quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

VOZ

papeisvec3a7lhos Glenda Maier

Qualquer um de nós que enfrente uma fila,um hospital público (e,às vezes,um hospital particular),que precise tirar algum documento para legalizar seja o que for,enfim,onde esperamos ter um assunto resolvido, ouviremos mil vozes reclamando. Reclamações de todos os tipos e constantes. Voz desperdiçada !

Inesperadamente,o Brasil ouve a Voz de uma menina-moça, Isabela Faber, de Santa Catarina,que exausta de ver os desmandos que aconteciam em sua escola,fez uso da "voz eletrônica" e criou um blog onde decidiu criticar as escolas públicas em geral e fotografar e comentar sobre todos os problemass enfrentados pelos alunos de sua própria escola.Em sua palavras: "Estou fazendo essa página sozinha prá mostrar a verdade sobre as escolas públicas.Quero o melhor não só para mim,mas para todos"

O endereço da página de Isabela no Facebook é
http://www.facebook.com/DiariodeClasseSC

Essa é a voz que deve ser levantada. Para começar,devemos levantar nossas vozes em nossos lares,mostrando os limites entre o certo e o errado;as diferenças entre carinho e agressão;os prazeres e os problemas advindos do sexo,deixando clara a diferença entre sexo e promiscuidade.

Podemos fazer isto nas escolas de nossos filhos - normalmente a preocupação dos pais é apenas relativa às notas - vocês já pararam para pensar que a vida não 'dá notas' ? Será que na escola do seu filho a palavra RESPEITO é conhecida ? Seu filho sofreu ou proporciona estas cenas conhecidas como bullying,que nada mais é do que o total desrespeito pela pessoa humana?

Você já visitou as instalações sanitárias da escola onde seu filho estuda? Conhece o teor do lanche oferecido na escola?

Em nossas comunidades,quer de favelas ou condomínios de luxo,nós nos preocupamos com a preservação das áreas verdes ? Lutamos para que seja implantada uma medida para a coleta de lixo seletivo? Verificamos se os funcionários estão sendo pagos de forma justa?

Em nosso trabalho,onde muitas vezes as vozes se calam para 'não aborrecer o patrão',será que dizemos tudo o que deve ser dito? Não aquelas reclamações que só visam o nosso próprio interesse,mas as reclamações como as de Isadora: 'Quero o melhor não só para mim,mas para todos" !

Há muito que dizer a este respeito.Há muito que pensar.Mas,sobretudo,há muito que fazer.

Saiba mais em http://www.facebook.com/DiariodeClasseSC

(essa crônica foi extraída do jornal “Jacarepaguá em Destaque”, jacarepaguaemdestaque@yahoo.com.br )

Contatos Glenda Maier : http://www.facebook.com/glenda.maier
glendamaier@hotmail.com

Glenda Maier, nome literário de Glenda Meyer de Aranha Borges. Carioca, formada em Sociologia, professora de inglês por profissão. Participou da fundação e das primeiras diretorias da Casa do Poeta do Rio de Janeiro, onde fundou o DIJ – Departamento Infanto-Juvenil. Autora dos livros Poemas (1991); Prosa Poética (1993); Quase... Contos (1998); Poesia etc. & tal (2002); Talvez Crônicas (2005); Talvez Crônicas Vol II (2007) – livro premiado pela UBE/Rio; Mandrágora – Agenda Perpétua de Aniversários (sem distribuição externa, foi um presente para a família) e Crônicas de Sala de Aula (2009). Presidente da APPERJ de 1996 a 2001. Cronista dos jornais Jacarepaguá em Destaque e Condomínios e Foco desde o primeiro exemplar. Mãe de Guilherme, Antonio Henrique e Letícia. Alguns prêmios e um grande sonho – escrever um romance realmente digno de aplausos.

Confira a entrevista de Glenda concedida ao amigo Selmo Vasconcelos em
http://antologiamomentoliterocultural.blogspot.com.br/2009/11/glenda-maier-entrevista.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário