quarta-feira, 29 de maio de 2013

"..ASSIM É O MEU ESCOLHIDO.."

tumblr_lahxnkooJs1qartdmo1_500_large

uns dias sem me ver
ele me encontra
me abraça
apertado
me olha
diz
“ nossa
como vc é cheirosa “
diz assim
mirando os olhos
um único desvio
minha boca

um frisson
percorre meu corpo

assim é meu escolhido

Ana
http://www.letrasproibidas.blogger.com.br/

terça-feira, 28 de maio de 2013

MÃE

mae-e-filho-arsen_kurbanov_1_ak

Pela luz entre as névoas
pelas manhãs de domingo
pelo conselho certo
pela mesa posta
em noites de perder a hora.
Mãe,pelo perfume no abrigo
(casa,mundo,berço)
Pelo terço cedo
pela sede-sonho
pela fome morta.
Mãe,por abrir janelas
na sexta ou na segunda-feira
pelos dias de feira
ser verbo ser
pela vida inteira
Mãe,por ser água pura
transpondo pedra.
Por ter sido lua
(a mais bela)
nas veredas do ontem;
Por ter sido sol
(o mais forte)
nos invernos de menino
e de agora.
Mãe...perdoe-me:
Quase nada tenho
mas tenho amor,
dar-te-ei uma rosa
nem que seja alugada
de algum jardim do caminho

Larí Franceschetto

in: Versos Livres nº 34

Esse poema foi premiado no concurso promovido pela Casa do Poeta Rio Grandense - 2º lugar - 5º Concurso "Nelson Fachinelli", 2006.  Nesse poema, Larí homenageia sua mãe , Dona Assunta.

Saiba mais sobre o já saudoso poeta gaúcho em http://antologiamomentoliterocultural.blogspot.com.br/2011/01/lari-franceschetto-entrevista-n-293.html

ilustração: Mãe e filho, s/d
Arsen Kurbanov  (Makhachkala, Daghestan, Rússia, 1969)
óleo sobre tela

261386_340859416031319_1253400067_n

domingo, 26 de maio de 2013

TERCEIRA IDADE II

velhice

O texto publicado mês passado trouxe uma doce recompensa. Minha querida amiga, a poeta Else Oliveira, de 95 anos, enviou-me uma carta dando seus próprios conselhos. É verdade que alguns idosos não seguiram os conselhos dados por Else e se tornaram velhinhos rabugentos, com os quais não se pode conversar,mas, felizmente, não é assim com todos.

Ela inicia dizendo: " Nossos males são reflexo do viver. "  E entre outros conselhos, diz : "Perdoe sempre. O perdão não é para quem se dá - é para você mesmo. Sinta no seu espírito o ato de ter dado o perdão - Veja a descarga, o alívio que lhe faz tão bem!. Ouça com alegria esta frase:"Estou tão feliz, fui perdoado".

A carta de Else me fez pensar sobre a sabedoria que existe em ouvir o que os idosos têm a dizer. Poucas vezes nos damos ao trabalho de conversarmos com os mais velhos, é como se toda a experiência de vida deles ficasse sem serventia diante de nossa indiferença.  (trecho..)

Glenda Maier
Rio de Janeiro - RJ

-

A Velhice é um Vento
Fernando Echevarría

velhice4_d82aa8d2e9364f79ff2f24ca9d748c11

A velhice é um vento que nos toma
no seu halo feliz de ensombramento.
E em nós depõe do que se deu à obra
somente o modo de não sentir o tempo,
senão no ritmo interior de a sombra
passar à transparência do momento.
Mas um momento de que baniram horas
o hábito e o jeito de estar vendo
para muito mais longe. Para de onde a obra
surde. E a velhice nos ilumina o vento.

in "Figuras"
http://www.citador.pt

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Notas do subterrâneo

crianças_olhando_o_céu

Dostoiévski 

"Todo homem tem algumas lembranças que ele não conta a todo mundo, mas apenas a seus amigos. Ele tem outras lembranças que ele não revelaria nem mesmo para seus amigos, mas apenas para ele mesmo, e faz isso em segredo. Mas ainda há outras lembranças em que o homem tem medo de contar até a ele mesmo, e todo homem decente tem um considerável numero dessas coisas guardadas bem no fundo. Alguém até poderia dizer que, quanto mais decente é o homem, maior o número dessas coisas em sua mente"

terça-feira, 21 de maio de 2013

INDAGAÇÕES

Moço_ caminhando _na_ rua_  gelada_1

Porque os mortos não envelhecem
e as criancinhas continuam anjos ?
Guardo um canteiro de rosas no peito,
mas receio que um dia emurcheçam;
como os sonhos que hoje me garantem a vida
          palpitante e fogosa,
e as esperanças plantadas sem sentido
          nas minhas emoções.
Por que me deram, afinal de contas,
estes olhos puros e este coração sensível,
que mal cabe dentro do meu peito ?

Humberto Del Maestro

publicado na edição nº 34 do fanzine Versos Livres

extraído do livro "Poemas Sombrios (e outros nem tanto)/Sonetos"  Impressão e acabamento: Grafitusa S.A.

Contato com o autor : Rua Aurora de Aguiar Ferreira, 171/702 - Ed San Juan
Jd Camburi - Vitória - ES - 29.090-310

Saiba mais sobre o amigo Humberto conferindo a entrevista que ele concedeu ao jornalista Selmo Vasconcelos , em http://www.selmovasconcellos.com.br/colunas/entrevistas/humberto-del-maestro-entrevista/

quarta-feira, 15 de maio de 2013

JUCA PATO

11049637 Talvez a figura mais popular na cidade de São Paulo nas décadas de 30 e 40 tenha sido o Juca Pato,personagem criado pelo jornalista e caricaturista Belmonte
(Benedito Carneiro Bastos Barreto), paulistano do Brás, onde nasceu a 15 de maio de 1896. O personagem surgiu nas páginas do jornal "Folha da Noite" em 1925, traduzindo o pensamento da classe média paulistana, que criticava a arrogância e corrupção da classe dos ricos. Era o defensor dos fracos e oprimidos.

Em 1962, o escritor Marcos Rey propôs à UBE - União Brasileira de Escritores - a criação do prêmio Juca Pato de Intelectual do Ano,que foi concedido pela primeira vez  a San Thiago Dantas.

Entre os ganhadores do Juca Pato estão Alceu Amoroso Lima, Érico Veríssimo,Caio Prado Júnior e Lygia Fagundes Telles entre outros. A relação completa dos ganhadores pode ser vista no site da UBE: www.ube.org.br.

(extraído do Jornal O Escritor, edição nº 124 ,gentilmente enviado pelo escritor Aricy Curvello )

Saiba mais sobre Belmonte e Juca Pato em http://almanaque.folha.uol.com.br/belmonte.htm

5

domingo, 12 de maio de 2013

CORRESPONDÊNCIAS RECEBIDAS


No post de hoje,poemas,textos e informações recebidas através do email touche.sp@uol.com.br. Agradeço,como sempre,o intercâmbio enriquecedor. Textos,críticas e sugestões são sempre benvindos.

-

A QUAL TRIUNFO?
Teresinka Pereira

AQUALTRIUNFO1968_n

A qual triunfo
a fogueira do espaço
me conduz?
Aqui estou queimando-me
em ânsias,
oxidando meus desejos
sem assustar ninguém,
com medo de que riam
desta pela clara
como açúcar sem doce.
Minhas palavras
se reduzem ao abismo do tempo,
não vejo sequer o horizonte:
sou espectadora do nada!

tpereira@buckeye-express.com

-

DESFIBRILADOR
José Rosa (ZeRo S/A)

5779456_YkWnb

Meu coração,
Imediatamente, voltou a bater,
Quando pela primeira vez
Vi, ali, parada bem na minha frente,
Você.

http://www.bizarrodeslumbre.blogspot.com.br

-

DIA DAS MÃES
Teresinka  Pereira
mae-e-filho-arsen_kurbanov_1_ak

Ha' uma foto de minha mãe
na solidão de meu quarto.
A seu lado trazem saudades
fotos de outras mães
que acariciam
minhas lembranças.
Não tenho nada a queixar:
tive na vida braços
que me levaram ao berço,
e cantigas de ninar
que me davam ilusões
nas noites para dormir feliz.
Como mães foram também
meu pai, minha tia e minha avo'.
Com o tempo, todos se foram
å mais serena noite...

-

PASSAGENS
Kleiton Gonçalves

elogio1_70

Afogo-me em pesadelos,
não tenho cor, sexo ou idade.
Em espanto e desespero
acordo numa rua escura:
a arte deixa de ser arte
e transforma-se em loucura.

in: Invenção Noturna
webmaster@portaldetonando.com.br

-

- O amigo Angelo Macedo,da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Guarulhos, nos envia o link do site Guarulhos de Ponta a Ponta.
http://guarulhosdepontaaponta.com.br/escritor/

- Recebi do meu amigo Adão Wons,um exemplar da sua publicação cultural Cotiporã Cultural - adaow@ibest.com.br

- Um link pro seu excelente site Telescópio - http://telescopio.vze.com,- nos foi enviado pelo amigo Everi Carrara.

- Compartilhado pelo  amigo Arlindo Nóbrega mais uma edição do seu jornal Literarte/SP -  literarte_sp@ig.com.br

- Na Rede: "Nosso JORNAL CDE"  Acesse: www.casadoescritor.org.br/nossojornal.htm .  Todo comentário será bem vindo.

domingo, 5 de maio de 2013

NITIDEZ

20carlosvergara_1

Enquanto houver escombros
Cortarei atalhos e ressentimentos
E com a lâmina da alma
Afiarei as esperanças.

E através das frestas dos tempos
Acenderei candelabros
Porque nada será lúcido
Sem antes ser nítido

Alzemiro Lídio Vieira

in: Versos Livres,edição nº 34

Poema extraído da revista Ventos do Sul, do Grupo de Poetas Livres, Organização dos textos e digitação: Maura Soares. Av.Patrício Caldeira de Andrada, 581/306 , Residencial Victória, Bairro : Abrão, Florianópolis
88085.150
, -
http://www.poetaslivres.com.br

Alzemiro nasceu em São José, SC, em nove de setembro de 1943. Poeta, escritor, ator de teatro e artista plástico. Membro do GPL e das Academias São José de Letras e Desterrense de Letras. Participa de jornais e revistas literárias e da 2ª Antologia do GPL. Em suas performances, zela pela apresentação de cantilenas e obras de sua autoria.Participa de todos os projetos do GPL e de todas as suas apresentações artísticas.Alzemiro possui em sua bagagem as obras Confronto, Mundo Neutro (1979), Gotas de afeto(1990), Vertente(2003). Mutação(2006).

Saiba mais em http://www.poetaslivres.com.br/poeta.php?codigo=28

Ilustração : Carlos Vergara