terça-feira, 27 de setembro de 2011

VERSOS 33 - PARTE UM


No post de hoje, alguns poemas publicados na edição nº 33, do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, SP. E ainda poemas de Alaorpoeta e um pequeno poema meu.

segredo_img
OS SEGREDOS 
António Soares

Segredos não têm casa prá morar
mas a tê-la
segredos já não são
Segredos e conquistas
Nem ao pó dos sepulcros sejam dados
Teu segredo te diz
o quanto vales

in : Sorriso Matinal
Porto Alegre - RS -

-

SUBURBANO
Eliana Wissmann Alyanak

Dias e noites
passam a galope
eu caminho

in Revista Literária, Oficina Editores
RJ - RJ

-

REALIDADE FÉRREA
Raimundo D'Magalhães

Que tua estrela brilhe
Não somente no lábaro
Mas também no estribilho
De cada poro de teu filho...
Que teu tesouro efulvente,ouro...
Deságüe ingente
Nas artérias de um porvir
Desse hoje emergente
Pro-esperança
Dos nativos de ti...
Ó garrida Belém-do-Pará
Que não conjuguem crateras
Na tua carne férrea
E que a realidade térrea
Seja-te a locomotiva infinda do veio
Por teu reagir
Aos golpes que sangram
O ventre do teu seio.
Respira Amazônia...Grita!
Grita teus ais!
Mostra que o coro da parcimônia
Tu não queres mais!...
Respira Amazônia...Grita!
Grita teus ais!
E mostra que o coro Cabano
Não te orquestra
Só nos ancestrais!

Ananindeua - BE - PA

-

selo

SELO
Jacy Gê de Almeida

O selo
desgarrou-se da carta que eu abria
assustando-me
Só quando ele interrompeu
o seu vôo
pousando no recôncavo
da minha mesa de trabalho
é que eu pude entender
o fenômeno :
trazia ele, em sua face,
a estampa de uma irrequieta
borboleta...

Ferraz de Vasconcelos, SP
poetajacy@emferraz.com

-

QUADRA
Maria José Menezes

Por caminhos percorridos
fui sentindo as leis da vida
os meus versos tem sabor
de lembranças mui queridas

in Letras Taquarenses
Rio / RJ

-

PASSAGEIROS EM TRÂNSITO
alaorpoeta

Partíamos a destinos disformes
sombras etéreas de fátuos momentos
olhos ausentes vagando uniformes
o silêncio aflito dos pensamentos.
Peles multicores feitas de roupas
secretas coxas estirpes gravatas
borboletas cobras veladas bocas
e o céu metálico nas mãos fumaça.
Fixávamos suaves miragens
no átimo da infância livres bagagens
o último adeus do sabor das almas
a fila móvel nos pontos amargos
quando corpos doentes dos encargos
acolhem outras formas bem mais calmas.

http://alaorpoeta.blogspot.com/

lapidee

LÁPIDE
Touché

Quero um verso de Larí Franceschetto :
"A arte é amanhecer-se enquanto o sol vai embora "
Viver eternamente nos poemas. 

http://www.poetasdeguarulhoseoutrosversos.zip.net

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

CARTAS RECEBIDAS

ESPERO-TE

espera2
Eunice Mendes

Espero-te
com um morango
entre os dentes
e
derramo-te
pequenas sementes
dentro do meu beijo
na dança das línguas
lânguidas serpentes
límpidas e inocentes
até que o fruto vermelho
irrompa o néctar docemente
beijando a flor
dos teus desejos
acesos

in: Missionários da Poesia, ano 2, nº 13, editado por Antonio Pereira Mello, Santa Maria, RS. 

ANTOLOGIAS PARA FERREIRA GULLAR - O poeta mineiro Aricy Curvello me enviou, entre outras publicações e livros, uma edição da revista Fundinho Cultural, editado por Hélvio Lima, onde consta um bom texto sobre três antologias organizadas em homenagem aos 80 anos do poeta Ferreira Gullar.
A primeira delas, "Poesia do Brasil -11", foi coordenada por Ademir Antônio Bacca e Claúdia Gonçalves ( Editora Grafite). A segunda, "Terça, conVerso no café", foi coordenada pelos integrantes do grupo carioca Poesia Simplesmente, e a terceira "Vozes na Paisagem -II", foi organizada pelas Edições Galo Branco, do Rio de Janeiro. O poeta uberlandense Aricy Curvello está incluído nas três coletâneas . (
http://www.riototal.com.br/coojornal/aricycurvello1.htm)


CITANDO RICARDO ALFAYA - " Penso que o poeta sempre escreve para o Outro. A comunicação da obra faz parte do "jogo" artístico. A cena que mais me ficou do filme " O Pequeno Príncipe" foi aquela da criança querendo mostrar o trabalho a "alguém". No caso,era um desenho. Isto é inerente ao ser humano. Você escreve um poema, tem aquele impulso de mostrar a alguém. Com  o tempo, você consegue mais ou menos administrar melhor isso. Já consegue fazer e guardar, deixar "de molho" para melhor avaliação posterior. Porém, nem sempre. Se houver alguma "vítima" por perto ou se você puder inventar um pretexto, vai acabar submetendo o seu trabalho ao Outro e, principalmente, submetendo o Outro a seu trabalho. Ou seja, a gente sempre escreve pensando num leitor. Se vai conseguir atingi-lo , ou não, é outra história."
( Ricardo Alfaya, poeta carioca, em entrevista à revista  "Poetizando", editada por Eunice Mendes e Walmor Dario Santos Colmenero, editora Artesania –
http://www.revistapoetizando.blogspot.com )

OUTROS SONHOS - Estava na esquina e conversava sobre nada e sobre coisas com meninas, adolescentes como eu, que passaram num instante, a povoar meu mundo, tão minúsculo.Era um projeto, razão, era a vida que se fazia visível e possível. Ao abrir os olhos, a esquina era outra, em outro lugar,com outras pessoas. Foi preciso (re)conhecer as esquinas novamente, as pessoas e outros sonhos ( mini conto de Djanira Pio, publicado no jornal "Binóculo", editado por Dias da Silva e Batista de Lima - ivonildodias@secrel.com )

UM POEMA DE ADÉLIA EINSFELDT

jacaranda

Um pé de jacarandá
se debruça
na minha janela
e derrama
suas pétalas
lilases
que caem no chão
da minha sala
Um presente que
a natureza me oferece
todos os dias
durante a primavera
tal qual um poema
me encanta
e emociona

( poema " Pétalas Lilases". Adélia é de Porto Alegre,RS)
__________
textos extraídos de correspondências enviadas para a redação do fanzine "Versos Livres", de Guarulhos, SP. Textos, críticas e sugestões podem ser enviadas para o email touche.sp@uol.com.br

sábado, 24 de setembro de 2011

CORRESPONDÊNCIA


EU E MINHA INSÔNIA
insonia
Miguel Russowsky

Minha insônia não quis dormir comigo.
Queria conversar !... - disse-me ela.
( desde então, tornou-se tagarela ;
desde então, tornei-me seu amigo )

Hoje eu não julgo mais ser um castigo
ter esta insônia aqui,de sentinela,
falando a toa, dês que venham dela
as sugestões magnifícas que sigo

Não não sofro de insônia... gozo insônia
Levanto e estou de bom humor, mais cedo
e escrevo afoito, até sem parcimônia

Exercícios mentais, me dão saúde
e vou levando a vida, assim, sem medo
com a velhice em plena juventude

Joaçaba, SC -  jornal "A Voz da Poesia", orgão de divulgação do Movimento Poético Nacional.

DOAÇÕES PARA UMA BIBLIOTECA COMUNITÁRIA -  O professor Francisco Assis Mattos criou, em Itarema, Ceará, a Biblioteca Comunitária João Rodrigues de Mattos, que sobrevive graças a doações de publicações em geral. Mais informações sobre a Biblioteca e sobre doações no email bibliocommatos@gmail.com ou bibliocommatos@yahoo.com.br


LEITURA SEGUNDO  TERESINKA - " A leitura para mim é uma exploração de minas de diamantes guardadas dentro de livros insuspeitos ou de sermões chantageados de fé. Busco na leitura a palavra clara e precisa que possa chegar ao meu entendimento sem adornos superficiais nem subterfúgios: a palavra real. Júlio Cortázar, o contraporte de Clarice Lispector na literatura hispano-americana, discípulo de Jorge Luís Borges, dizia que as palavras deviam ser escovadas e lustradas pelos escritores antes de serem usadas. E tinha razão. Reusar palavras contaminadas pela corrupção literária é um vício que deve ser eliminado da escritura, por mais "rasca y pinganilla" que queira ser .( Teresinka Pereira, na crônica "O Peso da Solidão" - Teresinka é Presidente da Associação Internacional de Escritores e Artistas, IWA - email : tpereira@buckeye-express.com )

INDEPENDÊNCIA  - Em uma crônica sobre o Sete de Setembro e citando o grito de independência, a escritora carioca Glenda Maier, diz: " Não é preciso dizer que este brado continua se fazendo necessário a cada vez que tomamos conhecimento de mais um ato de corrupção ou outra maracutaia. É necessário bradar outra vez diante do constante descaso e desfaçatez de nossos políticos ao lidar com o dinheiro público, ao prestar contas de suas falcatruas tentando convencer o povo de que estão cobertos de razão, e outros muitos crimes diariamente cometidos por esses malfadados seres, infelizmente eleitos por nós ! A vergonhosa situação no Senado Federal torna imperioso um novo bardo de "independência ou morte !". Glenda prossegue falando sobre a destruição do planeta, sobre o lixo reciclável : "este brado de "independência ou morte" diante do lixo que ameaça nossa própria existência deve ser dado por todos e cada um de nós"
( Glenda Maier, na crônica "Independência ou Morte", jornal Jacarepaguá em Destaque )

ARTEIRO - Gosto de pintar. E quando criança fui arteiro. Hoje em dia sofro de artrose que não é cognato nem cognarte. Cognarte não consta da família de qualquer aurélio. Já não cumpro o ritual de ajoelhar, porém não dispenso uma hóstia. Gosto de ouvir : astrolábio, caleidoscópio, obsconso, oblongo, engonço e Augusto dos Anjos ( Ivan de Paulo Jacinto, Florianópolis, SC - jornal literário Letras Santiaguenses, editado por Auri Antonio Sudati e Zé Lir Madalosso)

UM POEMA DE MARGARETE SCHIAVINATTO

ah_o_poeta

Não sou poeta
Sou
a eterna vontade
de ser

( "Confissão", de Margarete Schiavinatto, poema extraído da revista "A Cigarra" , nº 24 )
_____________
textos extraídos de correspondências enviadas para a redação do fanzine Versos
Livres. O Versos Livres é editado em Guarulhos, SP . Textos,críticas e sugestões podem ser enviados para o email touche.sp@uol.com.br 

terça-feira, 20 de setembro de 2011

VERSOS LIVRES 15 - PARTE QUATRO

No post de hoje, alguns poemas publicados na edição nº 15, do fanzine Versos Livres. Também poemas extraídos de correspondências enviadas para a redação do fanzine e de publicações da imprensa independente.

VERSOS 15

O POETA
Maria das Graças Cavalcante Freitas

Artífice dos sonhos
Leves, belos e risonhos
Que o próprio Deus arquiteta !

extraído do jornal Pb Letras, Campina Grande , PB

-

QUADRA
João Batista Serra

Meu universo deserto
muda o clima, quando eu falo
que está totalmente aberto
para nós dois povoá-lo !

Caucaia - CE

-

PRELÚDIO 
Raul Seixas

Sonho que se sonha só
É só um sonho que sonha só
Mas sonho que se sonha junto
É realidade

http://youtu.be/EbCdVG_T_U0

-

MEIA NOITE
Francisco José Lacerda

Meia noite em ponto    
cinderela se despiu    
nos jardins do castelo    
Mil sinos repicam   
os anjinhos saltitantes   
descobrem o sexo    

in: Jornal A Voz , Av Dr José  Rufino, 3625 , Teijipió , Recife,  PE  -  Cep 50930.000      

-

relogio mulher hora

TROVA
Maria Thereza Cavalheiro

No tempo mais se comprova
quando é verdadeiro o amor
que não quer jura nem prova
não faz escravo ou senhor

poema extraído do jornal O Literário, enviado por Osael de Carvalho, Rio de Janeiro, RJ. Confira mais poemas enviados para a redação do Versos Livres no meu outro blog, no post  Correspondências Recebidas ,

-

TROVA
Neide Freire

O milagre da memória
nos traz a cada momento
Pedaços da nossa história
Nas asas do pensamento

essa quadra foi publicada na edição nº 13, na revista "Meya Palavra", editada por Deusdedit Rocha. Confira outros poemas publicados e mais informações sobre o M.P. no meu outro blog, no post  Imprensa Alternativa , em http://poetasdeguarulhoseoutrosversos.zip.net/arch2011-09-01_2011-09-30.html#2011_09-20_00_16_03-6846865-0

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

VERSOS LIVRES 15 - PARTE TRES

No post de hoje, alguns poemas publicados na edição nº 15, do fanzine Versos Livres. Também poemas da mineira Eliane Alcântara e extraídas do livro  "Besouros Falantes", de P.J. Ribeiro.

VERSOS 15

BUSCA
Ney Rodrigues Azambuja

Inusitada busca de tua face oculta
esperança que arrefece
no desencanto do nada

poesia extraída do livro  Antologia Del`Secchi , coordenada pelo meu amigo Roberto Del'Secchi. Para participar de novas antologias, o endereço de contato é R. Profª Nina Berger Gonçalves, 180 - Bairro JK - Vassouras - RJ - Cep 27700.000. Ou acesse o blog da Editora : http://delsecchiantologia.blogspot.com/

-

SEM TÍTULO
Tania Schwab

Ao acordar,
memorizo.  Sigo em frente
Ao anoitecer,
me encho de poesia,
inspiração e saudade.

Tânia é de  Ijuí - RS - 98700.000

-

MOMENTO
DAS DECISÕES
Luiz Fernandes da Silva

a manhã abortou
em minhas mãos
o vazio de nossos gestos
na união
de nossos corpos adormecidos   
A infância de nosso querer
suado e aquecido por palavras
exercita-se na praia cansada

Nossos olhos frustrados   
nossas sombras
varrem espaços
e arrebentamos
todos os infinitos

Nossas mãos sentiram desejos
de matar nossos receios   
Na escuridão nossos segredos
foram ouvidos mais uma vez
      e fomos imunizados   
para gozarmos todos os medos

João Pessoa -PB - http://www.revista.agulha.nom.br/lferna01.html

tempoeliana 

TEMPO
Eliane Alcântara.

Vou abrir o tempo
Com a chave do sorriso
Para medir as chuvas
Através da intenção de fazer florir
Todos os anos que desbotarem
Com a ignorância dos homens.

E quando for outra vez
Talvez tempo de fechar a porta
Vou chorar para semear sorrisos
Onde só a alegria prevaleceu
Quando havia tanto para lamentar
E desacreditar.

Não importando o clima
Vou alçar vôo
E se me imaginarem louca
Vou voar mais um pouco
Até transformar a palavra em penugem
Para que a mesma ensine aos povos
O sentido de amar.

http://www.eliane_alcantara.blogger.com.br

-

DESEJO
P.J. Ribeiro

Não me deseje mais do que sou
Se sou um cipestre, escolha-me como cipreste.
Não me veja como relva ou rio, esgoto
ou porco- espinho.
Se me deseja,deseje-me simplesmente.

do livro 'Besouros Falantes'. Confira outros poemas do livro e mais informações sobre o autor no meu outro blog, em http://poetasdeguarulhoseoutrosversos.zip.net/arch2011-09-01_2011-09-30.html#2011_09-02_02_18_39-6846865-0

sábado, 10 de setembro de 2011

VERSOS LIVRES 15 - PARTE DOIS

No post de hoje, alguns poemas publicados na edição nº 15, do fanzine Versos Livres . Também poemas  de Adriana Manarelli e Silvio Afonso.E uma traquinagem da Sayô.  Deixe nos comentários suas críticas e sugestões. Paz e poesia !

VERSOS 15

PRELÚDIO
Eunice Mendes

o amor não é feito
desta matéria
que arde na cama
embora assim se insinue
o amor é este fogo indissolúvel
que nos une e nos perpetua
por dentro
um no outro pregado
depois do fogo extenuado

o amor é este silêncio aceso
esta cave prenhe
este sondar de mãos
que se tocam
e de olhos que se olham
despidos de si mesmos

este vento livre dentro do peito

A amiga Eunice é de Santos, SP. Saiba mais em
http://novapoesiabrasileira.blogspot.com/2010/06/eunice-mendes.html

-

TEMEI, PENHAS
Claúdio Manoel da Costa     

Destes penhascos fez a natureza
O berço em que nasci: oh! quem cuidara
Que entre penhas tão duras se criara
Uma alma terna, um peito sem dureza!

Amor, que vence os tigres, por empresa
Tomou logo render-me; ele declara
Contra meu coração guerra tão rara
Que não me foi bastante a fortaleza.

Por mais que eu mesmo conhecesse o dano
A que dava ocasião minha brandura,
Nunca pude fugir ao cego engano;

Vós que ostentais a condição mais dura,
Temei, penhas, temei: que Amor tirano
Onde há mais resistência mais se apura.

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/arcadismo/arcadismo.php

-

SÓ VOCÊ
Adriana Ribeiro Vieira

Só você faz com o que amor
seja o sentimento
mais importante no meu coração
E que a saudade a todo instante
me proporcione a inspiração
para escrever uma declaração
depois de nos encontrarmos 
no sonho

Você sempre me emociona
quando de repente telefona
por guardar no pensamento
uma data especial
do nosso relacionamento

Só você
que no ano inteiro me entende
Os meus pedidos atende
E que me envolve com carinho
quando ficamos bem pertinho.

Só você é o meu namorado
E quando estamos abraçados
tenho a convicção
que também me ama

Por isso
quando trocamos um beijo
ao sentir suas mãos no meu corpo
compartilhamos os nossos
momentos de felicidade

Adriana sempre colabora com o Versos Livres. Ela é de Poá ,RS

-

ALQUIMIA
Adriana Manarelli

O sensorial se desdobra:
Eco pungente
Do coração
Que não se altera,
Bate-que-bate.
Visceral língua quente
Que despontada ao longe
É o núcleo
Da lua de cipreste
Cor de alfazema.

Coágulo de sangue
No rastro puro
De verbena e sândalo,
E penugem de prata,
E mãos de veludo:
Profundezas do essencial,
Pulsação vermelha do torvelinho aquecido,
Túnel de ouro azul.

Na ponte dos suspiros,
Orgulhosa de mim mesma,
Suspiro
Gratificada,
Sob esse amparo
Água flórida lápis-lazúli.

Outros poemas de Adriana Manarelli podem ser encontrados no blog do meu amigo Everi Carrara , escritor e advogado de Araçatuba/SP - http://jornaltelescopio.blogspot.com/

-

O CAIR DA NOITE
silvioafonso

Como o sapo eu olho o céu em busca dos meus sonhos.
Já não penso no príncipe que eu não fui. Não pretendo o
beijo da menina ou que me perdoe a natureza por não ter
a beleza pretendida. Olho para o alto e sinto o dia indo
embora levando com ele as cores alegres das imagens
guardadas nos meus olhos. A noite em preto e cinza traz
com ela o cintilar das estrelas e a pretenção do luar.
Num salto volto para dentro de mim e esqueço lá fora o
lindo quadro que pintei.

Silvio é um mestre. Confiram outros poemas dele em
http://palhacopoeta.blogspot.com
http://reflexosespelhandoespalhandoamigos.blogspot.com/

 

clara

terça-feira, 6 de setembro de 2011

VERSOS LIVRES 15 - PARTE UM

No post de hoje, alguns poemas publicados na edição nº 15, do fanzine Versos Livres. Também poemas enviados por email e um poema meu.

VERSOS 15

O AUTO RETRATO
Mário Quintana

No retrato que me faço
- traço a traço -
às vezes me pinto nuvem,
às vezes me pinto árvore...

às vezes me pinto coisas
de que nem
há mais lembrança...
ou coisas que não existem
mas que um dia existirão...

e, desta lida, em que busco
- pouco a pouco -
minha eterna semelhança,

no final, que restará?
Um desenho de criança...
Corrigido por um louco!

-

UM DIA VOU ESCREVER
Rosemary Lopes Pereira

Acordarei as estrelas. Notívagas como eu. Vestirei a túnica do luar. E convocarei os que me ouvem. Para lhes dizer, que tudo é nada e nada é tudo. Que é vã a filosofia dos opressores. Que matam as flores, mas não acabam com a primavera...Quero matar minha vontade. De extasiar-me com esse universo. Correr com o vento. E trazer comigo o perfume de todas as flores. Ficar em silêncio. Perdida dentro de mim. Guardando carícias.  E oferecendo a minha estrada. Minha bandeira. Meu amor e minha canção. Um dia vou escrever.

Trecho da crônica "Um Dia Vou Escrever", publicada no jornal O Radar, editado em Apucarana, PR. Mais informações em
http://casaazuldaliteratura.blogspot.com/2010/02/rosemary-lopes-pereira-e-o-sonho.html

-

PENSAMENTO
Célia Lamounier de Araújo 

Desprendido do mundo    
o pensamento esvoaça   
em locais do passado    
fatos apenas relatos    
histórias somente memórias
biografias   
minhas de mais ninguém
tudo passa

Desprendido de mim   
fico em herança de nadas
em lugares futuros
versos palavras processos
livros sementes arquivos   
alquimia de horas
e horas além    
Esvoaça...   

Itapecerica - MG
http://www.celialamounier.net

- de-volta-3177207-7724

NADA PEÇO
Arethuza Viana

Se vim aqui, é porque
restou um bem querer
apesar de tudo
que você me fez sofrer,
vim saber se precisa
de um ombro amigo, um abraço...

Como vai a sua vida
sem a minha presença amiga?
O que ficou de mim
em alguma lembrança antiga,
enquanto triste ainda, sem você,
o meu caminho traço?

E agora olhando você,
tão pertinho assim,
disfarço para que não saiba,
a falta que faz em mim,
os seus carinhos
que não terei jamais...

Só estou aqui
para me convencer que acabou.
Que na verdade pra você
nada de nós restou...
Não peço nada,
já me magoei demais!

http://arethuzaviana.blogspot.com/

-

GERMINAR
Touché

À noite, germinam as pétalas
e os sonhos dos amores impossíveis:
em cada janela dourada, o mesmo
gesto de buscar luz

http://poetasdeguarulhoseoutrosversos.zip.net