terça-feira, 1 de abril de 2014

ANIMAIS



Referências a animais aparecem já nas primeiras obras da literatura de informação sobre o Brasil, desde a Carta de Pero Vaz Caminha aos cronistas dos séculos XVI e XVII. 

A poesia não ficou isenta desse entusiasmo pelas grandezas da terra. Para objetivar seus ensinamentos, o Padre Anchieta comparava virtudes e defeitos humanos ao comportamento dos animais, o mesmo fazendo Gregório de Matos, com relação aos vícios da sociedade baiana.

É porém,no século XIX que se vai encontrar o primeiro grande animalista da literatura brasileira: José de Alencar. Em "O Guarani" e "Iracema", a paisagem se aviva de animais de toda a espécie.Em "Iracema", Japiri,o cão e a Arara que acompanham a jovem índia participam ativamente da história.

Nos seus romances regionalistas,os animais ganham especial relevo,como em O Gaúcho e O Sertanejo. 

Os poetas românticos identificam seus estados sentimentais com alguns pássaros.O canto do sabiá lembra a terra distante e saudosa de Gonçalves Dias,enquanto a juriti é um símbolo da doçura amorosa,na poesia de Casimiro de Abreu,Fagundes Varela ou Castro Alves.

Rolando Morel Pinto
in: Os Animais na Literatura Brasileira,Dicionário de Literatura,1º volume,3ª edição,1979,Figueirinhas,Porto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário