segunda-feira, 28 de maio de 2012

PROJETO

VERSOS dalton-brown-alice-longo-dia-ensolarado

TUDO QUE EU EXIJO DA VIDA
É UMA IDEIA NA CABEÇA
UMA CARTA NA MANGA
UMA BANDEIRA ERGUIDA NA MÃO
ALGUNS PARCEIROS AGUERRIDOS
E SE POSSÍVEL
MAIS DE TRINTA DINHEIROS NO BOLSO.
O RESTO
EU EXPROPRIO.

ANTONIO CABRAL FILHO
http://blogdopoetacabral.blogspot.com.br/

SAIBA MAIS EM
http://blogdopoetacabral.blogspot.com.br/search?updated-max=2012-02-27T11:45:00-08:00 e http://letrastaquarenses.blogspot.com.br/

quarta-feira, 23 de maio de 2012

POESIA DE MAIO

floresmaiotcchiu

Maio me enternece. Um perfume bom de flores acelera meu coração. Transporto-me. E ouço as águas cantantes dos riachos lavando as pedras das corredeiras.

Amo este azul sagrado, esta carícia de tantas lembranças. Diáfano céu que me cobre nas horas de quietude tamanha. Um vento ameno me segreda cantigas , de ousadia e paixão.

Quero correr, voar pelas campinas, olhar além do horizonte. Onde dormem anjos das florestas. É tão doce esse ar, que perpassa minha alma, que me diz onde mora a saudade. Um sentir brando. É maio que me diz poemas, versos nascidos de um olhar. De lágrimas, molhado.BONSAIAZALEIA

Esta sintonia com o mês de maio. Quando vou buscar as imagens que não se apagam : de minha mãe rezando, preparando meu vestido de festa, tecendo loas de esperança;enxugando minha lágrima, coroando-me sua princesa. 

A inspiração me veio dela. Minha mãe,poeta silenciosa. Foi ela que me ensinou; mãe abençoada, das madrugadas de vigílias. Minha mãe romântica. Aduladora. De regaço macio. Nas horas do meu sono. Maio, o seu mês de aniversário. Faceira mãe de minha vida.

Enquanto o céu ouve meu cantar, recolho imagens: de meu filho tão querido ! Remexo a caixa : onde guardo papéis de desenhos. Dedicatórias com letras grandes e desordenadas. Bilhetinhos cheios de amor. A risada gostosa assistindo desenhos na tevê. Os seriados comandados pela Jornada nas Estrelas. Hoje, moço feito, conserva aquele riso. E aquele olhar: meu filho sempre.

Rosemary Lopes Pereira

Crônica publicada originalmente no jornal O Radar. Contato: Caixa Postal 601, Apucarana, Paraná, Cep 86800-970.

Saiba mais em http://www.oradaronline.com.br.

terça-feira, 22 de maio de 2012

EXTREMOSA

corpo mulher Lost_message_by_LuneBleu

Vou ficar à sua sombra
me cobrir de verde

Para esconder
esta nudez extrema
despida de letras.

Colher palavras
retalhos de verbos
contar segredos
em versos esquecidos

Ler-me em silêncios
Eu dentro de mim

Zaira Cantarelli
Porto Alegre/RS

Poema publicado na edição nº 32, do fanzine Versos Livres,editado em Guarulhos/Sp

Zaira Cantarelli está presente em diversos sites literários e em várias publicações alternativas. Zaira é integrante da AGEI - Associação  Gaúcha dos Escritores Independentes. .

segunda-feira, 21 de maio de 2012

"ENTRE ASPAS"

lirismo3

'(...) eu descobri que ser inteira não me dá medo porque ser inteira já é ser muito corajosa...'

Tati Bernardi

roubado do blog "Entre Aspas".
http://silvinhahba.blogspot.com.br

terça-feira, 15 de maio de 2012

EMAILS

No post de hoje,trago alguns poemas que me enviaram por email.
Teremos poemas de Teresinka Pereira,Adélia Einsfeldt ,Samuel da Costa e Rogério Salgado.  Peço paciência aos outros amigos que me escreveram .Futuramente estarão por aqui. Não custa repetir: estamos à disposição em touche.sp@uol.com.br 

CANÇÃO PARA APRESSAR O MÊS DE OUTUBRO
Teresinka Pereira
OUTONO romanello-diane-estrada-no-outono
Aqui as folhas amarelas
se escurecem abandonadas no quintal,
as arvores se desnudam
e os esquilos, as tartarugas,
os coelhos, os cervos, os gambas
que habitam o jardim
estao alvoroçados com a ameaça
de que a neve chegará
antes do Natal.
Eu me acomodo no cantinho
do meu quarto como uma pomba
que se esqueceu de voar
antes da tempestade
e a distancia da tarde.
Amanhã todo o sonho
voltará


line

PARTIR
Adélia Einsfeldt
despedida345 
Partir
não ter que voltar
ficar
descer quando
o trem parar
sem despedidas
nem cartas de adeus.
Como semente levada
pelo vento
florescer em qualquer
tempo
seja onde for
como flor
espalhada pelo caminho.
Gotas de lua na madrugada
e mais nada...

line

JORNADA ESTÁTICA
Samuel da Costa
partir-pedro

A realidade relativa...
Já não sinto
Os meus pés no chão!

SOCORRO!

Sou eu gritando em meio
Ao  real e o irreal
Não sei onde estou!
Ou para aonde vou.

Já não sinto os meus
Pés tocarem o chão!
Fico por ai
Vagando no infinito
Em meio ao nada!
Nessa realidade
Que é só minha...

Fico vegetando
Em meio há horas desperdiçadas!
Desperdiçando aquilo que não tenho!

São dias...
São horas... acumuladas!
Desperdiçando a minha vida...
Acumulando aquilo que eu não preciso!
Desperdiçando a minha vida.

line

POEMA SEM METÁFORAS
Rogério Salgado
 
corpo labirinto zaparoli

 Um corpo inerte na calçada
vítima de bala perdida
ao redor da morte
pessoas desesperançadas
esperam um novo milagre
que lhes tragam algo novo

... e o poeta em sociedade
preocupa-se com o poema alheio...

a violência violenta as estruturas
humanas que habitam dentro
de cada um de nós
como se vivêssemos
num Vietnã metropolitano
em pleno século XXI

... e o poeta em sua toca
sonha com o seu próprio umbigo

pessoas dormem nas ruas
sem metas e sem destinos
suas camas são papelões
espalhados em desalinho
como animais quaisquer
num zoológico concreto

... e o poeta afinal
só quer ver
sua foto num jornal!

Para Maiakovski
(In “Poemas” – Belô Poético-2010)

quarta-feira, 9 de maio de 2012

CONCURSO DE POESIA

Movimento Cultural Brasil Casual  -
Seção Literária do Jornal O Liberal

CONCURSO DE POESIA - Edição 2012

Apoio Cultural:
Alfama Cursos (Aracaju)
Federação Brasileira dos Alternativos Culturais (São Paulo)
Associação Internacional Poetas Del Mundo (Consulado sergipano)
Movimento Cultural Internacional A Plêiade­ (Aracaju) ­ 

A Coordenação do Movimento Cultural Brasil Casual lança nesta data o CONCURSO DE POESIA - Edição 2012, que selecionará os melhores textos, observadas as especificações constantes deste Edital.
O prazo de inscrição para a participação no CONCURSO é até 30 de Maio de 2012, mediante o encaminhamento das obras literárias à Coordenação Geral do Concurso, conforme disposto no item 2 deste Edital.

1 DO OBJETO
1.1. O presente Edital tem como objeto a seleção de obras literárias, na modalidade Poesia, observadas as especificações abaixo, objetivando selecionar e destacar os trabalhos com maiores qualidades literárias.
1.2.  A  taxa de inscrição é de R$ 10,00 (dez reais) POR CADA 2 TRABALHOS ENVIADOS. O limite por participante é de 4 poesias.
1.3.  Os trabalhos terão
TEMA LIVRE.
1.4.  Os trabalhos não precisam ser inéditos.

2 DAS INSCRIÇÕES
2.1   A inscrição no Concurso dar-se-á mediante encaminhamento das obras literárias ao endereço:

A/C Emerson Maciel Santos
Av. Augusto Franco, 3753. Edifício Lyon 801
Bairro: Ponto Novo - Aracaju – SE CEP: 49047-040

2.2 As inscrições só serão recebidas pelo correio até o prazo estabelecido, considerando, para tanto, a data de postagem dos correios.
2.3 Cada participante poderá inscrever até 4 (quatro) poesias, sendo vedada a participação de coautoria.
2.4   No ato da inscrição, o candidato deverá apresentar, além do comprovante da inscrição (depósito no Banco do Brasil – ag. 3546-7 conta 29641-4, em nome de Luciana Novais, ou na Caixa Econômica Federal – ag. 2186 conta 1332-3 poupança, em nome de Emerson Maciel Santos, se achar mais prático, poderá ser enviado o valor em espécie em um envelope menor a parte), o trabalho em 3
(três) cópias impressas, na seguinte formatação: papel A4, fonte 12 (arial ou times new roman) com no máximo 30 versos (linhas).
2.5   Os trabalhos deverão ser enviados em envelope grande que deverá conter também um envelope pequeno lacrado e em seu interior uma folha A4 contendo: Nome, Pseudônimo, Data de Nascimento, Endereço Completo, E-mail, Telefones e uma mini-biografia. No Exterior desse envelope menor deve constar apenas:

Ø  Títulos do(s) trabalho(s)
Ø  Pseudônimo do autor

Obs.: As obras não poderão ter identificação de autoria, sendo que no rodapé da página deverá constar apenas o pseudônimo do autor. No exterior do envelope maior pode constar identificação.

2.7 Logo após o certame as obras literárias inscritas não serão devolvidas, sendo incineradas após o encerramento do concurso.
2.8   É responsabilidade exclusiva do autor inscrito a observância e regularização de toda e qualquer questão relativa a direitos autorais.

3 DA PARTICIPAÇÃO

3.1 O CONCURSO DE POESIA do Movimento Cultural Brasil Casual - Edição 2012 é de abrangência internacional e aberto a todo escritor que produza em língua portuguesa.
3.2. É vedada a participação dos membros da comissão organizadora e julgadora.
3.3   Os autores deverão ser maiores de 18 anos de idade.

4 DO JULGAMENTO

4.1   Os trabalhos inscritos serão submetidos, para análise e julgamento, à Comissão Julgadora constituída por pessoas com reconhecida capacidade intelectual, cuja decisão será soberana, não cabendo qualquer recurso quanto aos resultados por ela apontados.
4.2 Os nomes dos integrantes da Comissão Julgadora serão revelados somente na data da divulgação dos resultados.
4.3 Os textos serão julgados com base nos critérios de criatividade, qualidade técnica do texto e domínio da língua portuguesa.
4.4   A Comissão Julgadora poderá, a seu critério, conceder Menção Honrosa.
4.5 O resultado do Concurso será divulgado no periódico Jornal O Liberal e no endereço eletrônico: www.emersonmaciel.com.br.
4.6   Os autores classificados serão contatados através de correspondência pessoal.

5 DA PREMIAÇÃO

5.1 A premiação será de:
 1º prêmio: Kit Literário contendo Livro e Cd + 1 ano de assinatura grátis do Jornal O Liberal (com direito a publicação de trabalhos literários) + Certificado;
2º prêmio: Certificado + 6 meses de assinatura grátis do Jornal O Liberal (com direito a publicação de trabalhos literários);
3º prêmio: Certificado + 3 meses de assinatura grátis do Jornal O Liberal (com direito a publicação de trabalhos literários).

5.2   Menções Honrosas: Certificado.

6 DOS DIREITOS E OBRIGAÇÕES

6.1 Aos Autores será assegurado o reconhecimento dos direitos autorais dos trabalhos premiados, atendendo às especificações contidas no item 6.2 deste Edital, permanecendo proprietário(a) de seus direitos para quaisquer outros usos que não os aqui especificados;
6.2 Os autores, ao se inscreverem no presente concurso, concordam com a cedência de nome e imagem ao Movimento Cultural Brasil Casual para fins promocionais deste certame.
6.3   À Comissão Organizadora compete promover a divulgação deste Edital nos meios de comunicação e no endereço eletrônico www.emersonmaciel.com.br e no Jornal O Liberal e publicar os resultados dos textos selecionados pela Comissão Julgadora, de acordo com as especificações constantes neste Edital.

7 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

7.1   O ato de inscrição implica no conhecimento e concordância com os termos do Concurso estabelecidos no presente Edital, sendo que os casos omissos serão decididos pela Comissão Organizadora.
7.2   Eventuais pedidos de esclarecimento deverão ser encaminhados ao endereço eletrônico contato@emersonmaciel.com.br
7.3   O descumprimento das obrigações e regras constantes do presente Edital, pelos participantes, implicará na eliminação imediata desses do certame.

Aracaju, SE , 11 de Janeiro de 2012

Emerson Maciel Santos
Luciana Novais Maciel
Prof. Emerson Maciel Santos
Jornalista DRT-SE 1762 (MTE-SE)
Poeta Membro da Academia de Letras de Teófilo Otoni
Diretor de Publicação do Jornal O Liberal
Membro Vitalício da Associação Internacional dos Escritores e Artístas
Diretor Geral da Rádio Brasil Casual
www.emersonmaciel.com.br
www.radiobrasilcasual.com
79 9900-1218 (Vivo)
9148-0461 (TIM)
8119-6733 (CLARO)

segunda-feira, 7 de maio de 2012

EU TENHO ....

ALMA456

Eu tenho, sob sete chaves, aprisionada a minha alma. Tenho os olhos macerados por detrás desse portão. Abro o peito à esperança. Abre o sol por sobre a masmorra da indiferença dos que tentam mas não podem aprisionar os versos que componho enquanto sangra neste espaço úmido o meu coração.

silvio afonso

Poema pinçado dos comentários deste blog.

Sílvio Afonso,"carioca por merecimento", como ele mesmo diz, assim se auto define no seu blog :"Eu sou o timoneiro deste barco que valsa, o doce balanço do mar. Que sente na costa destas águas o sol refletindo o branco da praia aonde brincam as crianças e casais bronzeiam seus corpos seminus. Eu sou o cara cujas ondas vê saltar num jogo de pega e larga molhando de salgado as asas das gaivotas. Este mar aonde o barco, eu, as crianças e os namorados fazemos parte do mesmo sonho. Sonho de vento fresco e de noite estrelada. De mãos entrelaçadas e beijos apaixonados. Sou aquele que exulta deitar em concha, sussurra no ouvido dela e dorme sorrindo no entrelaçar das pernas. Que sente eriçar os pelos, cerrar os olhos enquanto, balançando, mas singrando segue o barco mar adentro, já que o acordar é a ordem do dia para não cair na vertiginosa realidade de toda a vez."

Confiram o blog do Silvio,chamado Palhaço Poeta, em http://palhacopoeta.blogspot.com.br/

Silvio escreve regularmente também no blog coordenado pela nossa querida amiga Cathiato : http://reflexosespelhandoespalhandoamigos.blogspot.com.br  do qual tive o orgulho de fazer parte,por um breve tempo .

-

No post passado,verifiquei que algumas palavras, como "renda", "paciente" e "dever", geravam um link que levava até uma propaganda de "trabalho em casa."
Quero deixar claro que não tenho nada a ver com essa propaganda , não sei como ela foi gerada no post do meu blog e que sou contra.
Portanto, NÃO comprem esse "curso Internet Dinheiro", deve ser mais uma dessas FRAUDES da Internet. Repito: não tenho nada a ver com isso !

sexta-feira, 4 de maio de 2012

ACHADO NUM ARQUIVO DO INSS

arquivo-flores

Atesto,para os devidos fins,que o Sr Povo Brasileiro, residente abaixo do Equador,carteira de identidade 000-0000 sofreu diversos acidentes nos últimos anos.
A saber:

- fraturas expostas,consequência dos tombos provocados pela Sr. Moeda Nacional.
- anemia profunda,com suspeita de leucemia, por falta de
perspectivas para o futuro,devido a má qualidade dos alimentos vendidos pelo Sr. Governo Atual ;
- úlceras cutâneas, desenvolvidas pelo contato excessivamente
próximo à Exma. Sra. D. Corrupção;
- sério problema visual,com sintomas mistos de glaucoma e
catarata por longa exposição à radioatividade das luzes de Madame Televisão ;

E ainda crises de pré-enfarto por razão das ameaças constantes dos foragidos de presídios,especialmente os mais perigosos.Citando alguns :Rapto,Navalha,Policial Armado,Trem da Central,Acidentes de Carro Ltda,a traiçoeira Inundação e sua gêmea, a Seca e o gênio intempestivo do jovem Desabamento Urbano.

- insuficiência pulmonar devido à Sra Poluição e complicada pela falta de fôlego provocada pelo Sr. Imposto de Renda e seus familiares.

A internação no C.T.I. deve-se às frequentes convulsões, consequências de : disritimia aguda,de responsabilidade do Sr Analfabetismo Geral,aneurisma em fase aguda,culpa da Cia. Meninos de Rua e Arrastão S.A., além de ataques eliléticos, doença crônica, surgida desde os tempos em que mudou-se para as vizinhanças o miserável Dr. Divisão Justa das Terras Aráveis.

Atesto,pois, a impossibilidade de meu paciente comparecer às urnas.Seu maior dever cívico,no momento,é o de recuperar a saúde.

Glenda Maier

Crônica extraída do livro "Talvez Crônicas",Greenpoint Editora,www.portalemfoco.com.br.Esta crônica foi publicada originalmente no jornal "O Jacaré" em abril de 1993.

Glenda Maier é cronista, escritora e poetisa. Colabora intensamente com a imprensa alternativa. Organizadora dos concursos : Concurso Nacional de Poesia Francisco Igreja, Boletim Poster e Perfil, Coletânea Perfil, Concurso e Coletânea 400 Anos da Baixada de Jacarepaguá. Editou por algum tempo a publicação “Vivências”

Saiba mais em http://antologiamomentoliterocultural.blogspot.com.br/2009/11/glenda-maier-entrevista.html