quinta-feira, 27 de setembro de 2012

PAPEL BRANCO

poema

O papel continua branco,
tão vazio quanto o fundo dos
seus olhos.A boca continua
surda.A mente continua muda

A ausência se transforma em poesia
Assim como o vento leva os sonhos

Meu silêncio grita contra a noite.

Bruno Santos

Publicado na edição nº 30,do fanzine literário
Versos Livres,editado em Guarulhos,SP

Bruno é Minas Gerais e editor da publicação alternativa "Portas para a Poesia e Prosa".Endereço da redação:Rua Paulo VI, 362,Cep 37150-000 - Carmo do Rio Claro-MG,Fones:(035)3561-3466 ,(035)3561-3466 / 9112-3294. brunodessantos@yahoo.com.br

tumblr_lopv0gF5Gl1qhtcwxo1_500_large

Ilustrações da Internet  

Nenhum comentário:

Postar um comentário