
morrendo.

Curitiba- aguardante- água rasa
Deixou no ar um porquê
De tanta sede
Afogada

Os cães latem mais de madrugada
Os poetas sangram a qualquer hora

O premiado poeta Larí é de Veranópolis, RS . 
http://www.emersonmaciel.com.br/2009/02/poeta-lari-franceschetto.html

-

ESPERANÇA OU MORTE ?
Dalva Meirelles

Sob céus diferentes
mas feitos da mesma massa.
Meu chão é verde,
o seu é vermelho.
Meu verde é esperança
de ver triunfar no mundo
o amor altruísta
que abraça todas as pátrias

Seu vermelho é o sangue
dos inocentes...
Derramados pelo domínio
e posse de riquezas.

Um dia, se você ganhar
terá o ouro
para queimar-lhes as mãos
Mas se o amor triunfar
teremos o verde
para salvar o mundo !

Dalva é da cidade de Cascadura, RJ . http://www.joaodorio.com/site/index.php?option=content&task=view&id=379

Criatividade-no-gelo

DAS COISAS E DOS SERES
Ricardo Alfaya

Um punhado de tinta vira um quadro
Do barro se ergue um homem
enquanto outro cai e vira fera
Num susto uma criança cresce
termina busto de bronze no meio da praça
Um ventilador se modifica em vento
e se não abuso do invento
palavra de nada viram poema de ser
A água endurecida se faz gelo
Se amolece logo se evapora e vai embora
Um bom relógio dá um duro patrão
Uma estátua idolatrada muda em santo
O santo se transforma em marca de sapólio
ou quem sabe até seu nome batize
uma nave para Marte
Da terra tudo parte

(in "Rios") Ricardo Alfaya é do Rio de Janeiro . Saiba mais em http://www.gargantadaserpente.com/entrevista/ricardoalfaya.shtml
-

POEMA
Glenda Maier

Não há justiça nem dogma -
Capaz de julgar o fato em si.
Cada ato em nossas vidas
é como uma obra de arte
e só o artista conhece
a verdade. 

A poetisa e cronista Glenda também é carioca. Confira a entrevista que ela concedeu ao grande Selmo Vasconcelos em http://antologiamomentoliterocultural.blogspot.com/2009/11/glenda-maier-entrevista.html

-

POR ENTRE OS CÃES POLICIAIS
Octavio Brandão

Lacaios,bacharéis e beleguins,
Tremei ! Há de surgir a Claridade
Nosso clamor sonoro de clarins
Anuncia o clarão da Liberdade.

Sofro.Mas,transformando cada grito,
Cada soluço que minha alma solta,
- Num duelo varonil contra o Infinito,
Num bradar de Energia e de Revolta !

(Corpo de Segurança- Polícia Central do Rio de Janeiro
25/03/1920 - preso por ter sido considerado "prejudicial
à tranquilidade pública"- isto é, à malandrice e à gatunagem burguesa)
(in "Poesia - Laura e Octavio) gentilmente enviado por Dionysa Brandão Rocha. Saiba mais sobre o combativo Octavio Brandão em http://www.kplus.com.br/materia.asp?co=344&rv=Literatura

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

VERSOS LIVRES # 21 - SEXTA PARTE

Neste blog estou disponibilizando o conteúdo do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos. No post de hoje, mais alguns textos publicados  na edição nº 21.

VERSOS 21PAINT 

ARTISTA
Laura da Fonseca e Silva
ao poeta Augusto dos Anjos

Eu tenho a crença natural do Artista
Em vez de me encerrar num templo escuro
Atiro-me cantando à ardua conquista
De uma luz que distingo no Futuro !

Não me abate saber que essa luz dista
mais de mim do que o Sol galhardo e puro,
E aclamo os belos sonhos de otimista
Que, diariamente em minha Alma, inauguro !

Defendo-a contra o Tédio,contra a Mágoa,
Entre risos o meu pranto deságua:
E uma Visão me abraça,beija,insiste...

Reconheço a Esperança,a irmã da Aurora...
É sempre a mesma,sempre alegre, embora
tão maltratada neste mundo triste !

(in "Poesia - Laura e Octavio) gentilmente enviado por Dionysa Brandão Rocha. Saiba mais sobre o bravo Octavio Brandão e sua esposa Laura ,  em http://www.kplus.com.br/materia.asp?co=200&rv=Literatura

-
CADEBERIZ
Adriana Manarelli

Esse ouriço desperta com a manhã
E a giesta enroscada
no ventre de granada. Também.
E no tempo-espaço situada
No vácuo onde o som não se propaga
Virtual-virtuoso-arenoso. Sim.
Rebenta prolixo além do espiríto,
implacável afungentador do Espírito.

À noite,aquela não cessa,nem adormece
E se,a sugada repousa
O sugador, ainda se fortalece
Implosão orbital,de que embebe-se
Da acuada
Hera sedimentada da sarça e do sal.

Tirsa
A terça parte
Na qual o sonho se encaixa
SENAQUERIB
Possuidor do meu ar
Que nunca deflagra
A umente concha
Em que ela te guarda
E se guarda da carícia mais profunda
Do cetro real de marfim-cymeíma

Adriana Manarelli é de Araçatuba/SP. Mais poemas dela podem ser lidos no blog do amigo Everi Carrara http://jornaltelescopio.blogspot.com/2010/11/adriana-manarelli_24.html

morte_poeta
POESIA DESCARTÁVEL
André Arruda

Estou minado
estou devendo
estou querendo
ouvindo e vendo
Estou sem sono
e estou sozinho

Estou te lendo
me descobrindo apaixonado
e desarmado
Estou me abrindo
E aderindo ao teu invento

Estou ao vento
Ao léu
ao tempo.
Estou em tempo de filosofar
Estou ao mar
em Páscoa
em paz
um passo atrás
no paraíso.

Inferno e céu
estou e insisto
prá Jezebel
Prá Jesus Cristo

Estou,
logo, existo

André é de Franco da Rocha, SP . Nos correspondemos pouco e acho que esse foi o único poema que ele me enviou.  

-
PEQUENINO CÃO
Caio Sílvio/Fausto Nilo

É a qualidade das paixões
de quem procura
Ser maltratado,
maltratando a criatura.
Adormeceu em minha mão
como um menino,
Só, sem destino
um pequenino cão.
Se a vida abraça a redenção
das amarguras
Você não faça a eternidade
na tortura
Entorpecendo o coração
A gente espanta
o passarinho
Por pavor ou medo
Eu sei que um medo sem sabor
é a tua loucura
Eu sei que a cor do teu amor
é muito escura
E sem poder te dar a luz
Meu coraçao 
eu durmo cedo
E só te peço amor,
Não me abandones mais.

Quando desperto
e vejo na porta da frente
Uma saída, minha vida
numa vida diferente
E sem poder te dar a luz
Meu coraçao 
eu durmo cedo
E só te peço amor,
Não me abandones mais.

Nessa época, o Versos Livres tinha uma sessão onde eu publicava letras de música. De uma gravação da cantora Simone. Confira a música em http://www.youtube.com/watch?v=avOY7YmoImk
-
ILUSÃO OU REALIDADE
Viviane Schiller Balau

Você me fez mergulhar
em um mundo de fantasias,
que fizeram meu coração disparar.
Você se tornou uma bonita esperança,
que quero poder transformar em um lindo sonho..
Você mostrou-me que nesse mundo
há muita falsidade,
Mas o carinho que sentimos é verdadeiro

Viviane é de Poá, RS. Editora do jornal "O Mundo Mágico da Poesia". Saiba mais sobre ela em
http://66.228.120.252/autor.php?id=2065