sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

DEMÊNCIA 43

escrever1

Voava sem asas pelo infinito
Conhecendo estrelas,
Visitando galáxias,
Invadindo o universo.

De sobressalto acordei em uma ilha
Cercada pelo mar azul.
Eu estava só, sem ninguém!
Um órfão perdido no meio do nada.

Adormeci com o espetáculo do entardecer
E acordei com o hálito frio da manhã.
Não havia pássaros e nem peixes
O que houve por aqui?

Sentei e meditei.
Meus olhos dirigiram-se para algumas pegadas
Que iam em direção ao mar...
O que quer que tenha saído
Desistiu de continuar.

Por certo levou notícias
De um mundo outrora belo,
Mas que por descuido e negligência
Não sobreviveu ao próprio flagelo.

Quis retornar às estrelas,
Mas não pude.
Acordei de um sonho
No pior dos pesadelos:
A raça humana deixara de existir!

Agamenon Troyan

Publicado na edição nº 33, do fanzine Versos Livres.

Agamenon; escritor e poeta mineiro ,é autor do livro "O Anjo e a Tempestade" ,pseudonimo de Carlos Roberto de Souza do Fanzine Episódio Culturalhttp://www.fanzineepisodiocultural.blogspot.com/ Saiba mais em  http://sitedepoesias.com/poetas/AgamenonTroyan

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

QUADRA

chuva_flores

Amo o céu, a flor, o mar;
amo a praia luzidia.
Por isso é que o meu cantar
vem repleto de poesias.

Humberto Del Maestro

Publicado na edição nº 33, do fanzine Versos Livres.

Del Maestro nasceu em Vitória, capital do Estado do Espírito Santo, a 27/03/1938, filho de Alarico Del Maestro e de Celina Rodniztzky Del Maestro. Poeta, teatrólogo, ator, bancario aposentado, intelectual, pensador, produtor cultural, cronista, ensaísta, contista, trovador, crítico literário. Em 1952/1954 faz suas primeiras composições poeticas. Em 1958 faz suas primeiras pubicações em jornais. Em 1969 obteve o primeiro lugar no concurso promovido pela Livraria Âncora, com a poesia "Aparições", além de diversas menções honrosas. Tem encenado várias peças de sua autoria em teatros da capital espírito-santense . Em 1974 funda a Associação Artística e Cultural "Ludovico Pavoni", da qual é o primeiro presidente. É chamado de "Poeta das Flores".

Humberto Del Maestro assina, no jornal "Correio Popular", de Cariacica-ES, uma coluna de crítica literária. É membro da Academia Espírito-santense de Letras , associado do Postal Clube, do Rio de Janeiro, colaborador efetivo da revista alternativa "A Figueira", de Florianópolis-SC (entre outras) . É membro correspondente da Academia Cachoeirense de Letras - ACL.  Detentor de vários prêmios. Publicou seu primeiro livro, "Lany", em 1968.  (Fonte: ELTON, Elmo. Poetas do Espírito Santo, 1982 - FCAA- UFES- PMV  ) . Saiba mais em http://www.poetas.capixabas.nom.br/Poetas/detail.asp?poeta=Humberto%20Del%20Maestro.

MUNDO

viagem456

A chuva chegou à tarde, como tem acontecido.
A água cai em abundância, limpa, forte, tão necessária.
Parece mesmo enviada dos céus, pois a terra precisa.
As plantas agradecem. Algum trovão amealha esse momento e já é esperado.
Olho pela vidraça e noto que a lâmpada da casa de ginástica acendeu sozinha, porque escureceu.
Ficou bonita, a rua, ganhou ares de coisa civilizada. Tive saudades de outros tempos, quando caminhava pela cidade, a pé, para o trabalho ou o estudo noturno e me sentia parte das coisas do mundo. Pertencente. Tinha vinte anos e tudo era ainda promessa.
Agora, com o Planeta tão machucado, mal usado, a esperança tomou-se pequena, no enfrentamento de uma crise mundial.
Os seres inteligentes a criaram e agora não sabem corrigi-Ia, não sabem como sair dela. Assim seguimos, de fase em fase, nem sempre conseguindo o melhor para o bem comum de toda a humanidade.
Que Deus tenha compaixão do mundo criado por Ele.

Djanira Pio

Crônica publicada no fanzine Versos Livres, nº 33, extraída do livro "A Difícil Vida Inteligente", Scortecci Editora

"Djanira Pio ( Djanira Arruda Pio Soares), nasceu em Santa Rita do Passa Quatro, em 02 de Abril de 35, Estado de SãoPaulo. Trabalhou na Santa Casa de Misericórdia ate se formar professora  . Aposentada como professora de Português, na rede pública estadual. Mora na cidade de SP desde 1954, casada, tem 3 filhos. Sempre gostou de ler e logo começou a escrever, quando nem sabia que estava escrevendo. Escreve poesias, contos, minicontos, crônicas e romances.
Começou fazendo leituras de autores estrangeiros, porque os encontrava na Biblioteca da Escola. Começou e continuou a gostar muito dos autores mortos. "
  Saiba mais sobre a talentosa Djanira em 
http://antologiamomentoliterocultural.blogspot.com/2010/01/djanira-pio-entrevista.html

sábado, 21 de janeiro de 2012

IMPRENSA ALTERNATIVA

No post de hoje, poemas extraídos do órgão informativo "Boletim da Casa", emitido pela Casa do Poeta de Santa Maria.

BOLETIM DA CASA  

NAVALHA

A navalha do tempo,
dilacera meu rosto,
deixando-lhe marcas
que não cicatrizam.
Fico a brincar com a solidão,
minha eterna companheira

J.B. Ziegler
in : Boletim da Casa,
ano II, nº 09

-

TEOREMA

O impossível
Não é infinito

Eu vou além do limite

Chego lá
Vou provar
Vai ser bonito

Carlos Cassel
in : Boletim da Casa,
ano II, nº 09

-

NATUREZA

Um flamingo
beija o lago
E abraça firme no bico
Um peixinho bailarino

Maria Regina Caetano Soares
in : Boletim da Casa,
ano II, nº 09

-

FIM DE CASO

Vestiu-se de inverno
Nosso amor de primaveras
Morreu de frio
Congelado na indiferença...

Andréa Cortiana
in : Boletim da Casa,
ano II, nº 09

-

A ESPERANÇA

Um passarinho canta
Na cidade de pedra

Um girassol
Se põe na ponta dos pés
E, por cima do muro,
Espia, espia, o sol.

Nem tudo está perdido.

Prado Veppo
in : Boletim da Casa,
ano II, nº 09
___________

A publicação "Boletim da Casa", é um orgão informativo, cultural e de comunicação social da CAPOSAM - Casa do Poeta de Santa Maria.
-
Jornalista Responsável : Chico Sosa
Produção: Angelise Fagundes, Selma Feltrin, José Nelson Correa e Auri Antonio Sudati.
-
O informativo contém crônicas, poemas, notícias, contos e ilustrações.
-
Não tem endereço para correspondência.

bomdia0135

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

ALFA E ÔMEGA

alfaeomegapaixao2

Poeticamente invadida pela terra remexida
Sinto raízes em minha mente - colchão de sonhos.

E vazo com elas a ternura dos girassóis
A parir o miolo em sementes.

Donde vem o vento sinalizo esperança
E me cresce chuva nos pensamentos.

Encharcada renasço poema, meu samba florido
Nas asas férteis de uma borboleta encanto.

Meu poeta, fonema gráfico, brinca no quintal
As cores de meu poema, liberto pássaro pincel.

Poeticamente frutífera afundo-me fêmea
Nos galhos folhas do tempo e encaixo a estrofe final:

Ele tem cheiro de flores, terra molhada, prazer animal.
Faz versos em mim do nascer ao poente do viver.

Eliane Alcântara.
http://www.eliane_alcantara.blogger.com.br
http://rabiscosecores.blogspot.com

-
"
Eliane Alcântara Cerqueira Sanches, nasceu em Lajinha, Minas Gerais. É professora de Língua Portuguesa.  Destaca-se por um estilo refinado e inédito, despontando nas artes literárias como contista e poeta erótica, colunista de periódicos, declamadora e palestrista em eventos culturais.
A partir de 2004, tem sido presença constante nos encontros nacionais de escritores, como são o Belô Poético e o Psiu Poético. On line, (através de seu blog:
http://www.eliane_alcantara.blogger.com.br, http://elianealcantarapoemas.blogspot.com, do site http://elianealcantara.zip.net e seus vídeos no YoTube,) as visitações batem record, tendo sido convidada para ser membro de “La Voz da Palavra Escrita”, por ter atraído a atenção de escritores e leitores internacionais, o que a incentivou a seguir em frente com o seu trabalho já acreditado como inovador e de excelente qualidade. Pertence a Academia Brasileira Virtual de Letras. É colunista do Jornal das Montanhas, que circula na Região do Caparaó - Triângulo Mineiro; já teve várias publicações no Café Literário - circulado pelos Andarilhos das Letras e participou de várias coletâneas.
Em 2008, ingressou na Rede Sócio-Cultural de Escritores: (
http://muraldosescritores.ning.com/profile/ElianeAlcantara ), onde seus poemas e vídeo-declamações se encontram disponíveis . Seu projeto editorial, de divulgação e distribuição surge arrojado e audacioso,  lançando seu trabalho simultaneamente, em Entre Rios, Conselheiro Lafaiete, Queluzito, Ouro Branco, Congonhas, Ouro Preto, Belo Horizonte, Lajinha, Rio, Curitiba, no Brasil, e, oportunamente, em Lisboa, Portugal." (fonte : http://muraldosescritores.ning.com/profile/ElianeAlcantara )

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

INVESTIGAÇÃO

INVESTIGACAO

Procurei-te
nas avenidas, praças, ruas,
bares, boates, bairros,
becos da cidade.
Procurei-te
à beira do asfalto
no pão escasso à mesa
na dor dos descalços
no parapeito das janelas
nos dias de deserto,
no deserto das palavras.
Procurei-te
água límpida
entre pedras de riacho.
Procurei-te
onde silêncio
mostra face,
deixa marcas.
E simplesmente
era em mim
que moravas.

Larí Franceschetto
in: "Espelho das Águas"

NO POST de hoje,  um  poema extraído do livro "Espelho das águas", do poeta gaúcho Larí Franceschetto, que foi enviado gentilmente pelo autor, à redação do fanzine Versos Livres .  Outras mostras do trabalho do Larí serão publicadas em postagens posteriores.

Digitalizar0006

ESPELHO DAS ÁGUAS  é o primeiro livro solo do poeta Larí Franceschetto, de Veranopolis - RS. Com editoria e composição de Suliani Editografia Ltda. Composto de 176 pg a obra trás toda essência do poeta da terra da Longevidade. O livro foi publicado por intermédio do Fundo Pró-cultura de Veranópolis e abrange somente o gênero poesia. Tem orelhas assinadas pelo 'ex-patrono da feira do livro de Porto Alegre, 2005', o historiador, editor e escritor Frei Rovilio Costa. A capa é de autoria da artista plástica Maria Salete Martinelli.

CONTATOS com o autor : Rua João Leivas de Carvalho, 98 - Veranópolis, RS , Cep 95330.000 - fone: (54) 3441.7732.

SAIBA MAIS  sobre o premiado poeta gaúcho em
http://antologiamomentoliterocultural.blogspot.com/2011/01/lari-franceschetto-entrevista-n-293.html

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

QUADRA

trem345

O trem expresso da vida
não pára nas estações,
nem dá sinal de partida,
nos levando aos trambolhões

Aparecida Mariano de Barros

Publicado na edição nº 33, do fanzine Versos Livres, editado em Guarulhos, SP. Essa quadra de Aparecida foi também publicada no jornal  Fanal , orgão de divulgação da Casa Do Poeta "Lampião de Gás".

A  C.P. "Lampião de Gás ",São Paulo, é a  mais antiga associação de poetas das Américas. Fundada, em 1948, pela poetisa Colombina(1882-1963) . Endereços para contato: Rua Álvares Machado, 22, 1º andar – Centro/Liberdade – CEP: 015030-0193 – São Paulo – Capital . E-mail: casadopoeta.lampiaodegas@gmail.com. Saiba mais em http://casadopoeta-lampiaodegas.blogspot.com/

Aparecida Mariano de Barros ocupa a  Cadeira nº 36 ,da Academia Feminina de Letras e Artes de Jundiaí . Natural de Ártemis, Piracicaba/SP. Já editou 21 livros, um deles," Jundiaí, nós te amamos,". Quatro deles foram premiados. Recebeu através da carreira literária, diversas honrarias , entre elas ; Diplomas, Troféus, e Medalhas. e o título de  Embaixatriz da Poesia Brasileira.
Classificada em concursos de poesia, entre eles, na Itália e Portugal. Tem contato, além destes, com a Grécia, França, África e já teve com o Japão.
Foi Presidente da Academia Feminina de Letras e Artes de Jundiaí, Presidente da Comissão Municipal de Folclore, Membro do Conselho Diretor da Fundação Casa da Cultura de Jundiaí, entre outras indicações. Com o livro Escada de Madeira recebeu a comenda “Machado de Assis”/RJ.
Saiba mais em http://aflaj.com.br/aflaj/membro/36/aparecida-mariano-de-barros/