terça-feira, 1 de agosto de 2017

A ARTE POÉTICA DE ARICY CURVELLO



Recebemos do amigo e escritor Aricy Curvello , o livro  "A Arte Poética de Aricy Curvello," de Cleber Pacheco, segunda edição revista e ampliada, livro que recebeu a Medalha de Ouro da Academia Brasileira de Pesquisas Literárias e que contém a análise de todos os livros do poeta . Agradecemos o envio .

Aricy é de Uberlândia, MG,  Poeta, ensaista e tradutor. Durante a ditadura militar sofreu prisões e perseguições. Participou intensamente de publicações e movimentos literários em Minas, Rio, S. Paulo e outros Estados. (https://pt-br.facebook.com/public/Aricy-Curvello)

Sobre o livro de Cleber, Rubens Jardim comenta: "Nesta edição incluiu estudos a respeito dos primeiros livros de Aricy Curvelllo (...) É justo ressaltar que o livro de estreia teve ótima acolhida por críticos da pesada como Fábio Lucas, Edgard G. da Matta Machado , Hermann Reipert,  Waldemar Cavalcanti".

Cleber Pacheco, escritor e crítico, é Mestre em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul . (http://livrosdecleberpacheco.blogspot.com.br)
_

TRECHOS :
                               
POESIA EM MOVIMENTO OU O POETA ALQUIMISTA














"Ser é uma invenção constante" nos diz o poeta Aricy Curvello e com tais versos resume parte de sua poética. Para o autor, não somente a forma é provisória,perecível,constanto fluxo. O próprio Ser é movimento.

O Ser,portanto, está inteiramente ligado à Criação, o eterno Ir e Vir.

-

A FUNDAÇÃO DE UMA POÉTICA



"A palavra é rio e fio,fluxo,movimento,onde será realizada a travessia, a passagem, tornando possível a criação.Ela é renovação e também tentativa de fixar o fluído.

Para realizar essa travessia é preciso violar portas,muros,alicerces. É preciso sacudir,explodir,romper limites, vencer o sufocamento , a podridão,o retrocesso, o silêncio.

Poder-se-ia dizer, aliás, de que a única épica possível no mundo contemporâneo é a construção de uma arte poética própria. Ela exige não só o conhecimento da história literária como um posicionamento diante da vida e do mundo, bem como uma atitude em relação a este."

-

A QUESTÃO DA LINGUAGEM NA POESIA DE ARICY CURVELLO

















" O homem é homem graças à linguagem."  (Otávio Paz)             
                 
"Durante a leitura podemos perceber que o poeta busca  a fundamentação da identidade  do humano. Ele aborda a necessidade de criação, de construção, o instinto de vida que nos impulsiona a fazer, refazer, recomeçar e recuperar aquilo que parece inacessível ou perdido devido tanto ao caos inicial e ao desconhecido, quanto a inexorável passagem do tempo.

Esta busca pela identidade se dá por meio da palavra. Graças a ela lidamos com o insondável Mistério, como Desconhecido, o Caos, o Pré-Histórico, podemos lidar com os mundos interno e externo, buscamos a nossa pátria, tanto no sentido literal quanto no de um lugar  que serve de referência para nós seres humanos.

No binômio palavra-realidade está presente também o medo do desconhecido. A palavra é ainda imagem que desafia o escuro, o vazio, o disperso tentando dar-lhes alguma coerência e ordem, lidando sempre com o limite.

-

A QUESTÃO DA LINGUAGEM NA POESIA DE ARICY CURVELLO (II)      














Diz Umberto Eco (1986, p. 73) " A linguagem é o próprio fundamento da cultura."

O poeta torna-se, então, o discursador, pois ele nomeia o que some, o fugaz. Ele preenche um importante papel, pois não há heróis  ou intérpretes. O poeta situa-se entre o calar e o falar. Ele e a linguagem elaboram o fundamento, a construção do humano e do real.

 É preciso ultrapassar o silêncio e o interdito, vencer a paralisia, a ditadura, a burocracia, o imperialismo, a imobilidade e refazer, como um operário, a casa, ou como um soldado, o caminho. É fundamental recomeçar, passando sempre pelo processo morrer-renascer, renovando a história, fazendo-a avançar. A vida é um eterno recomeçar.

Como diria Alfredo Bosi ( 1983, p 21 ) " O fenômeno verbal é uma conquista na história dos modos de franquear o intervalo que medeia entre corpo e objeto."

Afinal de contas, conhecimento é só linguagem. O movimento, o efêmero nos move. É preciso compreender que é breve a busca do lugar-pátria. É a linguagem que nos vive.

Os dicionários e enciclopédias são os alicerces.

Afirma Otávio Paz (1982, p 37 ) " A palavra é o próprio homem. Somos feitos de palavras." ( In: )

-

UM POEMA DE ARICY CURVELLO


















Às vezes

o substantivo carece
de mais substantivos
o verbo de verbos
verbos de advérbios
as palavras fazem crescer o mundo
mas a língua não é a realidade
nem a arte se assemelha à natureza
criam outra
realidade que expande a realidade
(às vezes)
              no branco da página 

( Mais que os Nomes do Nada, 1996)





Nenhum comentário:

Postar um comentário