terça-feira, 6 de outubro de 2015

CANTATA PARA A ROSA HÍBRIDA

1280px-Nordisk_sommarkväll_-_Richard_Berg

Eis a fêmea langorosa
que semeia o suspiro serpente voluptosa
dos tempos do paraíso
Ah,é como mirar estrelas,
mergulhar nos teus olhos astrais
uma sucessão de desmaios,
auroras boreais em maios
Setembros primaveris...

Um arsenal de gestos
emolientes e graciosos
feito uma rosa à brisa
balouçando-se tão devagar !...
Como envolvida por um acalanto
das tardes invernais...

Esses olhares que nos deita:
confusão dos elementos:
caos ecoando pelo espaço
e impludindo o teu foco
nesses tais encantamentos.

Oh,tigresa volátil !
Com tuas garras guardas em sigilo
o aconchego ofito com que sonham os anjos
do teu vale meredith

Adriana Manarelli

" Adriana Manarelli é uma escritora de incomum interiorização em suas imagens poéticas; ela consegue imprimir aos seus poemas um aprofundamento intenso aos conteúdos que expõe. Por exemplo, no poema "Amanda", dedicado a sua filha e publicado em Experimentânea 2 , ela mergulha em sua relação mãe-filha: "Sou o teu /Capulho (= invólucro de flor) / E meu ventre / É um embrulho .". ( Célio Pinheiro ,in "Por Trás das Letras"- http://www.portrasdasletras.com.br"

Saiba mais em http://jornaltelescopio.blogspot.com.br/2013/02/entrevista-com-adriana-manarelli.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário